Política

09 jan | 9h48 Por Rádio Aliança

Secretário de Saúde diz que volta ao cargo mais confiante

Sidinei Schmidt retorna à função como indicação do partido do prefeito

Secretário de Saúde diz que volta ao cargo mais confiante
Imprimir

Depois de seis meses afastado do cargo de secretário de Saúde de Concórdia, Sidinei Schmidt (foto) retornou à função nesta segunda-feira, 7 de janeiro. Em entrevista ao Jornalismo da Rádio Aliança, Schimidt diz que volta em uma situação diferente. “Eu retorno pelo partido do prefeito, o PSDB, em uma situação mais confortável. Me sinto mais seguro até para executar o trabalho de forma mais eficaz”, afirma.

 

No início da gestão do prefeito Rogério Pacheco (PSDB) e do vice Edilson Massocco (PR) o nome de Sidinei Schmidt foi apresentado como indicação do PSB, partido que fazia parte da coligação que venceu as eleições municipais de 2016. Agora, com o rompimento após a eleição da Câmara de Vereadores, a pasta da Saúde passou a ser vinculada ao PSDB.

 

Schimidt comenta que teve divergências de opiniões com lideranças do PSB. “Tivemos algumas ideias que acabavam não batendo e questões que não deram certo. Agora eu retorno pelo PSDB e as ideias são mais semelhantes. Com isso, vou conseguir dar mais celeridade aos trabalhos e projetos”, afirma o secretário.

 

Após a saída de Sidinei Schmidt em agosto de 2018, a Secretaria de Saúde foi comandada por Pedro Sperandio (PSB) até 1º de janeiro. Os desdobramentos da eleição à presidência do Legislativo levaram à saída do PSB do governo e os oito nomes que eram indicação do partido foram exonerados.

 

09 jan | 9h48 Por Rádio Aliança

Secretário de Saúde diz que volta ao cargo mais confiante

Sidinei Schmidt retorna à função como indicação do partido do prefeito

Secretário de Saúde diz que volta ao cargo mais confiante

Depois de seis meses afastado do cargo de secretário de Saúde de Concórdia, Sidinei Schmidt (foto) retornou à função nesta segunda-feira, 7 de janeiro. Em entrevista ao Jornalismo da Rádio Aliança, Schimidt diz que volta em uma situação diferente. “Eu retorno pelo partido do prefeito, o PSDB, em uma situação mais confortável. Me sinto mais seguro até para executar o trabalho de forma mais eficaz”, afirma.

 

No início da gestão do prefeito Rogério Pacheco (PSDB) e do vice Edilson Massocco (PR) o nome de Sidinei Schmidt foi apresentado como indicação do PSB, partido que fazia parte da coligação que venceu as eleições municipais de 2016. Agora, com o rompimento após a eleição da Câmara de Vereadores, a pasta da Saúde passou a ser vinculada ao PSDB.

 

Schimidt comenta que teve divergências de opiniões com lideranças do PSB. “Tivemos algumas ideias que acabavam não batendo e questões que não deram certo. Agora eu retorno pelo PSDB e as ideias são mais semelhantes. Com isso, vou conseguir dar mais celeridade aos trabalhos e projetos”, afirma o secretário.

 

Após a saída de Sidinei Schmidt em agosto de 2018, a Secretaria de Saúde foi comandada por Pedro Sperandio (PSB) até 1º de janeiro. Os desdobramentos da eleição à presidência do Legislativo levaram à saída do PSB do governo e os oito nomes que eram indicação do partido foram exonerados.