Região

18 nov 19 | 6h00 Por Jocimar Soares

Duas escolas da região contempladas com o Novo Ensino Médio a partir de 2020

Em Santa Catarina, sistemática será implementada em 120 escolas.

Duas escolas da região contempladas com o Novo Ensino Médio a partir de 2020
Imprimir

Duas escolas da região de Concórdia vão ser contempladas com o novo Ensino Médio, a partir de 2020. A sistemática foi confirmada na última semana para 120 escolas da Rede Estadual de Ensino. Da Amauc estão contempladas as escolas Olavo Cecco Rigon (Concórdia) e Benjamim Carvalho de Oliveira (Ipumirim).


O modelo tem uma carga horária maior, currículo mais flexível organizado por áreas do conhecimento, no lugar de disciplinas, e é voltado para as necessidades, competências e habilidades essenciais a serem desenvolvidas pelo aluno.


Essa política foi definida na Lei nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017, que estabelece que todas as escolas do país devem adotar o modelo até 2022. 


No dia a dia dos estudantes, uma das principais mudanças será a carga horária, das atuais 800 horas/aula/ano para mil horas. As horas/aula distribuem-se entre a Formação Geral Básica (mínimo de 1,8 mil horas nos três anos); e a Formação Específica via Itinerários Formativos, contemplando habilidades próprias a uma ou mais áreas de conhecimento ou formação técnica e profissional (mínimo de 1,2 mil horas nos três anos).

18 nov 19 | 6h00 Por Jocimar Soares

Duas escolas da região contempladas com o Novo Ensino Médio a partir de 2020

Em Santa Catarina, sistemática será implementada em 120 escolas.

Duas escolas da região contempladas com o Novo Ensino Médio a partir de 2020

Duas escolas da região de Concórdia vão ser contempladas com o novo Ensino Médio, a partir de 2020. A sistemática foi confirmada na última semana para 120 escolas da Rede Estadual de Ensino. Da Amauc estão contempladas as escolas Olavo Cecco Rigon (Concórdia) e Benjamim Carvalho de Oliveira (Ipumirim).


O modelo tem uma carga horária maior, currículo mais flexível organizado por áreas do conhecimento, no lugar de disciplinas, e é voltado para as necessidades, competências e habilidades essenciais a serem desenvolvidas pelo aluno.


Essa política foi definida na Lei nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017, que estabelece que todas as escolas do país devem adotar o modelo até 2022. 


No dia a dia dos estudantes, uma das principais mudanças será a carga horária, das atuais 800 horas/aula/ano para mil horas. As horas/aula distribuem-se entre a Formação Geral Básica (mínimo de 1,8 mil horas nos três anos); e a Formação Específica via Itinerários Formativos, contemplando habilidades próprias a uma ou mais áreas de conhecimento ou formação técnica e profissional (mínimo de 1,2 mil horas nos três anos).