Opinião

19 mar 21 | 17h55

Um ano de Covid-19, um ano de distanciamento social. Quem você abraçaria hoje?

Um ano de Covid-19, um ano de distanciamento social.  Quem você abraçaria hoje?
Imprimir

A pandemia do Coronavírus completou um ano. Hoje o foco do comentário não é a falta de leitos, não é a falta de profissionais e nem o número de casos e de mortes. Todos estes assuntos merecem muita atenção e são pautas também, porém hoje, o foco aqui é a mudança que ocorreu em nossas vidas com a triste chagada da Covid-19. Eu começo a reflexão perguntando: Há quanto tempo você não abraça colegas, amigos e familiares?


Para algumas pessoas a vida não mudou muito. Para elas, seguem os abraços, as festas, as aglomerações. Porém, para muitos, as regras e orientações de especialistas são levadas à risca. E aí muita coisa mudou. O simples ato de abraçar o pai e a mãe, o irmão, o amigo, a avó ou outro familiar idoso, faz falta! E como faz!!


Quem realmente está seguindo todas as medidas, com certeza sente saudade do abraço. Sente saudade da roda de chimarrão ou de cerveja com os amigos. Saudade de reunir a galera no fim de semana para um carteado ou futebol. Ah, e os bailões e as festas, muito tradicionais aqui na região, fazem falta também.


O fato é que vivemos esse pesadelo há um ano e infelizmente durante esse período a pandemia só piorou. Hoje não estou procurando os culpados. Hoje eu queria era ter a data de quando isso tudo vai passar. Vai demorar, sei disso. A corrida entre o vírus e a ciência é desleal. A Covid-19 se espalha rapidamente, enquanto a medicação depende de estudos, testes, aprovações, produção e aplicação. Hoje o melhor remédio é se cuidar!


O texto de hoje é pra que realmente se cuida e cuida de quem ama. Sim, é pra aqueles que estão seguindo as medidas, fazendo sua parte com objetivo de manter a possibilidade de abraçar quem gosta, em um futuro, que espero que seja próximo.


E sigo perguntando:


-Há quanto tempo você não abraça pessoas importantes para você?

-Um simples abraço te faz falta?

-Quem você gostaria de abraçar agora?


Temos que fazer nossa parte para que tudo isso acabe logo! O abraço vai fazer bem!!


Cristiano Mortari
Conexão Regional

Outras publicações

19 mar 21 | 17h55 Por Cristiano Mortari

Um ano de Covid-19, um ano de distanciamento social. Quem você abraçaria hoje?

Um ano de Covid-19, um ano de distanciamento social.  Quem você abraçaria hoje?

A pandemia do Coronavírus completou um ano. Hoje o foco do comentário não é a falta de leitos, não é a falta de profissionais e nem o número de casos e de mortes. Todos estes assuntos merecem muita atenção e são pautas também, porém hoje, o foco aqui é a mudança que ocorreu em nossas vidas com a triste chagada da Covid-19. Eu começo a reflexão perguntando: Há quanto tempo você não abraça colegas, amigos e familiares?


Para algumas pessoas a vida não mudou muito. Para elas, seguem os abraços, as festas, as aglomerações. Porém, para muitos, as regras e orientações de especialistas são levadas à risca. E aí muita coisa mudou. O simples ato de abraçar o pai e a mãe, o irmão, o amigo, a avó ou outro familiar idoso, faz falta! E como faz!!


Quem realmente está seguindo todas as medidas, com certeza sente saudade do abraço. Sente saudade da roda de chimarrão ou de cerveja com os amigos. Saudade de reunir a galera no fim de semana para um carteado ou futebol. Ah, e os bailões e as festas, muito tradicionais aqui na região, fazem falta também.


O fato é que vivemos esse pesadelo há um ano e infelizmente durante esse período a pandemia só piorou. Hoje não estou procurando os culpados. Hoje eu queria era ter a data de quando isso tudo vai passar. Vai demorar, sei disso. A corrida entre o vírus e a ciência é desleal. A Covid-19 se espalha rapidamente, enquanto a medicação depende de estudos, testes, aprovações, produção e aplicação. Hoje o melhor remédio é se cuidar!


O texto de hoje é pra que realmente se cuida e cuida de quem ama. Sim, é pra aqueles que estão seguindo as medidas, fazendo sua parte com objetivo de manter a possibilidade de abraçar quem gosta, em um futuro, que espero que seja próximo.


E sigo perguntando:


-Há quanto tempo você não abraça pessoas importantes para você?

-Um simples abraço te faz falta?

-Quem você gostaria de abraçar agora?


Temos que fazer nossa parte para que tudo isso acabe logo! O abraço vai fazer bem!!