Concórdia

12 jul 19 | 14h49 Por Analu Slongo

Moradores atingidos pelo deslizamento pedem a suspensão das obras

Previsão é que os trabalhos de revitalização da área iniciassem nos próximos dias

Moradores atingidos pelo deslizamento pedem a suspensão das obras
Escute
Imprimir

Os proprietários dos imóveis atingidos pelo deslizamento que ocorreu em maio de 2017 nas ruas Horácio Sandi e Victor Sopelsa, em Concórdia, pediram a suspensão das obras revitalização. Na manhã desta sexta-feira, 12 de julho, os advogados que representam as famílias ingressaram com o pedido à Justiça.


A advogada Norah Pezzin diz que a maior preocupação é porque foi informado aos moradores que as residências serão demolidas para dar espaço às obras, mas essa informação não está especificada no processo. Segundo a advogada, o Município declarou área de utilidade pública em fevereiro apenas alguns imóveis que não seriam mais aproveitáveis para edificação porque teriam a função de contenção.


No entendimento os moradores atingidos não é possível iniciar a obra em terrenos particulares sem a autorização dos donos, já que as informações sobre as demolições não constam no processo. “A informação que temos é que as obras contemplariam a área declarada e utilidade pública”, pontua Norah.


A previsão é que as obras de revitalização começassem nos próximos dias. A empresa que venceu a licitação já estava iniciando a instalação do canteiro de obras. O mapa de risco da região prevê a remoção de 11 casas que foram afetadas. Serão demolidas nove na parte superior da Horácio Sandi e mais três na Victor Sopelsa. Não está prevista a retirada das sete casas que ficam na parte inferior da Horácio Sandi.


A ordem de serviço para a empresa Seta Engenharia, que foi a vencedora da licitação, foi entregue em 29 de maio e o prazo para execução das obras é de nove meses. Serão investidos em torno de R$ 6 milhões na revitalização do local. 

12 jul 19 | 14h49 Por Analu Slongo

Moradores atingidos pelo deslizamento pedem a suspensão das obras

Previsão é que os trabalhos de revitalização da área iniciassem nos próximos dias

Moradores atingidos pelo deslizamento pedem a suspensão das obras

Os proprietários dos imóveis atingidos pelo deslizamento que ocorreu em maio de 2017 nas ruas Horácio Sandi e Victor Sopelsa, em Concórdia, pediram a suspensão das obras revitalização. Na manhã desta sexta-feira, 12 de julho, os advogados que representam as famílias ingressaram com o pedido à Justiça.


A advogada Norah Pezzin diz que a maior preocupação é porque foi informado aos moradores que as residências serão demolidas para dar espaço às obras, mas essa informação não está especificada no processo. Segundo a advogada, o Município declarou área de utilidade pública em fevereiro apenas alguns imóveis que não seriam mais aproveitáveis para edificação porque teriam a função de contenção.


No entendimento os moradores atingidos não é possível iniciar a obra em terrenos particulares sem a autorização dos donos, já que as informações sobre as demolições não constam no processo. “A informação que temos é que as obras contemplariam a área declarada e utilidade pública”, pontua Norah.


A previsão é que as obras de revitalização começassem nos próximos dias. A empresa que venceu a licitação já estava iniciando a instalação do canteiro de obras. O mapa de risco da região prevê a remoção de 11 casas que foram afetadas. Serão demolidas nove na parte superior da Horácio Sandi e mais três na Victor Sopelsa. Não está prevista a retirada das sete casas que ficam na parte inferior da Horácio Sandi.


A ordem de serviço para a empresa Seta Engenharia, que foi a vencedora da licitação, foi entregue em 29 de maio e o prazo para execução das obras é de nove meses. Serão investidos em torno de R$ 6 milhões na revitalização do local.