Geral

24 jun 20 | 9h38 Por Analu Slongo

Senado aprovada eleições municipais para 15 de novembro

Segundo turno deverá ser no dia 29 do mesmo mês. Proposta ainda terá que ser votada pela Câmara dos Deputados

Senado aprovada eleições municipais para 15 de novembro
Imprimir

O Plenário do Senado Federal aprovou em dois turnos, em sessão remota nesta terça-feira, 23, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 18/2020 que adia para 15 de novembro a data de realização do primeiro turno das Eleições Municipais de 2020. Pela proposta, o segundo turno das eleições ocorrerá no dia 29 de novembro. A PEC segue agora para análise da Câmara dos Deputados, também em dois turnos de votação.


A PEC aprovada nesta terça-feira (23) também estabelece que outros prazos eleitorais, que não tenham transcorrido na data da promulgação da proposta, devem contabilizar para seus efeitos o adiamento das eleições. Isso se aplica para a desincompatibilização de cargos públicos, que agora deverá obedecer os novos dias de realização das votações.

Novas datas


  • Convenções partidárias: a escolha de candidatos e deliberação sobre coligações devem ocorrer entre 31 de agosto e 16 de setembro;


  • Registro de candidaturas: deve acontecer até 26 de setembro;


  • Início da propaganda eleitoral, inclusive na internet: depois de 6 de setembro;


  • Prestação de contas dos candidatos: deve ser apresentada até 15 de dezembro à Justiça Eleitoral para primeiro e segundo turnos. A Justiça Eleitoral deverá publicar a decisão dos julgamentos até o dia 12 de fevereiro de 2021.


  • Diplomação dos candidatos: deve ocorrer até o dia 18 de dezembro em todo o país. A data da posse dos eleitos permanece em 1º de janeiro de 2021.



Convenções e propaganda eleitoral

A proposta autoriza os partidos políticos a realizar, por meio virtual, independentemente de qualquer disposição estatutária, convenções ou reuniões para a escolha de candidatos e formalização de coligações, bem como para a definição dos critérios de distribuição dos recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC).


Os atos de propaganda eleitoral não poderão ser limitados pela legislação municipal ou pela Justiça Eleitoral, salvo se a decisão estiver fundamentada em prévio parecer técnico emitido por autoridade sanitária estadual ou nacional.


No segundo semestre de 2020, poderá apenas ser realizada publicidade institucional de atos e campanhas de órgãos públicos municipais e suas respectivas entidades da administração indireta destinada ao enfrentamento da pandemia da Covid-19 e à orientação à população quanto aos serviços públicos e outros temas afetados pela pandemia.


Mobilidade de datas

Se as condições sanitárias em determinado município não permitirem a realização das eleições nas datas previstas, o Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) poderá, de ofício ou por provocação do presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) respectivo, e após oitiva da autoridade sanitária nacional, definir novas datas para o pleito, tendo como limite o dia 27 de dezembro de 2020, bem como dispor sobre as medidas necessárias para a conclusão do processo eleitoral, dando ciência do fato à comissão mista do Congresso Nacional que trata do impacto financeiro e na saúde publica da Covid-19.


Também se as condições sanitárias de um estado impedirem a realização das eleições nas datas previstas, o Congresso Nacional, por provocação do TSE, instruída com manifestação da autoridade sanitária nacional, e após parecer da comissão mista do Congresso, poderá editar decreto legislativo definindo novas datas para o pleito, tendo como limite o dia 27 de dezembro, cabendo ao TSE dispor sobre as medidas necessárias para a conclusão do processo eleitoral.

Fonte: TSE

24 jun 20 | 9h38 Por Analu Slongo

Senado aprovada eleições municipais para 15 de novembro

Segundo turno deverá ser no dia 29 do mesmo mês. Proposta ainda terá que ser votada pela Câmara dos Deputados

Senado aprovada eleições municipais para 15 de novembro

O Plenário do Senado Federal aprovou em dois turnos, em sessão remota nesta terça-feira, 23, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 18/2020 que adia para 15 de novembro a data de realização do primeiro turno das Eleições Municipais de 2020. Pela proposta, o segundo turno das eleições ocorrerá no dia 29 de novembro. A PEC segue agora para análise da Câmara dos Deputados, também em dois turnos de votação.


A PEC aprovada nesta terça-feira (23) também estabelece que outros prazos eleitorais, que não tenham transcorrido na data da promulgação da proposta, devem contabilizar para seus efeitos o adiamento das eleições. Isso se aplica para a desincompatibilização de cargos públicos, que agora deverá obedecer os novos dias de realização das votações.

Novas datas


  • Convenções partidárias: a escolha de candidatos e deliberação sobre coligações devem ocorrer entre 31 de agosto e 16 de setembro;


  • Registro de candidaturas: deve acontecer até 26 de setembro;


  • Início da propaganda eleitoral, inclusive na internet: depois de 6 de setembro;


  • Prestação de contas dos candidatos: deve ser apresentada até 15 de dezembro à Justiça Eleitoral para primeiro e segundo turnos. A Justiça Eleitoral deverá publicar a decisão dos julgamentos até o dia 12 de fevereiro de 2021.


  • Diplomação dos candidatos: deve ocorrer até o dia 18 de dezembro em todo o país. A data da posse dos eleitos permanece em 1º de janeiro de 2021.



Convenções e propaganda eleitoral

A proposta autoriza os partidos políticos a realizar, por meio virtual, independentemente de qualquer disposição estatutária, convenções ou reuniões para a escolha de candidatos e formalização de coligações, bem como para a definição dos critérios de distribuição dos recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC).


Os atos de propaganda eleitoral não poderão ser limitados pela legislação municipal ou pela Justiça Eleitoral, salvo se a decisão estiver fundamentada em prévio parecer técnico emitido por autoridade sanitária estadual ou nacional.


No segundo semestre de 2020, poderá apenas ser realizada publicidade institucional de atos e campanhas de órgãos públicos municipais e suas respectivas entidades da administração indireta destinada ao enfrentamento da pandemia da Covid-19 e à orientação à população quanto aos serviços públicos e outros temas afetados pela pandemia.


Mobilidade de datas

Se as condições sanitárias em determinado município não permitirem a realização das eleições nas datas previstas, o Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) poderá, de ofício ou por provocação do presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) respectivo, e após oitiva da autoridade sanitária nacional, definir novas datas para o pleito, tendo como limite o dia 27 de dezembro de 2020, bem como dispor sobre as medidas necessárias para a conclusão do processo eleitoral, dando ciência do fato à comissão mista do Congresso Nacional que trata do impacto financeiro e na saúde publica da Covid-19.


Também se as condições sanitárias de um estado impedirem a realização das eleições nas datas previstas, o Congresso Nacional, por provocação do TSE, instruída com manifestação da autoridade sanitária nacional, e após parecer da comissão mista do Congresso, poderá editar decreto legislativo definindo novas datas para o pleito, tendo como limite o dia 27 de dezembro, cabendo ao TSE dispor sobre as medidas necessárias para a conclusão do processo eleitoral.

Fonte: TSE