Região

15 mai 20 | 11h05 Por Cristiano Mortari

Epagri de Xavantina orienta agricultores através de videoconferência

Produtores aprovaram a iniciativa e pediram mais conteúdo pela internet

Epagri de Xavantina orienta agricultores através de videoconferência
Imprimir

Com esta pandemia do coronavírus e a impossibilidade de reunir as pessoas, muita coisa tem mudado. É preciso se reinventar e ter criatividade para seguir com o trabalho e outras atividades. São aulas, reuniões, sessões de câmara de vereadores, entre outras ações, que estão sendo realizadas de forma online. Um exemplo é o da Epagri de Xavantina, que tem repassado as orientações aos agricultores, através de videoconferência. A primeira experiência foi realizada nesta semana.


Os técnicos e extensionistas rurais não têm visitado os agricultores como de costume, mas as informações que eles necessitam, têm chagado às propriedades através da internet. “A agricultura é uma atividade essencial e a Epagri desenvolve atividades de capacitação e é responsável por políticas públicas de desenvolvimento da atividade. Neste sentido, realizamos a videoconferência na quarta-feira, para levar as orientações necessárias e o conteúdo técnico aos produtores”, conta o engenheiro Agrônomo da Epagri de Xavantina Ângelo Brambila Reck.


Ele destaca que os temas abordados foram relacionados, principalmente à bovinocultura de leite, principal atividade no município, junto com a suinocultura. “A gente repassou conteúdo de manejos, planejamento forrageiro, sistema de produção de pasto para a produção de leite, correção de solo, implantação de pastagens, além de abordar programas do governo, como o Troca-Troca, por exemplo”, relata Reck.


O engenheiro agrônomo comenta que os agricultores aprovaram a ideia da videoconferência e adianta que novas ações poderão ser realizadas. “Podemos usar essa ferramenta que é a internet e levar o conteúdo, a experiência foi bem sucedida. Os agricultores gostaram, interagiram, fizeram perguntas e até sugeriram outros temas. Recebemos ligações de pessoas elogiando a iniciativa”, conta. “Estamos nos organizando para abranger novos conteúdos, como qualidade do leite, parte de lavoura, entre outros, e aí promover mais uma capacitação de forma remota”, ressalta Ângelo.


15 mai 20 | 11h05 Por Cristiano Mortari

Epagri de Xavantina orienta agricultores através de videoconferência

Produtores aprovaram a iniciativa e pediram mais conteúdo pela internet

Epagri de Xavantina orienta agricultores através de videoconferência

Com esta pandemia do coronavírus e a impossibilidade de reunir as pessoas, muita coisa tem mudado. É preciso se reinventar e ter criatividade para seguir com o trabalho e outras atividades. São aulas, reuniões, sessões de câmara de vereadores, entre outras ações, que estão sendo realizadas de forma online. Um exemplo é o da Epagri de Xavantina, que tem repassado as orientações aos agricultores, através de videoconferência. A primeira experiência foi realizada nesta semana.


Os técnicos e extensionistas rurais não têm visitado os agricultores como de costume, mas as informações que eles necessitam, têm chagado às propriedades através da internet. “A agricultura é uma atividade essencial e a Epagri desenvolve atividades de capacitação e é responsável por políticas públicas de desenvolvimento da atividade. Neste sentido, realizamos a videoconferência na quarta-feira, para levar as orientações necessárias e o conteúdo técnico aos produtores”, conta o engenheiro Agrônomo da Epagri de Xavantina Ângelo Brambila Reck.


Ele destaca que os temas abordados foram relacionados, principalmente à bovinocultura de leite, principal atividade no município, junto com a suinocultura. “A gente repassou conteúdo de manejos, planejamento forrageiro, sistema de produção de pasto para a produção de leite, correção de solo, implantação de pastagens, além de abordar programas do governo, como o Troca-Troca, por exemplo”, relata Reck.


O engenheiro agrônomo comenta que os agricultores aprovaram a ideia da videoconferência e adianta que novas ações poderão ser realizadas. “Podemos usar essa ferramenta que é a internet e levar o conteúdo, a experiência foi bem sucedida. Os agricultores gostaram, interagiram, fizeram perguntas e até sugeriram outros temas. Recebemos ligações de pessoas elogiando a iniciativa”, conta. “Estamos nos organizando para abranger novos conteúdos, como qualidade do leite, parte de lavoura, entre outros, e aí promover mais uma capacitação de forma remota”, ressalta Ângelo.