Região

16 out 20 | 10h38 Por Cristiano Mortari

Ministério Público abre Inquérito Civil Público contra a Câmara de Vereadores de Ipira

Investigação foi impulsionada por uma denúncia que relata falta de transparência e descumprimento do regimento interno

Ministério Público abre Inquérito Civil Público contra a Câmara de Vereadores de Ipira
Imprimir

Uma denúncia anônima contra a Câmara de Vereadores de Ipira levou o Ministério Público da Comarca de Capinzal, a instaurar um Inquérito Civil Público, para apurar possíveis descumprimentos na Lei de Transparência e a Lei de Acesso à Informação.


De acordo com a denúncia, a falta transparência nos atos do poder Legislativo do município estaria prejudicando os interesses dos cidadãos ipirenses. Para justificar, o denunciante cita o fato de não haver transmissão ao vivo das Sessões por meio das novas tecnologias. A denúncia também registra a desatualização do site do Poder Legislativo.


Outra situação levantada pela denúncia anônima, é a de que a tramitação de alguns projetos de lei não cumprem o cronograma estabelecido pelo regimento da casa.


De acordo com a presidente da Câmara, Janete Angeli da Mota, as solicitações feitas pelo Ministério Público serão analisadas e adequadas conforme a necessidade.


Informações: Jornal Comunidade



16 out 20 | 10h38 Por Cristiano Mortari

Ministério Público abre Inquérito Civil Público contra a Câmara de Vereadores de Ipira

Investigação foi impulsionada por uma denúncia que relata falta de transparência e descumprimento do regimento interno

Ministério Público abre Inquérito Civil Público contra a Câmara de Vereadores de Ipira

Uma denúncia anônima contra a Câmara de Vereadores de Ipira levou o Ministério Público da Comarca de Capinzal, a instaurar um Inquérito Civil Público, para apurar possíveis descumprimentos na Lei de Transparência e a Lei de Acesso à Informação.


De acordo com a denúncia, a falta transparência nos atos do poder Legislativo do município estaria prejudicando os interesses dos cidadãos ipirenses. Para justificar, o denunciante cita o fato de não haver transmissão ao vivo das Sessões por meio das novas tecnologias. A denúncia também registra a desatualização do site do Poder Legislativo.


Outra situação levantada pela denúncia anônima, é a de que a tramitação de alguns projetos de lei não cumprem o cronograma estabelecido pelo regimento da casa.


De acordo com a presidente da Câmara, Janete Angeli da Mota, as solicitações feitas pelo Ministério Público serão analisadas e adequadas conforme a necessidade.


Informações: Jornal Comunidade