Região

16 fev 21 | 10h30 Por Jocimar Soares

OUÇA: Estado não descarta interdição, caso problema se agrave na cabeceira da ponte

Secretaria de Estado da Infraestrutura diz que vai monitorar as condições da cabeceira da ponte de acesso a Arabutã, na SC 154

OUÇA: Estado não descarta interdição, caso problema se agrave na cabeceira da ponte
Escute
Imprimir

A Secretaria de Estado da Infraestrutura não descarta a interdição da ponte de acesso à Arabutã, na SC 154, caso o problema em uma das cabeceiras continue, como vem ocorrendo nos últimos anos. Uma das entradas da ponte está cedendo e o problema agravou no ano passado.


Conforme já informado pela Rádio Aliança, o caso ganhou repercussão nos últimos dias através de imagens de rachaduras na estrutura da ponte e de problemas em uma das cabeceiras, que está cedendo. Cada vez que o local abaixa, um trabalho paliativo é realizado pela Prefeitura para dar trafegabilidade no local. 


Em entrevista ao Jornal Primeira Hora da Aliança FM, o coordenador Regional para o Oeste, da Secretaria de Estado da Infraestrutura, Eliseu Bilibio, destacou que tudo vai depender do comportamento estrutural da cabeceira. Se continuar cedendo, a hipótese de interdição do trânsito no local não está descartada (OUÇA).

16 fev 21 | 10h30 Por Jocimar Soares

OUÇA: Estado não descarta interdição, caso problema se agrave na cabeceira da ponte

Secretaria de Estado da Infraestrutura diz que vai monitorar as condições da cabeceira da ponte de acesso a Arabutã, na SC 154

OUÇA: Estado não descarta interdição, caso problema se agrave na cabeceira da ponte

A Secretaria de Estado da Infraestrutura não descarta a interdição da ponte de acesso à Arabutã, na SC 154, caso o problema em uma das cabeceiras continue, como vem ocorrendo nos últimos anos. Uma das entradas da ponte está cedendo e o problema agravou no ano passado.


Conforme já informado pela Rádio Aliança, o caso ganhou repercussão nos últimos dias através de imagens de rachaduras na estrutura da ponte e de problemas em uma das cabeceiras, que está cedendo. Cada vez que o local abaixa, um trabalho paliativo é realizado pela Prefeitura para dar trafegabilidade no local. 


Em entrevista ao Jornal Primeira Hora da Aliança FM, o coordenador Regional para o Oeste, da Secretaria de Estado da Infraestrutura, Eliseu Bilibio, destacou que tudo vai depender do comportamento estrutural da cabeceira. Se continuar cedendo, a hipótese de interdição do trânsito no local não está descartada (OUÇA).