Região

29 out | 13h40 Por Rádio Aliança

Piratuba registra terceiro foco de larvas do mosquito Aedes Aegypti em 2018

Constatação foi feita na sexta-feira

Piratuba registra terceiro foco de larvas do mosquito Aedes Aegypti em 2018
Imprimir

Foi confirmado na última sexta-feira (26), pela equipe de Vigilância Epidemiológica, o terceiro foco de larvas do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da Dengue, em Piratuba. O criadouro estava na  Rua 1º de Maio no Bairro Verde, saída para Capinzal.

 

As larvas estavam em pneus. "Nossa equipe fazia visitas e coletas de busca, que faz parte do trabalho de prevenção, e aí encontrou o foco. Enviamos para a análise e foi confirmado que se trata do Aedes Aegypti", conta o coordenador do Programa de Combate à Dengue em Piratuba, Julio Cesar de Moura.

 

Este é o terceiro foco do Aedes Aegypti encontrado no município neste ano. O primeiro foi em abril e o segundo em junho. Não há casos de pessoas com a doença. "Já mapeamos o local e trabalhamos na área, com um raio de 300 metros, eliminando os depósitos de água e orientando os moradores e proprietários de estabelecimentos sobre os cuidados que devem ter e os riscos da doença", relata Moura.

 

Informações: Magronada

29 out | 13h40 Por Rádio Aliança

Piratuba registra terceiro foco de larvas do mosquito Aedes Aegypti em 2018

Constatação foi feita na sexta-feira

Piratuba registra terceiro foco de larvas do mosquito Aedes Aegypti em 2018

Foi confirmado na última sexta-feira (26), pela equipe de Vigilância Epidemiológica, o terceiro foco de larvas do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da Dengue, em Piratuba. O criadouro estava na  Rua 1º de Maio no Bairro Verde, saída para Capinzal.

 

As larvas estavam em pneus. "Nossa equipe fazia visitas e coletas de busca, que faz parte do trabalho de prevenção, e aí encontrou o foco. Enviamos para a análise e foi confirmado que se trata do Aedes Aegypti", conta o coordenador do Programa de Combate à Dengue em Piratuba, Julio Cesar de Moura.

 

Este é o terceiro foco do Aedes Aegypti encontrado no município neste ano. O primeiro foi em abril e o segundo em junho. Não há casos de pessoas com a doença. "Já mapeamos o local e trabalhamos na área, com um raio de 300 metros, eliminando os depósitos de água e orientando os moradores e proprietários de estabelecimentos sobre os cuidados que devem ter e os riscos da doença", relata Moura.

 

Informações: Magronada