Região

16 set 19 | 17h17 Por Jocimar Soares

Servidores da Celesc de Concórdia devem aderir a paralisação promovida pela Intercel

Categoria reclama das dificuldades em negociar com a direção da empresa.

Servidores da Celesc de Concórdia devem aderir a paralisação promovida pela Intercel
Imprimir

Os servidores da área comercial da Regional da Celesc de Concórdia devem aderir à paralisação que está prevista para esta terça-feira, dia 17, e que pode contar com a adesão de todas as regionais espalhadas pelo Estado. A informação é do Intersindical dos Eletricitários, Intercel.


A mobilização da parte comercial será nos períodos da manhã e da tarde de terça-feira, em que o atendimento ao público não será realizado. Somente serviços essenciais serão mantidos, assegura a entidade sindical.


Conforme informações, o Intercel está demonstrando descontentamento em elação a postura da Celesc nas negociações do Acordo Coletivo de Trabalho 2019/2020. A entidade sindical reclama do que considera intransigência da empresa e diz que a reivindicação dos trabalhadores está sendo desrespeitada. Pontos como garantia de emprego, reajuste salarial e auxílio-alimentação não forma debatidas.


No entendimento do Intercel, a próxima rodada está marcada para esta terça-feira, dia 17 e o Intercel entende que um acordo está longe de ser fechado.

16 set 19 | 17h17 Por Jocimar Soares

Servidores da Celesc de Concórdia devem aderir a paralisação promovida pela Intercel

Categoria reclama das dificuldades em negociar com a direção da empresa.

Servidores da Celesc de Concórdia devem aderir a paralisação promovida pela Intercel

Os servidores da área comercial da Regional da Celesc de Concórdia devem aderir à paralisação que está prevista para esta terça-feira, dia 17, e que pode contar com a adesão de todas as regionais espalhadas pelo Estado. A informação é do Intersindical dos Eletricitários, Intercel.


A mobilização da parte comercial será nos períodos da manhã e da tarde de terça-feira, em que o atendimento ao público não será realizado. Somente serviços essenciais serão mantidos, assegura a entidade sindical.


Conforme informações, o Intercel está demonstrando descontentamento em elação a postura da Celesc nas negociações do Acordo Coletivo de Trabalho 2019/2020. A entidade sindical reclama do que considera intransigência da empresa e diz que a reivindicação dos trabalhadores está sendo desrespeitada. Pontos como garantia de emprego, reajuste salarial e auxílio-alimentação não forma debatidas.


No entendimento do Intercel, a próxima rodada está marcada para esta terça-feira, dia 17 e o Intercel entende que um acordo está longe de ser fechado.