Região

21 jan 22 | 11h36 Por Cristiano Mortari

Prefeitura de Alto Bela Vista viabiliza loteamento social no município

Famílias já se cadastraram e em breve poderão construir as casas

Prefeitura de Alto Bela Vista viabiliza loteamento social no município
Imprimir

A Prefeitura de Alto Bela Vista divulgou há alguns dias, que o loteamento social do município está definitivamente pronto para receber moradias. Algumas famílias já passaram pelo processo de seleção e podem adquirir terrenos e construir as casas.

 

O loteamento social, que visa beneficiar famílias com maior vulnerabilidade social, é um projeto que foi iniciado ainda em 2009, quando a Prefeitura adquiriu uma área de terra para disponibilizar às pessoas que precisam de auxílio para ter a própria moradia. De lá para cá, em função de procedimentos burocráticos, nenhuma casa foi construída no local.

 

 Ainda no final de 2021, a Prefeitura abriu as inscrições para que famílias interessadas manifestassem interesse em adquirir um espaço no loteamento. Os inscritos passaram por entrevistas e a Assistência Social e o Conselho de Habitação analisaram a situação deles. De acordo com a Prefeitura, as famílias contempladas também apresentaram documentos que justificam a necessidade de um imóvel com preço social.

 

Segundo o prefeito de Alto Bela Vista, Elton Mattes, agora a questão burocrática está concluída e as famílias que necessitam, vão poder usufruir do loteamento. “Sabemos que é o sonho de várias famílias e já no primeiro ano de gestão trabalhamos neste projeto junto com a Assistência Social e Habitação. Além de desenrolar as questões burocráticas, formamos um conselho para analisar a situação dos inscritos no projeto”, conta ele. “Desde 2009 a situação estava parada e agora vamos chegar ao objetivo do terreno, que é a utilização para o loteamento social”, comemora Mattes.

 

 As famílias selecionadas para integrar o projeto já assinaram os contratos de aquisição dos terrenos com preço social. O sorteio dos lotes também já foi feito. Agora elas têm 10 anos para pagar o espaço e a principal regra é que ele seja realmente utilizado para moradia. O prazo para a construção é de três anos.

 

Dentre as famílias selecionadas, três vão receber o terreno e também a moradia, já que apresentaram situação de vulnerabilidade social que as impede de comprar o lote e construir a casa.


21 jan 22 | 11h36 Por Cristiano Mortari

Prefeitura de Alto Bela Vista viabiliza loteamento social no município

Famílias já se cadastraram e em breve poderão construir as casas

Prefeitura de Alto Bela Vista viabiliza loteamento social no município

A Prefeitura de Alto Bela Vista divulgou há alguns dias, que o loteamento social do município está definitivamente pronto para receber moradias. Algumas famílias já passaram pelo processo de seleção e podem adquirir terrenos e construir as casas.

 

O loteamento social, que visa beneficiar famílias com maior vulnerabilidade social, é um projeto que foi iniciado ainda em 2009, quando a Prefeitura adquiriu uma área de terra para disponibilizar às pessoas que precisam de auxílio para ter a própria moradia. De lá para cá, em função de procedimentos burocráticos, nenhuma casa foi construída no local.

 

 Ainda no final de 2021, a Prefeitura abriu as inscrições para que famílias interessadas manifestassem interesse em adquirir um espaço no loteamento. Os inscritos passaram por entrevistas e a Assistência Social e o Conselho de Habitação analisaram a situação deles. De acordo com a Prefeitura, as famílias contempladas também apresentaram documentos que justificam a necessidade de um imóvel com preço social.

 

Segundo o prefeito de Alto Bela Vista, Elton Mattes, agora a questão burocrática está concluída e as famílias que necessitam, vão poder usufruir do loteamento. “Sabemos que é o sonho de várias famílias e já no primeiro ano de gestão trabalhamos neste projeto junto com a Assistência Social e Habitação. Além de desenrolar as questões burocráticas, formamos um conselho para analisar a situação dos inscritos no projeto”, conta ele. “Desde 2009 a situação estava parada e agora vamos chegar ao objetivo do terreno, que é a utilização para o loteamento social”, comemora Mattes.

 

 As famílias selecionadas para integrar o projeto já assinaram os contratos de aquisição dos terrenos com preço social. O sorteio dos lotes também já foi feito. Agora elas têm 10 anos para pagar o espaço e a principal regra é que ele seja realmente utilizado para moradia. O prazo para a construção é de três anos.

 

Dentre as famílias selecionadas, três vão receber o terreno e também a moradia, já que apresentaram situação de vulnerabilidade social que as impede de comprar o lote e construir a casa.