Geral

27 fev 20 | 5h09 Por Analu Slongo

População deve ficar atenta com o coronavírus, mas não precisa pânico - OUÇA

Lavar as mãos e manter a etiqueta da tosse são as principais orientações para este momento

População deve ficar atenta com o coronavírus, mas não precisa pânico - OUÇA
Escute
Imprimir

Desde janeiro as notícias sobre o coronavírus, que surgiu na China e se espalha pelo mundo, tem ganhado espaço nos noticiários da imprensa. Nesta semana elas ganham ainda mais força no Brasil, já que foi confirmado o primeiro caso da doença em um morador de São Paulo. A médica infectologista Clarissa Guedes diz que a população deve sim ficar em alerta, mas não precisa entrar em pânico. Ela enfatiza a importância dos cuidados com a prevenção (ouça o áudio acima). 


A médica diz que ainda não há vacinas para combater a doença e as medicações disponíveis no mercado atualmente são para controlar os sintomas. Para evitar mortes elas não têm eficácia, mas ajudam a reduzir a carga viral e o período de mal-estar. A boa notícia é que a mortalidade deste vírus não tem sido elevada.

27 fev 20 | 5h09 Por Analu Slongo

População deve ficar atenta com o coronavírus, mas não precisa pânico - OUÇA

Lavar as mãos e manter a etiqueta da tosse são as principais orientações para este momento

População deve ficar atenta com o coronavírus, mas não precisa pânico - OUÇA

Desde janeiro as notícias sobre o coronavírus, que surgiu na China e se espalha pelo mundo, tem ganhado espaço nos noticiários da imprensa. Nesta semana elas ganham ainda mais força no Brasil, já que foi confirmado o primeiro caso da doença em um morador de São Paulo. A médica infectologista Clarissa Guedes diz que a população deve sim ficar em alerta, mas não precisa entrar em pânico. Ela enfatiza a importância dos cuidados com a prevenção (ouça o áudio acima). 


A médica diz que ainda não há vacinas para combater a doença e as medicações disponíveis no mercado atualmente são para controlar os sintomas. Para evitar mortes elas não têm eficácia, mas ajudam a reduzir a carga viral e o período de mal-estar. A boa notícia é que a mortalidade deste vírus não tem sido elevada.