Carnaval Concórdia 2015

18 fev | 10h49 Por Rádio Aliança

Carnaval termina com gostinho de dever cumprido

Rudi Zanela, presidente da Liga ressalta crescimento e consolidação do Carnaval de Rua de Concórdia

Carnaval termina com gostinho de dever cumprido
Imprimir

O Carnaval de Rua de Concórdia chegou a 6ª edição neste ano e pode se dizer que ele chegou consolidado. Para o presidente da Liga Independente das Escolas de Samba de Concórdia, Rudi Zanella, ele cresceu e evoluiu muito rápido em curto espaço de tempo. 

O ano de 2015 foi marcante para o Carnaval Concórdiense, Rudi comemora a parceria firmada com o governo do estado e a parceria também com empresas privadas, o que demonstra a que o trabalho da Liga e das Escolas de Samba atende as expectativas de potencial para a festa concordiense. 

“Quando iniciamos com os blocos a gente batia na porta das empresas pedindo recursos, realizávamos promoções para cobrir os gastos. Hoje pé diferente, as empresas e entidades nos procuram se dispondo a colaborar para nosso belo carnaval”, ralata. 

Mas não é por que o carnaval acabou que o trabalho também acabou. Nos próximos dias uma reunião será realizada com todos os envolvidos para avaliar os pontos negativos e positivos e já iniciar o planejamento para o ano de 2016. “Em seguida já iniciamos as tratativas, claro que intensificamos os preparativos nos últimos meses, mas é um trabalho do ano todo”, afirma. 

 

18 fev | 10h49 Por Rádio Aliança

Carnaval termina com gostinho de dever cumprido

Rudi Zanela, presidente da Liga ressalta crescimento e consolidação do Carnaval de Rua de Concórdia

Carnaval termina com gostinho de dever cumprido

O Carnaval de Rua de Concórdia chegou a 6ª edição neste ano e pode se dizer que ele chegou consolidado. Para o presidente da Liga Independente das Escolas de Samba de Concórdia, Rudi Zanella, ele cresceu e evoluiu muito rápido em curto espaço de tempo. 

O ano de 2015 foi marcante para o Carnaval Concórdiense, Rudi comemora a parceria firmada com o governo do estado e a parceria também com empresas privadas, o que demonstra a que o trabalho da Liga e das Escolas de Samba atende as expectativas de potencial para a festa concordiense. 

“Quando iniciamos com os blocos a gente batia na porta das empresas pedindo recursos, realizávamos promoções para cobrir os gastos. Hoje pé diferente, as empresas e entidades nos procuram se dispondo a colaborar para nosso belo carnaval”, ralata. 

Mas não é por que o carnaval acabou que o trabalho também acabou. Nos próximos dias uma reunião será realizada com todos os envolvidos para avaliar os pontos negativos e positivos e já iniciar o planejamento para o ano de 2016. “Em seguida já iniciamos as tratativas, claro que intensificamos os preparativos nos últimos meses, mas é um trabalho do ano todo”, afirma.