Política

08 ago 19 | 10h19 Por Analu Slongo

Zagonel pede cópia da auditoria que levou ao afastamento de servidora da Saúde

Vereador diz que denúncias são graves e pede que investigações sejam transparentes e rigorosas

Zagonel pede cópia da auditoria que levou ao afastamento de servidora da Saúde
Escute
Imprimir

Os vereadores querem mais informações sobre o processo de auditoria interna da Prefeitura de Concórdia, que resultou no afastamento de uma servidora da Secretaria de Saúde por suspeita de movimentações atípicas em contas bancárias. Closmar Zagonel (MDB) usou a tribuna na sessão da quarta-feira, 7 de agosto, para pedir cópias deste processo. “Essa grave denúncia entristece toda a população. Esperamos que se faça uma investigação transparente e nos rigores da lei”, pontua.


A servidora é tesoureira concursada e, conforme publicação feita no Diário Oficial dos Municípios, há indícios de movimentações atípicas em contas bancárias do Fundo Municipal de Saúde e a conta adiantamento que seria de responsabilidade dela. Também existe “suspeita de movimentações indevidas e possível adulteração de documentos, como extratos bancários”.


Ela foi afastada por 15 dias até que sejam feitas as investigações do processo administrativo disciplinar. A servidora tem direito a defesa e neste período recebe o salário normalmente.


O processo administrativo que ocorre na Prefeitura de Concórdia é sigiloso e não há informações concretas sobre o período em quem essas irregularidades podem ter sido cometidas e se houve prejuízo aos cofres públicos. Essas dúvidas serão esclarecidas após o processo disciplinar.


08 ago 19 | 10h19 Por Analu Slongo

Zagonel pede cópia da auditoria que levou ao afastamento de servidora da Saúde

Vereador diz que denúncias são graves e pede que investigações sejam transparentes e rigorosas

Zagonel pede cópia da auditoria que levou ao afastamento de servidora da Saúde

Os vereadores querem mais informações sobre o processo de auditoria interna da Prefeitura de Concórdia, que resultou no afastamento de uma servidora da Secretaria de Saúde por suspeita de movimentações atípicas em contas bancárias. Closmar Zagonel (MDB) usou a tribuna na sessão da quarta-feira, 7 de agosto, para pedir cópias deste processo. “Essa grave denúncia entristece toda a população. Esperamos que se faça uma investigação transparente e nos rigores da lei”, pontua.


A servidora é tesoureira concursada e, conforme publicação feita no Diário Oficial dos Municípios, há indícios de movimentações atípicas em contas bancárias do Fundo Municipal de Saúde e a conta adiantamento que seria de responsabilidade dela. Também existe “suspeita de movimentações indevidas e possível adulteração de documentos, como extratos bancários”.


Ela foi afastada por 15 dias até que sejam feitas as investigações do processo administrativo disciplinar. A servidora tem direito a defesa e neste período recebe o salário normalmente.


O processo administrativo que ocorre na Prefeitura de Concórdia é sigiloso e não há informações concretas sobre o período em quem essas irregularidades podem ter sido cometidas e se houve prejuízo aos cofres públicos. Essas dúvidas serão esclarecidas após o processo disciplinar.