Polícia

18 out 19 | 23h59 Por Jocimar Soares

Imigrante haitiano alega ter sofrido ato de racismo em Concórdia

Caso parou na Central de Polícia Civil de Concórdia.

Imigrante haitiano alega ter sofrido ato de racismo em Concórdia
Imprimir

Um imigrante haitiano alega ter sofrido ofensa de injúria racial em Concórdia. O caso foi parar na Central de Polícia Civil de Concórdia nesta semana. O B.O foi confeccionado nesta semana, mas os fatos teriam ocorrido no dia seis de outubro.


De acordo com os autos, a ofensa teria sido proferida na entrada de um local de festas na área central, por volta das 23h35 do último dia 6. A vítima de iniciais W.P, de 25 anos, teria impedido um casal de entrar no local. Os motivos não forai informados. Nisso, o homem de iniciais V.A.P, de 48 anos, teria proferido a seguinte frase "só podia ser preto". A PM foi acionada, mas uma mulher, de iniciais C.A.P.S, de 38 anos, começou a proferir outras frases de cunho racista.


Todos foram levados para a Central de Polícia Civil e o haitiano resolveu fazer a representaçāo criminal contra o casal.


18 out 19 | 23h59 Por Jocimar Soares

Imigrante haitiano alega ter sofrido ato de racismo em Concórdia

Caso parou na Central de Polícia Civil de Concórdia.

Imigrante haitiano alega ter sofrido ato de racismo em Concórdia

Um imigrante haitiano alega ter sofrido ofensa de injúria racial em Concórdia. O caso foi parar na Central de Polícia Civil de Concórdia nesta semana. O B.O foi confeccionado nesta semana, mas os fatos teriam ocorrido no dia seis de outubro.


De acordo com os autos, a ofensa teria sido proferida na entrada de um local de festas na área central, por volta das 23h35 do último dia 6. A vítima de iniciais W.P, de 25 anos, teria impedido um casal de entrar no local. Os motivos não forai informados. Nisso, o homem de iniciais V.A.P, de 48 anos, teria proferido a seguinte frase "só podia ser preto". A PM foi acionada, mas uma mulher, de iniciais C.A.P.S, de 38 anos, começou a proferir outras frases de cunho racista.


Todos foram levados para a Central de Polícia Civil e o haitiano resolveu fazer a representaçāo criminal contra o casal.