Região

12 ago 19 | 18h17 Por Jocimar Soares

Uso de Giricos por agricultores volta a ser assunto na Câmara de Arabutã

Assunto foi debatido na Sessão da Câmara de Vereadores na última semana.

Uso de Giricos por agricultores volta a ser assunto na Câmara de Arabutã
Imprimir

O vereador de Arabutã, Evelácio Leidow, pretende novamente iniciar uma discussão visando buscar alternativas para que os agricultores possam usar os giricos, equipamentos agrícola indispensáveis em muitas propriedades rurais de Santa Catarina, principalmente no Oeste do Estado. A manifestação dele ocorreu nesta quarta-feira, dia 7, durante sessão do Legislativo Municipal.


Sabendo que a legislação não permite que os equipamentos sejam utilizados em rodovias, Leidow acredita que é possível buscar alternativas aos produtores com critérios a serem respeitados, para que os produtores façam o uso dos jericos.


“É um meio de transporte alternativo e de baixo custo e que se adapta às características dos relevos da região e das atividades dos produtores”, esclarece.


No entendimento de Leidow, o uso do girico é essencial para o desempenho das atividades na propriedade rural e vem da necessidade do “colono” ter um equipamento com mecânica simples, com baixo custo e com baixo consumo de combustível”.


Lembra ainda que o girico é um equipamento para cargas simples, muitas vezes da própria produção dos produtos e insumos da propriedade.


O vereador Gerson Artifon lembrou durante a sessão que o assunto já foi discutido em audiência pública no próprio Legislativo Municipal em 2017. Segundo ele, o comandante da Polícia Militar no Alto Uruguai Catarinense, Sérgio Vargas, deixou esclarecido que existe uma legislação a ser cumprida.


Com isso, os giricos ficam proibidos de circular em vias públicas sob risco de serem apreendidos pela fiscalização. Na época, se destacou que muitos produtores seriam prejudicados com a impossibilidade do produtor não poder utilizar o equipamento no deslocamento até a cidade.


Artifon disse que o comandante foi enfático e esclareceu que a medida proibindo o uso dos giricos ocorre em todas as cidades.


Ainda em sua manifestação sobre o assunto, Artifon cobrou que a Prefeitura de Arabutã também precisa se envolver na discussão e nos encaminhamentos para auxiliar no debate. “Não podemos perder a esperança”, disse Artifon se referindo a necessidade de uma mobilização não apenas do Legislativo Municipal, mas também da Administração Municipal de Arabutã. 


(Fonte: Ascom/Câmara de Vereadores de Arabutã)

12 ago 19 | 18h17 Por Jocimar Soares

Uso de Giricos por agricultores volta a ser assunto na Câmara de Arabutã

Assunto foi debatido na Sessão da Câmara de Vereadores na última semana.

Uso de Giricos por agricultores volta a ser assunto na Câmara de Arabutã

O vereador de Arabutã, Evelácio Leidow, pretende novamente iniciar uma discussão visando buscar alternativas para que os agricultores possam usar os giricos, equipamentos agrícola indispensáveis em muitas propriedades rurais de Santa Catarina, principalmente no Oeste do Estado. A manifestação dele ocorreu nesta quarta-feira, dia 7, durante sessão do Legislativo Municipal.


Sabendo que a legislação não permite que os equipamentos sejam utilizados em rodovias, Leidow acredita que é possível buscar alternativas aos produtores com critérios a serem respeitados, para que os produtores façam o uso dos jericos.


“É um meio de transporte alternativo e de baixo custo e que se adapta às características dos relevos da região e das atividades dos produtores”, esclarece.


No entendimento de Leidow, o uso do girico é essencial para o desempenho das atividades na propriedade rural e vem da necessidade do “colono” ter um equipamento com mecânica simples, com baixo custo e com baixo consumo de combustível”.


Lembra ainda que o girico é um equipamento para cargas simples, muitas vezes da própria produção dos produtos e insumos da propriedade.


O vereador Gerson Artifon lembrou durante a sessão que o assunto já foi discutido em audiência pública no próprio Legislativo Municipal em 2017. Segundo ele, o comandante da Polícia Militar no Alto Uruguai Catarinense, Sérgio Vargas, deixou esclarecido que existe uma legislação a ser cumprida.


Com isso, os giricos ficam proibidos de circular em vias públicas sob risco de serem apreendidos pela fiscalização. Na época, se destacou que muitos produtores seriam prejudicados com a impossibilidade do produtor não poder utilizar o equipamento no deslocamento até a cidade.


Artifon disse que o comandante foi enfático e esclareceu que a medida proibindo o uso dos giricos ocorre em todas as cidades.


Ainda em sua manifestação sobre o assunto, Artifon cobrou que a Prefeitura de Arabutã também precisa se envolver na discussão e nos encaminhamentos para auxiliar no debate. “Não podemos perder a esperança”, disse Artifon se referindo a necessidade de uma mobilização não apenas do Legislativo Municipal, mas também da Administração Municipal de Arabutã. 


(Fonte: Ascom/Câmara de Vereadores de Arabutã)