Região

12 ago 20 | 20h15 Por Cristiano Mortari

Dos 18 estabelecimentos de hospedagem de Piratuba, apenas quatro estão recebendo turistas

Setor já fez demissões e também aguarda a reabertura do Parque Termal

Dos 18 estabelecimentos de hospedagem de Piratuba, apenas quatro estão recebendo turistas
Imprimir

Além do comércio que fica na região do Balneário, outro setor que também sofreu os efeitos econômicos da pandemia do Coronavírus, é o da hospedagem. A maioria dos hotéis e pousadas está fechada e demissões já aconteceram. Os empresários do ramo também aguardam a reabertura do Parque Termal para a retomada do turismo local.


De acordo com o presidente da Associação de Hotéis de Piratuba, Valter Schafer, apenas quatro empresas do setor estão abertas. “Piratuba dispõe de uma rede de hospedagem de 18 estabelecimentos oficialmente cadastrados. Durante o período de pandemia, quatro estão trabalhando. Embora o complexo das Termas não esteja operando, a movimentação de turistas na cidade é razoável. Eles visitam Piratuba em busca da tranquilidade e gastronomia”, comenta.


Só a rede hoteleira de Piratuba chegou a contar com mais de 600 colaboradores. Schafer não fala em números, mas confirma que as demissões são inevitáveis com o baixo movimento. “Com a pandemia, infelizmente houve perdas de postos de trabalho e licenças. A expectativa, após a retomada, é a de que novas contratações sejam feitas para atender a demanda e voltar ao cenário anterior”, adianta ele.


O Parque Termal:

O complexo foi fechado em março, no início da pandemia. Depois de quase quatro meses fechada, a estrutura foi reabertura no dia 11 de julho. No dia 25 do mesmo mês, o Ministério Público solicitou a paralisação da empresa, através de uma liminar. A promotora da 2ª Promotoria de Justiça da Comarca de Capinzal, Karla Bardio Meirelles, sustentou na ação, que o decreto do Município de Piratuba que autorizou o funcionamento do Parque Termal, contraria o disposto em decreto estadual, que prevê medidas preventivas na região do Alto Uruguai, da qual Piratuba faz parte. A Companhia Hidromineral está recorrendo. A CDL também se mobilizou e realizou uma carreata com a participação de comerciantes, solicitando a reabertura do Parque Termal. O comércio está aberto em Piratuba, mas também já demitiu funcionários e viu algumas portas se fechando.


A retomada:

Valter Schafer destaca que o turismo está sendo muito prejudicado com a pandemia. Ele relata que acredita em uma retomada, mas frisa que isso depende de alguns fatores e adianta que ela será lenta e gradual. “A Associação de Hotéis tem como meta a retomada gradativa do turismo. Para tanto, entende que a volta dos trabalhos nas Termas de Piratuba é crucial para que a cidade volte a oferecer plenamente seus atrativos. Nossa cidade sempre proporcionou belos atrativos turísticos que serão novamente visitados. Basta que o cenário de saúde melhore e as pessoas tenham novamente vontade de desfrutar de toda nossa infraestrutura, com segurança e tranqüilidade”, finaliza ele.

12 ago 20 | 20h15 Por Cristiano Mortari

Dos 18 estabelecimentos de hospedagem de Piratuba, apenas quatro estão recebendo turistas

Setor já fez demissões e também aguarda a reabertura do Parque Termal

Dos 18 estabelecimentos de hospedagem de Piratuba, apenas quatro estão recebendo turistas

Além do comércio que fica na região do Balneário, outro setor que também sofreu os efeitos econômicos da pandemia do Coronavírus, é o da hospedagem. A maioria dos hotéis e pousadas está fechada e demissões já aconteceram. Os empresários do ramo também aguardam a reabertura do Parque Termal para a retomada do turismo local.


De acordo com o presidente da Associação de Hotéis de Piratuba, Valter Schafer, apenas quatro empresas do setor estão abertas. “Piratuba dispõe de uma rede de hospedagem de 18 estabelecimentos oficialmente cadastrados. Durante o período de pandemia, quatro estão trabalhando. Embora o complexo das Termas não esteja operando, a movimentação de turistas na cidade é razoável. Eles visitam Piratuba em busca da tranquilidade e gastronomia”, comenta.


Só a rede hoteleira de Piratuba chegou a contar com mais de 600 colaboradores. Schafer não fala em números, mas confirma que as demissões são inevitáveis com o baixo movimento. “Com a pandemia, infelizmente houve perdas de postos de trabalho e licenças. A expectativa, após a retomada, é a de que novas contratações sejam feitas para atender a demanda e voltar ao cenário anterior”, adianta ele.


O Parque Termal:

O complexo foi fechado em março, no início da pandemia. Depois de quase quatro meses fechada, a estrutura foi reabertura no dia 11 de julho. No dia 25 do mesmo mês, o Ministério Público solicitou a paralisação da empresa, através de uma liminar. A promotora da 2ª Promotoria de Justiça da Comarca de Capinzal, Karla Bardio Meirelles, sustentou na ação, que o decreto do Município de Piratuba que autorizou o funcionamento do Parque Termal, contraria o disposto em decreto estadual, que prevê medidas preventivas na região do Alto Uruguai, da qual Piratuba faz parte. A Companhia Hidromineral está recorrendo. A CDL também se mobilizou e realizou uma carreata com a participação de comerciantes, solicitando a reabertura do Parque Termal. O comércio está aberto em Piratuba, mas também já demitiu funcionários e viu algumas portas se fechando.


A retomada:

Valter Schafer destaca que o turismo está sendo muito prejudicado com a pandemia. Ele relata que acredita em uma retomada, mas frisa que isso depende de alguns fatores e adianta que ela será lenta e gradual. “A Associação de Hotéis tem como meta a retomada gradativa do turismo. Para tanto, entende que a volta dos trabalhos nas Termas de Piratuba é crucial para que a cidade volte a oferecer plenamente seus atrativos. Nossa cidade sempre proporcionou belos atrativos turísticos que serão novamente visitados. Basta que o cenário de saúde melhore e as pessoas tenham novamente vontade de desfrutar de toda nossa infraestrutura, com segurança e tranqüilidade”, finaliza ele.