Opinião

07 jun 21 | 7h15

O alvo mudou! Não há mais “um grupo de risco”. Há o grupo de irresponsáveis, que oferece riscos!

O alvo mudou! Não há mais “um grupo de risco”. Há o grupo de irresponsáveis, que oferece riscos!
Imprimir

A impressão que tenho é a de que tem um percentual da população que não está nem aí para o mundo. Nem aí para a pandemia que vivemos, nem aí para seus familiares, nem aí para a vida!

 

Já escrevi neste espaço e vou repetir. Tem uma “tal de terceira onda”  da Covid-19 por vir. Ou, que já chegou. Não sabemos ao certo, porém, se você acompanhar os números diários de pessoas com suspeita,  contaminados, ou o número de mortes, dá pra notar que a pandemia segue firme e forte, infelizmente.

 

Já está constatado também, que o alvo mudou. Ou melhor, o grupo alvo da Covid-19 foi ampliado. No início, as notícias eram de que idosos e pessoas com comorbidades adoeciam, precisavam de hospitais e morriam. Os jovens “escapavam”. A notícia agora é outra! Muitas pessoas que não fazem parte do grupo da terceira idade estão sofrendo com os sintomas graves, estão adoecendo e morrendo também. Ah, e muitos, sem qualquer comorbidade! Converse com profissionais de saúde que atuam em hospitais, que eles vão confirmar!!

 

 Infelizmente todos podemos ter contato com o vírus. Mesmo mantendo os cuidados, é possível. Mas minha reflexão aqui tem o objetivo de tentar entender a turma do “não dá nada”. Sim, pois tem gente fazendo festa clandestina, sem máscara, sem distanciamento, sem qualquer cuidado. Tem pessoas morrendo, todos os dias!! Alguém avisa esse pessoal das festinhas, por favor!! São desavisados, será? Claro que não! São irresponsáveis!

 

Em meio às notícias de contaminados e mortes por Covid-19, surgem a cada semana mais, as de festas clandestinas, aglomerações, Polícia Militar acabando com bagunças.

 

É verdade que tá todo mundo enjoado de pandemia, de máscara e de distanciamento. Mas é verdade também, que a pandemia não sumiu! É verdade que ela está mais agressiva, mais forte e não apenas nos grupos dos mais vulneráveis.

 

Esse grupo do “não dá nada”, que promove festas ou participa de eventos clandestinos, é o verdadeiro “grupo de risco”. Por contrair o vírus e sofrer as consequências? Também, mas principalmente por oferecer risco. Na festinha o vírus tem acesso livre, contamina e depois viaja com os “sem medo”, para as casas, locais de trabalho, ambientes com pessoas do bem, que se cuidam, mas que podem ser contaminadas por alguém que acha que “não dá nada”. 


Veja alguns exemplos:

Festa clandestina:

Aglomeração:

Festinha:

Desrespeito:

Cristiano Mortari
Conexão Regional

07 jun 21 | 7h15 Por Cristiano Mortari

O alvo mudou! Não há mais “um grupo de risco”. Há o grupo de irresponsáveis, que oferece riscos!

O alvo mudou! Não há mais “um grupo de risco”. Há o grupo de irresponsáveis, que oferece riscos!

A impressão que tenho é a de que tem um percentual da população que não está nem aí para o mundo. Nem aí para a pandemia que vivemos, nem aí para seus familiares, nem aí para a vida!

 

Já escrevi neste espaço e vou repetir. Tem uma “tal de terceira onda”  da Covid-19 por vir. Ou, que já chegou. Não sabemos ao certo, porém, se você acompanhar os números diários de pessoas com suspeita,  contaminados, ou o número de mortes, dá pra notar que a pandemia segue firme e forte, infelizmente.

 

Já está constatado também, que o alvo mudou. Ou melhor, o grupo alvo da Covid-19 foi ampliado. No início, as notícias eram de que idosos e pessoas com comorbidades adoeciam, precisavam de hospitais e morriam. Os jovens “escapavam”. A notícia agora é outra! Muitas pessoas que não fazem parte do grupo da terceira idade estão sofrendo com os sintomas graves, estão adoecendo e morrendo também. Ah, e muitos, sem qualquer comorbidade! Converse com profissionais de saúde que atuam em hospitais, que eles vão confirmar!!

 

 Infelizmente todos podemos ter contato com o vírus. Mesmo mantendo os cuidados, é possível. Mas minha reflexão aqui tem o objetivo de tentar entender a turma do “não dá nada”. Sim, pois tem gente fazendo festa clandestina, sem máscara, sem distanciamento, sem qualquer cuidado. Tem pessoas morrendo, todos os dias!! Alguém avisa esse pessoal das festinhas, por favor!! São desavisados, será? Claro que não! São irresponsáveis!

 

Em meio às notícias de contaminados e mortes por Covid-19, surgem a cada semana mais, as de festas clandestinas, aglomerações, Polícia Militar acabando com bagunças.

 

É verdade que tá todo mundo enjoado de pandemia, de máscara e de distanciamento. Mas é verdade também, que a pandemia não sumiu! É verdade que ela está mais agressiva, mais forte e não apenas nos grupos dos mais vulneráveis.

 

Esse grupo do “não dá nada”, que promove festas ou participa de eventos clandestinos, é o verdadeiro “grupo de risco”. Por contrair o vírus e sofrer as consequências? Também, mas principalmente por oferecer risco. Na festinha o vírus tem acesso livre, contamina e depois viaja com os “sem medo”, para as casas, locais de trabalho, ambientes com pessoas do bem, que se cuidam, mas que podem ser contaminadas por alguém que acha que “não dá nada”. 


Veja alguns exemplos:

Festa clandestina:

Aglomeração:

Festinha:

Desrespeito: