Política

07 mai 20 | 10h03 Por Analu Slongo

Carolina de Toni diz que vai devolver dinheiro do hotel durante as manifestações

Ela vai ressarcir os R$ 1,8 mil pagos com dinheiro público por quatro diárias de um hotel de alto padrão em São Paulo

Carolina de Toni diz que vai devolver dinheiro do hotel durante as manifestações
Imprimir

A assessoria da deputada federal catarinense Caroline de Toni (PSL) informou na quarta-feira (6) que ela vai devolver os R$ 1,8 mil pagos com dinheiro público por quatro diárias de um hotel de alto padrão em São Paulo, em março, quando participou de um ato a favor do presidente Jair Bolsonaro. Ainda segundo a assessoria, para Caroline "não houve irregularidade" na cobrança. A deputada pediu ressarcimento do gasto à Câmara dos Deputados, como parte da cota parlamentar.


A cota – que para os deputados catarinenses é de R$ 39 mil por mês – é para cobrir gastos do mandato. Isso inclui passagens aéreas e hospedagens, desde que estejam incluídas na atuação parlamentar.


Ocorre que as diárias cobradas pela deputada foram para reservas entre os dias 12 e 15 de março. No dia 15, domingo, ela participou da polêmica manifestação pró-governo na Avenida Paulista. O ato, segundo divulgado pelo G1, teve pedidos de fechamento do Congresso e do STF – o que é inconstitucional. Além disso, ocorreu já em meio à pandemia do novo coronavírus, quando aglomerações não eram recomendadas.


Na semana anterior à manifestação, o então ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, alertou que o país viveria semanas difíceis pela frente – o que se confirmou. Em São Paulo, onde ocorreu a manifestação, as reuniões com mais de 500 pessoas estavam proibidas para tentar conter o avanço da pandemia.


A assessoria afirma que a devolução dos gastos está em processamento pelo sistema da Câmara dos Deputados. O pagamento foi feito nesta quarta-feira. Durante a tarde desta quarta-feira, Caroline de Toni se manifestou por meio do Twitter. Disse que participou da manifestação em horário de folga e que sua agenda oficial incluiu discussões sobre a prisão em segunda instância e perspectivas de investimentos para o país. 


Fonte: colunista Dagmara Spautz, NSC Total

07 mai 20 | 10h03 Por Analu Slongo

Carolina de Toni diz que vai devolver dinheiro do hotel durante as manifestações

Ela vai ressarcir os R$ 1,8 mil pagos com dinheiro público por quatro diárias de um hotel de alto padrão em São Paulo

Carolina de Toni diz que vai devolver dinheiro do hotel durante as manifestações

A assessoria da deputada federal catarinense Caroline de Toni (PSL) informou na quarta-feira (6) que ela vai devolver os R$ 1,8 mil pagos com dinheiro público por quatro diárias de um hotel de alto padrão em São Paulo, em março, quando participou de um ato a favor do presidente Jair Bolsonaro. Ainda segundo a assessoria, para Caroline "não houve irregularidade" na cobrança. A deputada pediu ressarcimento do gasto à Câmara dos Deputados, como parte da cota parlamentar.


A cota – que para os deputados catarinenses é de R$ 39 mil por mês – é para cobrir gastos do mandato. Isso inclui passagens aéreas e hospedagens, desde que estejam incluídas na atuação parlamentar.


Ocorre que as diárias cobradas pela deputada foram para reservas entre os dias 12 e 15 de março. No dia 15, domingo, ela participou da polêmica manifestação pró-governo na Avenida Paulista. O ato, segundo divulgado pelo G1, teve pedidos de fechamento do Congresso e do STF – o que é inconstitucional. Além disso, ocorreu já em meio à pandemia do novo coronavírus, quando aglomerações não eram recomendadas.


Na semana anterior à manifestação, o então ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, alertou que o país viveria semanas difíceis pela frente – o que se confirmou. Em São Paulo, onde ocorreu a manifestação, as reuniões com mais de 500 pessoas estavam proibidas para tentar conter o avanço da pandemia.


A assessoria afirma que a devolução dos gastos está em processamento pelo sistema da Câmara dos Deputados. O pagamento foi feito nesta quarta-feira. Durante a tarde desta quarta-feira, Caroline de Toni se manifestou por meio do Twitter. Disse que participou da manifestação em horário de folga e que sua agenda oficial incluiu discussões sobre a prisão em segunda instância e perspectivas de investimentos para o país. 


Fonte: colunista Dagmara Spautz, NSC Total