Agronegócio

29 dez 21 | 6h00 Por Jocimar Soares

Custos de produção de frangos de corte e de suínos recuam em novembro

Dados são da Central de Inteligência da Embrapa Suínos e Aves

Custos de produção de frangos de corte e de suínos recuam em novembro
Imprimir

Os custos de produção de frangos de corte e de suínos recuaram em novembro, segundo os estudos publicados pela Central de Inteligência de Aves e Suínos da Embrapa. O ICPSuíno baixou 2,23% em relação a outubro, recuando para 380,55 pontos. Já o ICPFrango caiu 1,38%, fechando o mês de em 397,57 pontos.


A baixa no ICPSuíno foi influenciada pela variação de -2,37% nas despesas operacionais com a alimentação dos animais, que representa 80% do custo de produção de suínos. Assim, em 2021, o ICPSuíno acumula 1,43% de aumento, enquanto nos últimos 12 meses (de dezembro de 2020 a novembro de 2021), o índice tem uma variação de -1,68%. Agora, o custo total de produção por quilograma de suíno vivo produzido em sistema tipo ciclo completo em Santa Catarina fechou em R$ 6,65 em novembro, R$ 0,15 a menos que em outubro, que foi de R$ 6,80.


Já a queda no ICPFrango foi causada principalmente pela influência dos gastos com nutrição (-1,12%) e nas despesas com a aquisição de pintos de um dia (-0,31%). No ano, o índice acumula variação de 18,02%, e de 15,05% nos últimos 12 meses. O custo de produção do quilo do frango de corte vivo no Paraná, produzido em aviário tipo climatizado em pressão positiva, caiu R$ 0,07 em novembro com relação a outubro, passando de R$ 5,21 para R$ 5,14.


(Fonte: Lucas Scherer Cardoso)

29 dez 21 | 6h00 Por Jocimar Soares

Custos de produção de frangos de corte e de suínos recuam em novembro

Dados são da Central de Inteligência da Embrapa Suínos e Aves

Custos de produção de frangos de corte e de suínos recuam em novembro

Os custos de produção de frangos de corte e de suínos recuaram em novembro, segundo os estudos publicados pela Central de Inteligência de Aves e Suínos da Embrapa. O ICPSuíno baixou 2,23% em relação a outubro, recuando para 380,55 pontos. Já o ICPFrango caiu 1,38%, fechando o mês de em 397,57 pontos.


A baixa no ICPSuíno foi influenciada pela variação de -2,37% nas despesas operacionais com a alimentação dos animais, que representa 80% do custo de produção de suínos. Assim, em 2021, o ICPSuíno acumula 1,43% de aumento, enquanto nos últimos 12 meses (de dezembro de 2020 a novembro de 2021), o índice tem uma variação de -1,68%. Agora, o custo total de produção por quilograma de suíno vivo produzido em sistema tipo ciclo completo em Santa Catarina fechou em R$ 6,65 em novembro, R$ 0,15 a menos que em outubro, que foi de R$ 6,80.


Já a queda no ICPFrango foi causada principalmente pela influência dos gastos com nutrição (-1,12%) e nas despesas com a aquisição de pintos de um dia (-0,31%). No ano, o índice acumula variação de 18,02%, e de 15,05% nos últimos 12 meses. O custo de produção do quilo do frango de corte vivo no Paraná, produzido em aviário tipo climatizado em pressão positiva, caiu R$ 0,07 em novembro com relação a outubro, passando de R$ 5,21 para R$ 5,14.


(Fonte: Lucas Scherer Cardoso)