Momento Agro

04 jul 19 | 6h00 Por Jocimar Soares

BRF nega oferta por ativos no Oriente Médio

Por outro lado, a empresa avalia alternativas para seus investimentos no Oriente Médio.

BRF nega oferta por ativos no Oriente Médio
Imprimir

A BRF nega oferta por ativos na região do Oriente Médio. A informação consta em comunicado emitido nos últimos dias. A manifestação foi feita após o Jornal "Valor Econômico" noticiar que a companhia recebeu uma oferta por parte de ativos no Oriente Médio, na ordem de US$ 350 milhões ou R$ 1,3 bilhão, por ativos naquela região.


Sobre a participação no mercado halal, a companhia, por outro lado, diz que avalia alternativas para seus investimentos no Oriente Médio, incluindo a venda de participações a parceiros estratégicos, mas que não recebeu, até o momento, nenhuma oferta por seus ativos na região.


“A BRF está atenta às oportunidades para avançar nos demais elos da cadeia e participar do movimento estratégico dos sauditas, especialmente por meio de parcerias que não alterem o ritmo de redução da nossa dívida”, disse em comunicado.


(Com informações da agência CMA)

04 jul 19 | 6h00 Por Jocimar Soares

BRF nega oferta por ativos no Oriente Médio

Por outro lado, a empresa avalia alternativas para seus investimentos no Oriente Médio.

BRF nega oferta por ativos no Oriente Médio

A BRF nega oferta por ativos na região do Oriente Médio. A informação consta em comunicado emitido nos últimos dias. A manifestação foi feita após o Jornal "Valor Econômico" noticiar que a companhia recebeu uma oferta por parte de ativos no Oriente Médio, na ordem de US$ 350 milhões ou R$ 1,3 bilhão, por ativos naquela região.


Sobre a participação no mercado halal, a companhia, por outro lado, diz que avalia alternativas para seus investimentos no Oriente Médio, incluindo a venda de participações a parceiros estratégicos, mas que não recebeu, até o momento, nenhuma oferta por seus ativos na região.


“A BRF está atenta às oportunidades para avançar nos demais elos da cadeia e participar do movimento estratégico dos sauditas, especialmente por meio de parcerias que não alterem o ritmo de redução da nossa dívida”, disse em comunicado.


(Com informações da agência CMA)