Opinião

14 set 21 | 16h09

Debater sim! Ofender, desrespeitar e brigar, não vale a pena!

Debater sim! Ofender, desrespeitar e brigar, não vale a pena!
Imprimir

O pleito eleitoral de 2022 é um assunto que está presente diariamente nas rodas de conversas, na mídia, nos bares, em reuniões entre amigos, nas redes sociais e até nas conversas entre família. Tem quem consegue evitar, por não gostar da política e por não se interessar por ela. Mas, o fato é que o assunto é pauta a todo momento.

 

Hoje quando se fala em política e eleição no Brasil, o assunto gira principalmente em torno do atual presidente, Jair Bolsonaro, e do ex-presidente Lula. É, sem dúvida nenhuma, a “dupla” mais discutida no Brasil. E a que gera as maiores discussões.

 

Não é proibido opinar, nem expressar pensamentos, desde que estes respeitem a posição de outras pessoas. Argumentar, defender ideias e se posicionar é interessante, mas a discussão pobre, feita de ofensas e de fake news não contribui com ninguém e torna o assunto muito chato.

 

E é essa a questão que trago. Tá muito chata essa situação de que;  “ou você é Lula, ou você é Bolsonaro”. Tem gente que não quer nenhum destes na presidência nos próximos quatro anos. Há pessoas que nem sabem ainda em quem vão votar. São os desavisados, desinformados? Talvez! Mas há quem não queira a volta do PT e os que querem a saída do Bolsonaro. E é preciso respeitar as opiniões! Discutir a política é ótimo, mas com ataques e brigas, é perder tempo.

 

Deixo claro que não estou defendendo nem A e nem B. Não, apenas trago um pensamento que tenho certeza que reproduz o sentimento de muitas pessoas, as que não são necessariamente de um lado ou de outro, e que também acreditam que eleição pode ser debatida sem tanta “raiva”. E isso acontece com defensores dos dois lados, basta acompanhar discussões em redes sociais, por exemplo.

                                        

A política, a eleição e os candidatos, serão sempre temas de conversas e de discussões. Normal e saudável, desde que o confronto fique sempre no campo de ideias e baseado em informações. Cada um defende quem quer! Cada um defende suas causas e tem seus motivos. Até aí tudo bem. O negócio só fica chato quando a conversa vira “apelação”.

 

Antes de atacar, ser grosseiro e ofender, avalie até que ponto isso é bom. Até que ponto vale a pena apoiar uma causa com agressividade. Defender e argumentar, é possível. Mas com certeza é desnecessário usar da violência, seja ela nas palavras ou até física. Infelizmente, no ritmo e no rumo que os assuntos políticos estão tomando, é perigoso!

Cristiano Mortari
Conexão Regional

Outras publicações

14 set 21 | 16h09 Por Cristiano Mortari

Debater sim! Ofender, desrespeitar e brigar, não vale a pena!

Debater sim! Ofender, desrespeitar e brigar, não vale a pena!

O pleito eleitoral de 2022 é um assunto que está presente diariamente nas rodas de conversas, na mídia, nos bares, em reuniões entre amigos, nas redes sociais e até nas conversas entre família. Tem quem consegue evitar, por não gostar da política e por não se interessar por ela. Mas, o fato é que o assunto é pauta a todo momento.

 

Hoje quando se fala em política e eleição no Brasil, o assunto gira principalmente em torno do atual presidente, Jair Bolsonaro, e do ex-presidente Lula. É, sem dúvida nenhuma, a “dupla” mais discutida no Brasil. E a que gera as maiores discussões.

 

Não é proibido opinar, nem expressar pensamentos, desde que estes respeitem a posição de outras pessoas. Argumentar, defender ideias e se posicionar é interessante, mas a discussão pobre, feita de ofensas e de fake news não contribui com ninguém e torna o assunto muito chato.

 

E é essa a questão que trago. Tá muito chata essa situação de que;  “ou você é Lula, ou você é Bolsonaro”. Tem gente que não quer nenhum destes na presidência nos próximos quatro anos. Há pessoas que nem sabem ainda em quem vão votar. São os desavisados, desinformados? Talvez! Mas há quem não queira a volta do PT e os que querem a saída do Bolsonaro. E é preciso respeitar as opiniões! Discutir a política é ótimo, mas com ataques e brigas, é perder tempo.

 

Deixo claro que não estou defendendo nem A e nem B. Não, apenas trago um pensamento que tenho certeza que reproduz o sentimento de muitas pessoas, as que não são necessariamente de um lado ou de outro, e que também acreditam que eleição pode ser debatida sem tanta “raiva”. E isso acontece com defensores dos dois lados, basta acompanhar discussões em redes sociais, por exemplo.

                                        

A política, a eleição e os candidatos, serão sempre temas de conversas e de discussões. Normal e saudável, desde que o confronto fique sempre no campo de ideias e baseado em informações. Cada um defende quem quer! Cada um defende suas causas e tem seus motivos. Até aí tudo bem. O negócio só fica chato quando a conversa vira “apelação”.

 

Antes de atacar, ser grosseiro e ofender, avalie até que ponto isso é bom. Até que ponto vale a pena apoiar uma causa com agressividade. Defender e argumentar, é possível. Mas com certeza é desnecessário usar da violência, seja ela nas palavras ou até física. Infelizmente, no ritmo e no rumo que os assuntos políticos estão tomando, é perigoso!