Região

12 ago 20 | 7h45 Por Cristiano Mortari

"Não temos nada a esconder" , diz prefeita de Arabutã sobre CPI instaurada pela Câmara

Leani Schmidt concedeu entrevista à Aliança e destacou que o vereador que anunciou a CPI foi contador da Prefeitura

"Não temos nada a esconder" , diz prefeita de Arabutã sobre CPI instaurada pela Câmara
Imprimir

A prefeita de Arabutã, Leani Schmidt, participou do Jornal Primeira Hora da Rádio Aliança na manhã desta quarta-feira, dia 12, para falar sobre a CPI instaurada pela Câmara de Vereadores do município, que vai apurar possíveis irregularidades na contratação de um profissional e pagamento de horas de um programa da Educação. Leani destacou que sabe da obrigação dos vereadores, que é de fiscalizar, e disse que a Administração não tem nada a esconder.


A CPI foi proposta pela bancada do MDB que quer averiguar o procedimento de contratação dos programa de educação, através de licitações e o pagamento de horas deste programa. Os vereadores também questionam a contratação de um profissional de Programação Neurolinguística. "O governo municipal aceita com naturalidade a abertura da CPI ara apurar fatos relacionados ao Programa Educação para Todos. Os vereadores estão exercendo a nobre missão que é a de fiscalizar os atos do Executivo. Não temos nada a esconder", disse a prefeita durante a entrevista. "Agimos com transparência e responsabilidade e estamos à disposição para qualquer esclarecimento que seja necessário", frisou.


Sobre o projeto em questão e que gerou dúvidas aos vereadores, em função das licitações executadas, a prefeita comentou que a primeira tomada de preço precisou ser cancelada em função do valor de horas, que estaria abaixo do valor do mercado. "O FIA, Fundo da Infância e da Adolescência, apresentou para a Engie, prestadora de serviços da Usina de Itá, em 2018, o projeto Educação para Todos, para a captação de recursos. A Engie aprovou o projeto focado em Neurolinguística, e repassou R$ 150 mil. O município lançou um pregão para contratar um empresa para executar o projeto. O critério de seleção era o menor preço. Essa licitação teve que ser revogada, a pedido da fiscalização do projeto, pois o valor da hora técnica estava muito abaixo do que os valores praticados no mercado e o município teria que estar devolvendo recursos para a Engie. Então foi lançado nova licitação, na modalidade de tomada de preço, com critério de julgamento, de melhor técnica e preço, que é a recomendada para a contratação de serviços técnicos", explicou.


A prefeita também falou do pagamento das horas. "O vereador Felipe Patzlaff questionou as horas trabalhadas. O projeto prevê a execução de hora aula e não hora normal. Todas as atividades foram acompanhadas pelo fiscal do contrato, que também aprovou todos os pagamentos. Cabe destacar também que a Engie aprovou a prestação de contas", argumentou Leani.


Ainda durante a entrevista a chefe do Executivo alfinetou os adversários. "Aprovamos a CPI, assim como outras investigações que tramitam, averiguando irregularidades ainda em relação a ex-gestores. Vamos averiguar o projeto da água de Guaraipo, ruas pavimentadas, enfim, temos isso pela frente. E quero destacar também, que o líder da bancada do MDB, senhor Felipe Patzlaff, que apresentou a CPI na segunda-feira, foi meu contador, indicado por mim, por quase três anos e meio. Ele é que assinava todos os empenhos na época e com certeza ele não ia compactuar com irregularidades", finalizou.



A Prefeitura também encaminhou uma nota na manhã desta quarta-feira, sobre a CPI. Confira abaixo:


A Administração Municipal de Arabutã, por meio desta nota, se manifesta sobre a matéria acerca da contratação de um profissional de Programação Neurolinguística para atuação em um programa voltado ao setor de Educação, desenvolvido pela Municipalidade.


A Administração Municipal compreende e respeita o papel fiscalizador do Legislativo Municipal. A fiscalização das ações é uma iniciativa que colabora para que o Poder Público reforce todos os protocolos, que já são de praxe desta Administração, para garantir a lisura e a transparência em todos os atos.


É dever do Poder Legislativo fiscalizar, assim como serão fiscalizadas as obras, executadas em anos anteriores como: a canalização de água em Linha Guaraipo, o asfalto do Bairro Petry, dentre outros processos relacionados a períodos anteriores à atual administração, que serão objetos de investigação. 


A Administração prima pelo vigor no cumprimento da lei em todos os processos que desenvolve. O Executivo tem agido com total transparência e responsabilidade, transmitindo tranquilidade e confiança à população. Informamos ainda que ficamos à disposição para quaisquer esclarecimentos que sejam necessários.


Por fim, a Administração Municipal mantém o compromisso de trazer profissionais com expressivo conhecimento em suas respectivas áreas para que esses conteúdos sejam multiplicados aos nossos profissionais e, por consequência, à sociedade em geral. Acreditamos que, dessa forma, caminhamos para o aprimoramento das nossas ações, buscando sempre priorizar uma gestão moderna, transparente e eficiente.

12 ago 20 | 7h45 Por Cristiano Mortari

"Não temos nada a esconder" , diz prefeita de Arabutã sobre CPI instaurada pela Câmara

Leani Schmidt concedeu entrevista à Aliança e destacou que o vereador que anunciou a CPI foi contador da Prefeitura

"Não temos nada a esconder" , diz prefeita de Arabutã sobre CPI instaurada pela Câmara

A prefeita de Arabutã, Leani Schmidt, participou do Jornal Primeira Hora da Rádio Aliança na manhã desta quarta-feira, dia 12, para falar sobre a CPI instaurada pela Câmara de Vereadores do município, que vai apurar possíveis irregularidades na contratação de um profissional e pagamento de horas de um programa da Educação. Leani destacou que sabe da obrigação dos vereadores, que é de fiscalizar, e disse que a Administração não tem nada a esconder.


A CPI foi proposta pela bancada do MDB que quer averiguar o procedimento de contratação dos programa de educação, através de licitações e o pagamento de horas deste programa. Os vereadores também questionam a contratação de um profissional de Programação Neurolinguística. "O governo municipal aceita com naturalidade a abertura da CPI ara apurar fatos relacionados ao Programa Educação para Todos. Os vereadores estão exercendo a nobre missão que é a de fiscalizar os atos do Executivo. Não temos nada a esconder", disse a prefeita durante a entrevista. "Agimos com transparência e responsabilidade e estamos à disposição para qualquer esclarecimento que seja necessário", frisou.


Sobre o projeto em questão e que gerou dúvidas aos vereadores, em função das licitações executadas, a prefeita comentou que a primeira tomada de preço precisou ser cancelada em função do valor de horas, que estaria abaixo do valor do mercado. "O FIA, Fundo da Infância e da Adolescência, apresentou para a Engie, prestadora de serviços da Usina de Itá, em 2018, o projeto Educação para Todos, para a captação de recursos. A Engie aprovou o projeto focado em Neurolinguística, e repassou R$ 150 mil. O município lançou um pregão para contratar um empresa para executar o projeto. O critério de seleção era o menor preço. Essa licitação teve que ser revogada, a pedido da fiscalização do projeto, pois o valor da hora técnica estava muito abaixo do que os valores praticados no mercado e o município teria que estar devolvendo recursos para a Engie. Então foi lançado nova licitação, na modalidade de tomada de preço, com critério de julgamento, de melhor técnica e preço, que é a recomendada para a contratação de serviços técnicos", explicou.


A prefeita também falou do pagamento das horas. "O vereador Felipe Patzlaff questionou as horas trabalhadas. O projeto prevê a execução de hora aula e não hora normal. Todas as atividades foram acompanhadas pelo fiscal do contrato, que também aprovou todos os pagamentos. Cabe destacar também que a Engie aprovou a prestação de contas", argumentou Leani.


Ainda durante a entrevista a chefe do Executivo alfinetou os adversários. "Aprovamos a CPI, assim como outras investigações que tramitam, averiguando irregularidades ainda em relação a ex-gestores. Vamos averiguar o projeto da água de Guaraipo, ruas pavimentadas, enfim, temos isso pela frente. E quero destacar também, que o líder da bancada do MDB, senhor Felipe Patzlaff, que apresentou a CPI na segunda-feira, foi meu contador, indicado por mim, por quase três anos e meio. Ele é que assinava todos os empenhos na época e com certeza ele não ia compactuar com irregularidades", finalizou.



A Prefeitura também encaminhou uma nota na manhã desta quarta-feira, sobre a CPI. Confira abaixo:


A Administração Municipal de Arabutã, por meio desta nota, se manifesta sobre a matéria acerca da contratação de um profissional de Programação Neurolinguística para atuação em um programa voltado ao setor de Educação, desenvolvido pela Municipalidade.


A Administração Municipal compreende e respeita o papel fiscalizador do Legislativo Municipal. A fiscalização das ações é uma iniciativa que colabora para que o Poder Público reforce todos os protocolos, que já são de praxe desta Administração, para garantir a lisura e a transparência em todos os atos.


É dever do Poder Legislativo fiscalizar, assim como serão fiscalizadas as obras, executadas em anos anteriores como: a canalização de água em Linha Guaraipo, o asfalto do Bairro Petry, dentre outros processos relacionados a períodos anteriores à atual administração, que serão objetos de investigação. 


A Administração prima pelo vigor no cumprimento da lei em todos os processos que desenvolve. O Executivo tem agido com total transparência e responsabilidade, transmitindo tranquilidade e confiança à população. Informamos ainda que ficamos à disposição para quaisquer esclarecimentos que sejam necessários.


Por fim, a Administração Municipal mantém o compromisso de trazer profissionais com expressivo conhecimento em suas respectivas áreas para que esses conteúdos sejam multiplicados aos nossos profissionais e, por consequência, à sociedade em geral. Acreditamos que, dessa forma, caminhamos para o aprimoramento das nossas ações, buscando sempre priorizar uma gestão moderna, transparente e eficiente.