Política

17 ago 21 | 10h15 Por Cristiano Mortari

“Se é só pra ter um quadro como ministro, eu não quero”, diz Jorginho Mello sobre assumir o Turismo

Senador catarinense relatou em entrevista ao Jornalismo na Aliança FM, que só aceita comandar o Ministério, se tiver mais orçamento para trabalhar

“Se é só pra ter um quadro como ministro, eu não quero”, diz Jorginho Mello sobre assumir o Turismo
Escute
Imprimir

O senador Jorginho Mello, do PL, que foi escolhido na última semana, para atuar como vice-líder do governo Bolsonaro no Senado, participou do Jornal Primeira Hora da Aliança FM na manhã desta terça-feira, dia 17. Durante a entrevista, Jorginho falou sobre a atuação no Senado, mas também destacou a possibilidade de assumir o Ministério do Turismo, conforme já anunciado há algumas semanas. Mello registrou que só vai comandar a pasta, se ela disponibilizar mais orçamento. O político também adiantou que é possível que o Ministério da Economia seja desmembrado, com a criação de uma pasta para a Indústria, Comércio e Serviço, onde ele pode ser o titular.

 

Jorginho Mello detalhou que já conversou com o presidente Jair Bolsonaro sobre o assunto e contou que neste momento o foco está na atuação como senador. “O presidente me sondou, falou comigo sobre a possibilidade de assumir o Ministério do Turismo, mas eu disse a ele que estou muito bem no meu mandato de senador, é um mandato de entrega. Falei que só assumiria o Turismo se eu tivesse condições de atender minimamente algum pleito do Brasil e de Santa Catarina, mas o Ministério do Turismo, neste momento, é um dos que menos tem recursos para aportar, então, que vantagem teria para Santa Catarina, eu deixar de ser senador, onde tenho um mandato que vai bem? Só para dizer que fui ministro?”, pontuou. “Eu disse ao pessoal da articulação política que se tivesse orçamento avaliaria com muita responsabilidade, caso contrário eu fico no mandato e por isso a conversa deu uma recuada”, registrou Jorginho. “A possibilidade ainda existe, pois se for pra que SC ganhe, estarei pronto, mas precisa ter viabilidade. Se é só pra ter a foto no quadro como ministro e não realizar nada, eu não quero, prefiro seguir atuando como senador, onde sei que auxilio os catarinenses”, reforçou.

 

Durante a entrevista o senador Jorginho Mello também deu alguns detalhes sobre a possibilidade de assumir outro Ministério. Ele contou que já houve tratativas. “Aconteceu uma conversa sim, onde o presidente demonstrou interesse em desmembrar o Ministério da Economia, já que esta pasta abraçou muita coisa. Seria criado o de Indústria Comércio e Serviço e isso me agrada. Seria bem interessante, ainda mais agora no período pós pandemia. Poderíamos contribuir muito com o desenvolvimento da economia. Mas como foi criado o Ministério do Trabalho e Previdência, agora é preciso aguardar”, registrou.

17 ago 21 | 10h15 Por Cristiano Mortari

“Se é só pra ter um quadro como ministro, eu não quero”, diz Jorginho Mello sobre assumir o Turismo

Senador catarinense relatou em entrevista ao Jornalismo na Aliança FM, que só aceita comandar o Ministério, se tiver mais orçamento para trabalhar

“Se é só pra ter um quadro como ministro, eu não quero”, diz Jorginho Mello sobre assumir o Turismo

O senador Jorginho Mello, do PL, que foi escolhido na última semana, para atuar como vice-líder do governo Bolsonaro no Senado, participou do Jornal Primeira Hora da Aliança FM na manhã desta terça-feira, dia 17. Durante a entrevista, Jorginho falou sobre a atuação no Senado, mas também destacou a possibilidade de assumir o Ministério do Turismo, conforme já anunciado há algumas semanas. Mello registrou que só vai comandar a pasta, se ela disponibilizar mais orçamento. O político também adiantou que é possível que o Ministério da Economia seja desmembrado, com a criação de uma pasta para a Indústria, Comércio e Serviço, onde ele pode ser o titular.

 

Jorginho Mello detalhou que já conversou com o presidente Jair Bolsonaro sobre o assunto e contou que neste momento o foco está na atuação como senador. “O presidente me sondou, falou comigo sobre a possibilidade de assumir o Ministério do Turismo, mas eu disse a ele que estou muito bem no meu mandato de senador, é um mandato de entrega. Falei que só assumiria o Turismo se eu tivesse condições de atender minimamente algum pleito do Brasil e de Santa Catarina, mas o Ministério do Turismo, neste momento, é um dos que menos tem recursos para aportar, então, que vantagem teria para Santa Catarina, eu deixar de ser senador, onde tenho um mandato que vai bem? Só para dizer que fui ministro?”, pontuou. “Eu disse ao pessoal da articulação política que se tivesse orçamento avaliaria com muita responsabilidade, caso contrário eu fico no mandato e por isso a conversa deu uma recuada”, registrou Jorginho. “A possibilidade ainda existe, pois se for pra que SC ganhe, estarei pronto, mas precisa ter viabilidade. Se é só pra ter a foto no quadro como ministro e não realizar nada, eu não quero, prefiro seguir atuando como senador, onde sei que auxilio os catarinenses”, reforçou.

 

Durante a entrevista o senador Jorginho Mello também deu alguns detalhes sobre a possibilidade de assumir outro Ministério. Ele contou que já houve tratativas. “Aconteceu uma conversa sim, onde o presidente demonstrou interesse em desmembrar o Ministério da Economia, já que esta pasta abraçou muita coisa. Seria criado o de Indústria Comércio e Serviço e isso me agrada. Seria bem interessante, ainda mais agora no período pós pandemia. Poderíamos contribuir muito com o desenvolvimento da economia. Mas como foi criado o Ministério do Trabalho e Previdência, agora é preciso aguardar”, registrou.