Geral

12 set 20 | 11h30 Por Jocimar Soares

Sem acordo na primeira rodada de negociação salarial para os trabalhadores da JBS

Próxima rodada está marcada para a manhã da segunda-feira, dia 14

Sem acordo na primeira rodada de negociação salarial para os trabalhadores da JBS
Imprimir

Terminou sem acordo a primeira rodada de negociação salarial entre o Sindicato dos Trabalhadores da Indústria da Alimentação, Sintrial, e a JBS de Ipumirim. O encontro aconteceu no último dia dez. A segunda rodada está agendada para a manhã da segunda-feira, dia 14.


No primeiro encontro, a direção da empresa ofereceu reajuste de 100% do INPC do período, sendo 2,35% linear para todas as cláusulas econômicas. Ou seja, o mesmo índice vale para as cestas de produtos, pisos de contratação e o teto do quinquênio, com exceção do PPR, que por sua vez teria aumento de 11,11%, passando de R$ 900 para R$ 1 mil.


Já o sindicato apresentou contraproposta de 2,50% de aumento, o que dá 100% do INPC, piso de efetivação conforme o estadual, seis cestas básicas de produtos da empresa no valor de R$ 110,00 cada, PPR no valor de R$ 1,1 mil e a renovação das demais cláusulas do acordo coletivo anterior.

12 set 20 | 11h30 Por Jocimar Soares

Sem acordo na primeira rodada de negociação salarial para os trabalhadores da JBS

Próxima rodada está marcada para a manhã da segunda-feira, dia 14

Sem acordo na primeira rodada de negociação salarial para os trabalhadores da JBS

Terminou sem acordo a primeira rodada de negociação salarial entre o Sindicato dos Trabalhadores da Indústria da Alimentação, Sintrial, e a JBS de Ipumirim. O encontro aconteceu no último dia dez. A segunda rodada está agendada para a manhã da segunda-feira, dia 14.


No primeiro encontro, a direção da empresa ofereceu reajuste de 100% do INPC do período, sendo 2,35% linear para todas as cláusulas econômicas. Ou seja, o mesmo índice vale para as cestas de produtos, pisos de contratação e o teto do quinquênio, com exceção do PPR, que por sua vez teria aumento de 11,11%, passando de R$ 900 para R$ 1 mil.


Já o sindicato apresentou contraproposta de 2,50% de aumento, o que dá 100% do INPC, piso de efetivação conforme o estadual, seis cestas básicas de produtos da empresa no valor de R$ 110,00 cada, PPR no valor de R$ 1,1 mil e a renovação das demais cláusulas do acordo coletivo anterior.