Geral

27 nov 19 | 14h10 Por Analu Slongo

OUÇA: Preço da carne bovina dispara e há previsão de novos aumentos

Consumidor já começa a mudar de hábito e comprar opções de proteína mais baratas

OUÇA: Preço da carne bovina dispara e há previsão de novos aumentos
Escute
Imprimir

O tradicional churrasco de fim de semana está bem salgado e desta vez a diferença não é no sabor, mas no bolso dos consumidores. Quem costuma comprar carne bovina toda a semana deve ter percebido o preço subir a cada nova visita aos supermercados ou frigoríficos.


O empresário Fredinei Justi Lopes, que trabalha com a venda de carnes assadas, é testemunha disso. “A carne de gado subiu em torno de 20% e de frango e suíno também estão mais caras, mas não tanto. Acredito que ainda terá novos aumentos”, pontua.


O empresário do ramo de supermercados, Moacir Zat, diz que o consumidor já está reclamando dos preços e cita o exemplo de 1 kg de bife de gado que era vendido na semana por R$ 24,90 e agora custa R$ 30,00. Segundo Zat, os clientes estão mudando os hábitos e consumindo carnes mais baratas.


A principal justificativa para o aumento no preço é a abertura do mercado internacional para a venda de carnes brasileiras. Como a procura aumenta e diminui a oferta, naturalmente os preços também vão subir.


O produtor de gado de corte em Concórdia, Haroldo Vendruscolo, diz que a explicação para esse cenário de redução na oferta de bovinos não se resume ao aumento das exportações (ouça o áudio acima). Na opinião dele, a carne bovina ficará em alta por um período de até quatro anos.





27 nov 19 | 14h10 Por Analu Slongo

OUÇA: Preço da carne bovina dispara e há previsão de novos aumentos

Consumidor já começa a mudar de hábito e comprar opções de proteína mais baratas

OUÇA: Preço da carne bovina dispara e há previsão de novos aumentos

O tradicional churrasco de fim de semana está bem salgado e desta vez a diferença não é no sabor, mas no bolso dos consumidores. Quem costuma comprar carne bovina toda a semana deve ter percebido o preço subir a cada nova visita aos supermercados ou frigoríficos.


O empresário Fredinei Justi Lopes, que trabalha com a venda de carnes assadas, é testemunha disso. “A carne de gado subiu em torno de 20% e de frango e suíno também estão mais caras, mas não tanto. Acredito que ainda terá novos aumentos”, pontua.


O empresário do ramo de supermercados, Moacir Zat, diz que o consumidor já está reclamando dos preços e cita o exemplo de 1 kg de bife de gado que era vendido na semana por R$ 24,90 e agora custa R$ 30,00. Segundo Zat, os clientes estão mudando os hábitos e consumindo carnes mais baratas.


A principal justificativa para o aumento no preço é a abertura do mercado internacional para a venda de carnes brasileiras. Como a procura aumenta e diminui a oferta, naturalmente os preços também vão subir.


O produtor de gado de corte em Concórdia, Haroldo Vendruscolo, diz que a explicação para esse cenário de redução na oferta de bovinos não se resume ao aumento das exportações (ouça o áudio acima). Na opinião dele, a carne bovina ficará em alta por um período de até quatro anos.