Região

26 nov 19 | 14h09 Por Cristiano Mortari

Companhia Hidromineral de Piratuba não exige mais exame médico para acesso às piscinas

A mudança passou a valer no início desta semana

Companhia Hidromineral de Piratuba não exige mais exame médico para acesso às piscinas
Imprimir

A partir desta semana a Companhia Hidromineral de Piratuba tem uma mudança na regra para a entrada de banhistas no complexo de piscinas. Até então, todos precisavam passar por um exame médico antes de entrar na água, mas agora não é mais necessário. A medida passou a valer na segunda-feira, dia 25.


Em entrevista ao Jornal Primeira Hora da Aliança, o diretor presidente da Companhia Hidromineral, Jair Gomes, explicou os motivos da decisão. “Fizemos uma pesquisa nos balneários de SC e em alguns do RS e constatamos que apenas o nosso e o vizinho aqui de Ouro, é que ainda exigem o exame. Outro fator que nos fez tomar a decisão, foi o tempo de espera dos banhistas na fila do exame. Em feriados ou dias de maior movimento, como agora no fim de ano, a fila era grande e algumas pessoas ficavam no sol. Isso gerava muitas reclamações”, conta Gomes.


Outro fator que também contribuiu para a extinção do exame, foi o de que a Companhia era obrigada a aceitar exames médicos que não eram da clínica do Balneário de Piratuba. “Desde 2016, atendendo a uma determinação do Ministério Público, somos obrigados a aceitar exames de outros médicos, ou de outros parques aquáticos. Então, muitos turistas chegam apresentando outros exames e nossos médicos acabaram perdendo um pouco da autonomia”, relata o diretor. “Avaliando todos estes fatores e tomamos a decisão em conjunto com o Conselho de Administração, poder público municipal, que é o maior acionista da Companhia, e também conversamos com os hoteleiros e com o presidente da CDL”, registra Jair.


Gomes frisou na entrevista, que a água das piscinas de Piratuba é trocada todos os dias e que esse procedimento será mantido. Também relatou que um trabalho de orientação aos turistas será realizado. Ele destacou ainda, que sem a obrigatoriedade do exame, o valor para a entrada nas piscinas, também fica diferente. “Todos os anos o preço é reajustado e neste isso já foi feito, mas claro que tirando o valor do exame, o custo para acessar as piscinas, vai baixar. Um ingresso adulto, incluindo o exame, custava R$ 30,00. Agora, sem a exigência da consulta, vai custar R$ 18,00”, exemplifica Jair.


O gestor também adiantou que a estrutura da clínica médica será utilizada para oferecer outros serviços. “Nossa primeira ideia era transformar em um escritório, para demandas que temos aqui, mas como a clínica já tem a estrutura preparada e regularizada para atendimentos, vamos licitar o espaço para que terapias alternativas sejam oferecidas. Serviços que existiam antigamente aqui no Parque Termal e que ainda são procurados, como massoterapia, terapia com argila, com pedras entre outras”, concluiu

26 nov 19 | 14h09 Por Cristiano Mortari

Companhia Hidromineral de Piratuba não exige mais exame médico para acesso às piscinas

A mudança passou a valer no início desta semana

Companhia Hidromineral de Piratuba não exige mais exame médico para acesso às piscinas

A partir desta semana a Companhia Hidromineral de Piratuba tem uma mudança na regra para a entrada de banhistas no complexo de piscinas. Até então, todos precisavam passar por um exame médico antes de entrar na água, mas agora não é mais necessário. A medida passou a valer na segunda-feira, dia 25.


Em entrevista ao Jornal Primeira Hora da Aliança, o diretor presidente da Companhia Hidromineral, Jair Gomes, explicou os motivos da decisão. “Fizemos uma pesquisa nos balneários de SC e em alguns do RS e constatamos que apenas o nosso e o vizinho aqui de Ouro, é que ainda exigem o exame. Outro fator que nos fez tomar a decisão, foi o tempo de espera dos banhistas na fila do exame. Em feriados ou dias de maior movimento, como agora no fim de ano, a fila era grande e algumas pessoas ficavam no sol. Isso gerava muitas reclamações”, conta Gomes.


Outro fator que também contribuiu para a extinção do exame, foi o de que a Companhia era obrigada a aceitar exames médicos que não eram da clínica do Balneário de Piratuba. “Desde 2016, atendendo a uma determinação do Ministério Público, somos obrigados a aceitar exames de outros médicos, ou de outros parques aquáticos. Então, muitos turistas chegam apresentando outros exames e nossos médicos acabaram perdendo um pouco da autonomia”, relata o diretor. “Avaliando todos estes fatores e tomamos a decisão em conjunto com o Conselho de Administração, poder público municipal, que é o maior acionista da Companhia, e também conversamos com os hoteleiros e com o presidente da CDL”, registra Jair.


Gomes frisou na entrevista, que a água das piscinas de Piratuba é trocada todos os dias e que esse procedimento será mantido. Também relatou que um trabalho de orientação aos turistas será realizado. Ele destacou ainda, que sem a obrigatoriedade do exame, o valor para a entrada nas piscinas, também fica diferente. “Todos os anos o preço é reajustado e neste isso já foi feito, mas claro que tirando o valor do exame, o custo para acessar as piscinas, vai baixar. Um ingresso adulto, incluindo o exame, custava R$ 30,00. Agora, sem a exigência da consulta, vai custar R$ 18,00”, exemplifica Jair.


O gestor também adiantou que a estrutura da clínica médica será utilizada para oferecer outros serviços. “Nossa primeira ideia era transformar em um escritório, para demandas que temos aqui, mas como a clínica já tem a estrutura preparada e regularizada para atendimentos, vamos licitar o espaço para que terapias alternativas sejam oferecidas. Serviços que existiam antigamente aqui no Parque Termal e que ainda são procurados, como massoterapia, terapia com argila, com pedras entre outras”, concluiu