Opinião

28 mar 22 | 13h50

Estar numa semifinal não é privilégio somente do Concórdia. A SER Sadia também já esteve lá!

Estar numa semifinal não é privilégio somente do Concórdia. A SER Sadia também já esteve lá!
Imprimir

Antes de mais nada, parabéns à diretoria e atletas do Galo do Oeste. A equipe cumpriu com os objetivos que foram traçados para a temporada e esteve longe de somente brigar pela permanência. O Galo do Oeste conseguiu ter calendário para todo o ano de 2023 com a vaga à Série D. É um trabalho que é feito de forma harmoniosa dentro e fora das quatro linhas e o resultado é esse. O torcedor voltou a sentir o entusiasmo de outrora e as perspectivas de futuro são as melhores possíveis.


Mas o que eu quero dizer é que o feito de se chegar a uma semifinal de Campeonato Catarinense é inédito somente para o Concórdia Atlético Clube, que foi fundado em 2005, não para o nosso futebol. Esse clube vivia alternando ascensões e rebaixamentos até 2019, quando encontrou seu calço de permanência na série A em 2020 e 2021. Neste ano, o time deu mais uma andada no paredão de pedra do Catarinense para rumar ao topo onde estão os grandes clubes do nosso estadual. É um feito louvável!


Mas eu quero dizer que, diferente do que se pensava, a conquista (semifinal) do Concórdia Atlético Clube não é inédita para o futebol concordiense. Ainda tem poucos e parcos registros, a bibliografia não é farta e os recortes da imprensa praticamente são inexistem, mas a SER Sadia também já empunhou a flâmula do futebol concordiense em uma semifinal de Campeonato Catarinense. Foi no ano de 1957.


Através de uma busca incansável, não consegui achar registros oficiais sobre esse torneio que contou com 25 clubes participantes. Naquele ano, o campeonato era regionalizado em sua primeira fase e a SER Sadia ficou campeão da Zona Oeste, que engloba toda a nossa grande região, conquistando o direito de estar na semifinal.


Na disputa por uma vaga à final, o representante de Concórdia enfrentou o Carlos Renaux (Brusque) e perdeu os dois jogos - olhem a coincidência - por 5 x 0 e 6 x 1. O Campeão naquele ano foi o Hercílio Luz, de Tubarão.


Agora voltando a falar da falta de memória - ou escassez dela - para com o futebol de Santa Catarina, me chama a atenção a pouca disponibilidade de informações no site da Federação Catarinense de Futebol. Afinal de contas o campeonato catarinense é disputado desde 1924. Boa parte da história desses anos mais longínquos não consta lá. As informações mais recentes datam do ano de 2013. Os poucos dados dos primórdios do nosso estadual estão aprisionados em artigos raros. Alguma coisinha também pode ser encontrada no não confiável Wikipédia, mas....


Porém, por uma questão de justiça, muito se falou nos últimos dias que o futebol concordiense jamais havia chegado tão longe em um Campeonato Catarinense, assim como o Concórdia Atlético Clube fez. Como de fato foi colocado, os poucos recortes históricos estão aí para provar que a SER Sadia também já esteve entre os quatro melhores de Santa Catarina há 65 anos Também, por uma questão de registro, além da SER Sadia, a Sociedade Esportiva e Recreativa Guaycurus Futebol Clube, também concordiense, participou do Campeonato Catarinense em 1954. Como foi a campanha deste? Vou ficar devendo, pelas mesmas razões que já expus. 


Mas para finalizar, se por um lado a história antiga do futebol de Santa Catarina praticamente está se perdendo, o Concórdia Atlético Clube está dando uma contribuição importante para alicerçar a sua história, com solidez e competência demonstrados nos últimos anos. Essa página não será esquecida!

Jocimar Soares
Radar

Outras publicações

28 mar 22 | 13h50 Por Jocimar Soares

Estar numa semifinal não é privilégio somente do Concórdia. A SER Sadia também já esteve lá!

Estar numa semifinal não é privilégio somente do Concórdia. A SER Sadia também já esteve lá!

Antes de mais nada, parabéns à diretoria e atletas do Galo do Oeste. A equipe cumpriu com os objetivos que foram traçados para a temporada e esteve longe de somente brigar pela permanência. O Galo do Oeste conseguiu ter calendário para todo o ano de 2023 com a vaga à Série D. É um trabalho que é feito de forma harmoniosa dentro e fora das quatro linhas e o resultado é esse. O torcedor voltou a sentir o entusiasmo de outrora e as perspectivas de futuro são as melhores possíveis.


Mas o que eu quero dizer é que o feito de se chegar a uma semifinal de Campeonato Catarinense é inédito somente para o Concórdia Atlético Clube, que foi fundado em 2005, não para o nosso futebol. Esse clube vivia alternando ascensões e rebaixamentos até 2019, quando encontrou seu calço de permanência na série A em 2020 e 2021. Neste ano, o time deu mais uma andada no paredão de pedra do Catarinense para rumar ao topo onde estão os grandes clubes do nosso estadual. É um feito louvável!


Mas eu quero dizer que, diferente do que se pensava, a conquista (semifinal) do Concórdia Atlético Clube não é inédita para o futebol concordiense. Ainda tem poucos e parcos registros, a bibliografia não é farta e os recortes da imprensa praticamente são inexistem, mas a SER Sadia também já empunhou a flâmula do futebol concordiense em uma semifinal de Campeonato Catarinense. Foi no ano de 1957.


Através de uma busca incansável, não consegui achar registros oficiais sobre esse torneio que contou com 25 clubes participantes. Naquele ano, o campeonato era regionalizado em sua primeira fase e a SER Sadia ficou campeão da Zona Oeste, que engloba toda a nossa grande região, conquistando o direito de estar na semifinal.


Na disputa por uma vaga à final, o representante de Concórdia enfrentou o Carlos Renaux (Brusque) e perdeu os dois jogos - olhem a coincidência - por 5 x 0 e 6 x 1. O Campeão naquele ano foi o Hercílio Luz, de Tubarão.


Agora voltando a falar da falta de memória - ou escassez dela - para com o futebol de Santa Catarina, me chama a atenção a pouca disponibilidade de informações no site da Federação Catarinense de Futebol. Afinal de contas o campeonato catarinense é disputado desde 1924. Boa parte da história desses anos mais longínquos não consta lá. As informações mais recentes datam do ano de 2013. Os poucos dados dos primórdios do nosso estadual estão aprisionados em artigos raros. Alguma coisinha também pode ser encontrada no não confiável Wikipédia, mas....


Porém, por uma questão de justiça, muito se falou nos últimos dias que o futebol concordiense jamais havia chegado tão longe em um Campeonato Catarinense, assim como o Concórdia Atlético Clube fez. Como de fato foi colocado, os poucos recortes históricos estão aí para provar que a SER Sadia também já esteve entre os quatro melhores de Santa Catarina há 65 anos Também, por uma questão de registro, além da SER Sadia, a Sociedade Esportiva e Recreativa Guaycurus Futebol Clube, também concordiense, participou do Campeonato Catarinense em 1954. Como foi a campanha deste? Vou ficar devendo, pelas mesmas razões que já expus. 


Mas para finalizar, se por um lado a história antiga do futebol de Santa Catarina praticamente está se perdendo, o Concórdia Atlético Clube está dando uma contribuição importante para alicerçar a sua história, com solidez e competência demonstrados nos últimos anos. Essa página não será esquecida!