Região

28 ago 20 | 10h28 Por Cristiano Mortari

Ex-prefeito e ex-secretário de Saúde de Arabutã são condenados por suposta fraude em licitação

Processo analisa possível favorecimento a um laboratório do município. Se a decisão for mantida, os gestores terão que devolver cerca de R$ 270 mil

Ex-prefeito e ex-secretário de Saúde de Arabutã são condenados por suposta fraude em licitação
Imprimir

A Justiça da Comarca de Ipumirim condenou o ex-prefeito de Arabutã, Jackson Patzlaff, e o ex-secretário de saúde do município, Lairton Bueno, em um processo que apurava possíveis irregularidades na contratação de um laboratório que prestava serviços para a Prefeitura. De acordo com a decisão, ambos terão que devolver R$ 268 mil aos cofres públicos. Os ex-gestores ainda podem recorrer.


O processo analisava a contratação de um laboratório que fazia análises clínicas em Arabutã entre 2014 e 2015. A denúncia relatava que este laboratório era da esposa do secretário de Saúde da época e que a licitação continha cláusulas que restringiam a participação de empresas que não fossem de Arabutã.


O ex-prefeito nega que houve fraude na licitação e na contratação da empresa. “A assessoria jurídica irá contestar a decisão da Justiça de Ipumirim. Não houve superfaturamento e muito menos desvio de dinheiro público no caso envolvendo a contratação do laboratório. Os serviços foram prestados à comunidade de Arabutã durante o período estabelecido pelo contrato e os valores foram pagos conforme a demanda”, diz Jackson Patzlaff.  “Acreditamos na Justiça e temos convicção de que o caso será revisto junto ao Tribunal em Florianópolis”, ressaltou

28 ago 20 | 10h28 Por Cristiano Mortari

Ex-prefeito e ex-secretário de Saúde de Arabutã são condenados por suposta fraude em licitação

Processo analisa possível favorecimento a um laboratório do município. Se a decisão for mantida, os gestores terão que devolver cerca de R$ 270 mil

Ex-prefeito e ex-secretário de Saúde de Arabutã são condenados por suposta fraude em licitação

A Justiça da Comarca de Ipumirim condenou o ex-prefeito de Arabutã, Jackson Patzlaff, e o ex-secretário de saúde do município, Lairton Bueno, em um processo que apurava possíveis irregularidades na contratação de um laboratório que prestava serviços para a Prefeitura. De acordo com a decisão, ambos terão que devolver R$ 268 mil aos cofres públicos. Os ex-gestores ainda podem recorrer.


O processo analisava a contratação de um laboratório que fazia análises clínicas em Arabutã entre 2014 e 2015. A denúncia relatava que este laboratório era da esposa do secretário de Saúde da época e que a licitação continha cláusulas que restringiam a participação de empresas que não fossem de Arabutã.


O ex-prefeito nega que houve fraude na licitação e na contratação da empresa. “A assessoria jurídica irá contestar a decisão da Justiça de Ipumirim. Não houve superfaturamento e muito menos desvio de dinheiro público no caso envolvendo a contratação do laboratório. Os serviços foram prestados à comunidade de Arabutã durante o período estabelecido pelo contrato e os valores foram pagos conforme a demanda”, diz Jackson Patzlaff.  “Acreditamos na Justiça e temos convicção de que o caso será revisto junto ao Tribunal em Florianópolis”, ressaltou