Região

15 ago 19 | 5h40 Por Cristiano Mortari

Prefeitura de Lindóia pode iniciar construção do cemitério vertical ainda neste ano

O Governo Federal anunciou a liberação de quase R$ 2 milhões para o projeto

Prefeitura de Lindóia pode iniciar construção do cemitério vertical ainda neste ano
Imprimir

O projeto do cemitério vertical de Lindóia do Sul pode sair do papel em breve. A Prefeitura trabalha para viabilizar questões ambientais e recursos e nos últimos dias o Governo Federal aprovou um montante de quase R$ 2 milhões para a construção.


O prefeito Genir Loli esteve em Brasília na última semana e recebeu a confirmação. “Estivemos no Conselho Federal dos Direitos Difusos, no Ministério da Justiça, para defender o projeto do cemitério vertical que, por ser muito bem escrito, foi elogiado, inclusive a relatora afirmou que o projeto vai servir de base para todo o país. Todas as cidades que têm problemas com cemitérios podem se espelhar neste projeto, que é inovador e audacioso. Temos a consciência de que esse é um tema que mexe com o sentimento dos nossos munícipes. Esse não é o nosso desejo, ao contrário, nos sensibilizamos com todos os moradores que perderam seus familiares e amigos, mas nosso cemitério municipal está com a capacidade esgotada e está situado dentro de uma Área de Preservação Permanente (APP), por isso, o órgão ambiental notificou o município e deu prazo de máximo cinco anos para a retirada dos corpos da referida área”, explica Loli.


O prefeito destaca quais são os próximos passos para seguir com o projeto do cemitério vertical. “Toda a região sabe que Lindóia do Sul não tem um cemitério adequado para enterros dentro do perímetro urbano e nós da Administração Municipal fomos buscar essa solução, dentro da inovação, e daqui uns dias o Ministério fará o convênio, então vamos assinar a documentação na Caixa e começar a tramitação para providenciar o processo de licitação da obra. Agradecimento também ao gabinete do senador Jorginho Mello que deu todo o apoio e auxílio nas tratativas e liberação desse projeto”, pontua. “Uma empresa especializada vai fazer a exumação dos corpos, com acompanhamento da Prefeitura e das famílias, tudo conforme prevê a legislação. Pretendemos licitar e começar a construção até o fim do ano”, finaliza.


15 ago 19 | 5h40 Por Cristiano Mortari

Prefeitura de Lindóia pode iniciar construção do cemitério vertical ainda neste ano

O Governo Federal anunciou a liberação de quase R$ 2 milhões para o projeto

Prefeitura de Lindóia pode iniciar construção do cemitério vertical ainda neste ano

O projeto do cemitério vertical de Lindóia do Sul pode sair do papel em breve. A Prefeitura trabalha para viabilizar questões ambientais e recursos e nos últimos dias o Governo Federal aprovou um montante de quase R$ 2 milhões para a construção.


O prefeito Genir Loli esteve em Brasília na última semana e recebeu a confirmação. “Estivemos no Conselho Federal dos Direitos Difusos, no Ministério da Justiça, para defender o projeto do cemitério vertical que, por ser muito bem escrito, foi elogiado, inclusive a relatora afirmou que o projeto vai servir de base para todo o país. Todas as cidades que têm problemas com cemitérios podem se espelhar neste projeto, que é inovador e audacioso. Temos a consciência de que esse é um tema que mexe com o sentimento dos nossos munícipes. Esse não é o nosso desejo, ao contrário, nos sensibilizamos com todos os moradores que perderam seus familiares e amigos, mas nosso cemitério municipal está com a capacidade esgotada e está situado dentro de uma Área de Preservação Permanente (APP), por isso, o órgão ambiental notificou o município e deu prazo de máximo cinco anos para a retirada dos corpos da referida área”, explica Loli.


O prefeito destaca quais são os próximos passos para seguir com o projeto do cemitério vertical. “Toda a região sabe que Lindóia do Sul não tem um cemitério adequado para enterros dentro do perímetro urbano e nós da Administração Municipal fomos buscar essa solução, dentro da inovação, e daqui uns dias o Ministério fará o convênio, então vamos assinar a documentação na Caixa e começar a tramitação para providenciar o processo de licitação da obra. Agradecimento também ao gabinete do senador Jorginho Mello que deu todo o apoio e auxílio nas tratativas e liberação desse projeto”, pontua. “Uma empresa especializada vai fazer a exumação dos corpos, com acompanhamento da Prefeitura e das famílias, tudo conforme prevê a legislação. Pretendemos licitar e começar a construção até o fim do ano”, finaliza.