Política

22 set 21 | 9h19 Por Jocimar Soares

OUÇA: Simioni diz que outras empresas já usufruíram da Lei 253/2002 e explica como se aplica

Legislação ganhou repercussão nos últimos dias por causa de posição do vereador Zagonel, que pediu vistas ao PL de isenção de IPTU para Hotel Alvorada

OUÇA: Simioni diz que outras empresas já usufruíram da Lei 253/2002 e explica como se aplica
Escute
Imprimir

A Lei Municipal 253/2002 foi tema de discussões nos últimos dias em Concórdia. O dispositivo legal permite a concessão de incentivos fiscais para empresas em Concórdia, mediante o seguimento de vários critérios e com aprovação do Conselho Municipal do Desenvolvimento Econômico. 


A legislação ganhou notoriedade porque o vereador Closmar Zagonel, do MDB, se manifestou que pediu vistas e deve votar contrário sobre a concessão de isenção do pagamento do IPTU sobre a área ampliada do Hotel Alvorada, em Concórdia, por um período de dois anos. Esse benefício para o Hotel Alvorada é contemplado através de Projeto de Lei Complementar 14/2021 que autoriza o incentivo fiscal ao estabelecimento e incidesobre a área ampliada de mais de 5,9 mil metros quadrados.


Em entrevista á Aliança FM, o parlamentar justificou explicou o pedido de vistas e disse que deve votar contrário. Ele entende que a maioria da população está passando por uma crise em função do aumento no custo de vida. "Se é para isentar do IPTU é para contemplar que mais precisa", justifica.


O secretário Municipal do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Wágner Simioni, participou do Jornal Primeira Hora na manhã de hoje e destacou que outras empresas já foram beneficiadas pela Lei 253/2002 e explicou como funciona esse dispositivo (OUÇA).


22 set 21 | 9h19 Por Jocimar Soares

OUÇA: Simioni diz que outras empresas já usufruíram da Lei 253/2002 e explica como se aplica

Legislação ganhou repercussão nos últimos dias por causa de posição do vereador Zagonel, que pediu vistas ao PL de isenção de IPTU para Hotel Alvorada

OUÇA: Simioni diz que outras empresas já usufruíram da Lei 253/2002 e explica como se aplica

A Lei Municipal 253/2002 foi tema de discussões nos últimos dias em Concórdia. O dispositivo legal permite a concessão de incentivos fiscais para empresas em Concórdia, mediante o seguimento de vários critérios e com aprovação do Conselho Municipal do Desenvolvimento Econômico. 


A legislação ganhou notoriedade porque o vereador Closmar Zagonel, do MDB, se manifestou que pediu vistas e deve votar contrário sobre a concessão de isenção do pagamento do IPTU sobre a área ampliada do Hotel Alvorada, em Concórdia, por um período de dois anos. Esse benefício para o Hotel Alvorada é contemplado através de Projeto de Lei Complementar 14/2021 que autoriza o incentivo fiscal ao estabelecimento e incidesobre a área ampliada de mais de 5,9 mil metros quadrados.


Em entrevista á Aliança FM, o parlamentar justificou explicou o pedido de vistas e disse que deve votar contrário. Ele entende que a maioria da população está passando por uma crise em função do aumento no custo de vida. "Se é para isentar do IPTU é para contemplar que mais precisa", justifica.


O secretário Municipal do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Wágner Simioni, participou do Jornal Primeira Hora na manhã de hoje e destacou que outras empresas já foram beneficiadas pela Lei 253/2002 e explicou como funciona esse dispositivo (OUÇA).