Polícia

22 set 20 | 16h02 Por André Krüger

Operação Maratá: MP de Concórdia denuncia seis pessoas por associação criminosa

As penas podem chegar a 40 anos de reclusão para cada um dos envolvidos

Operação Maratá: MP de Concórdia denuncia seis pessoas por associação criminosa
Imprimir

O Ministério Público de Concórdia ofereceu denúncia contra seis pessoas que são investigadas por integrarem parte de grupo criminoso que atua no tráfico de drogas na região. A ação faz parte da Operação Maratá, deflagrada em Piratuba e Concórdia, em duas etapas, nos dias 20 e 28 de agosto.


O grupo vai responder na Justiça por organização criminosa armada, associação para o tráfico de drogas, tráfico de drogas e posse de arma de fogo de uso permitido. 


De acordo com o promotor da Vara Criminal, João Paulo de Andrade, as penas podem chegar a 40 anos de reclusão para cada um dos acusados.


Os denunciados são: G.V, 31 anos, sendo que esse se encontra foragido. Contra esse há uma ação penal pelo fato dele também ser mandante de um homicídio, ocorrido em Concórdia no ano de 2018. Também foram indiciados J.V.B, 22 anos, que se encontra presa preventivamente desde o dia 20 de agosto; J.S.L, 25 anos, preso preventivamente desde o dia 20 de agosto; D.M.D, 25 anos, preso preventivamente desde o dia quatro de abril; M.B.M, 36 anos e E.H.T, 20 anos, que também está preso preventivamente.


As penas para o crime de organização criminosa armada podem chegar a 12 anos de reclusão, associação para o tráfico, 10 anos de reclusão, tráfico de drogas, pena de até 15 anos e posse de arma de uso permitido, pena de até três anos de reclusão.


A documentação, já foi encaminhada ao Poder Judiciário de Concórdia, onde será feita a análise pela Justiça Criminal.

22 set 20 | 16h02 Por André Krüger

Operação Maratá: MP de Concórdia denuncia seis pessoas por associação criminosa

As penas podem chegar a 40 anos de reclusão para cada um dos envolvidos

Operação Maratá: MP de Concórdia denuncia seis pessoas por associação criminosa

O Ministério Público de Concórdia ofereceu denúncia contra seis pessoas que são investigadas por integrarem parte de grupo criminoso que atua no tráfico de drogas na região. A ação faz parte da Operação Maratá, deflagrada em Piratuba e Concórdia, em duas etapas, nos dias 20 e 28 de agosto.


O grupo vai responder na Justiça por organização criminosa armada, associação para o tráfico de drogas, tráfico de drogas e posse de arma de fogo de uso permitido. 


De acordo com o promotor da Vara Criminal, João Paulo de Andrade, as penas podem chegar a 40 anos de reclusão para cada um dos acusados.


Os denunciados são: G.V, 31 anos, sendo que esse se encontra foragido. Contra esse há uma ação penal pelo fato dele também ser mandante de um homicídio, ocorrido em Concórdia no ano de 2018. Também foram indiciados J.V.B, 22 anos, que se encontra presa preventivamente desde o dia 20 de agosto; J.S.L, 25 anos, preso preventivamente desde o dia 20 de agosto; D.M.D, 25 anos, preso preventivamente desde o dia quatro de abril; M.B.M, 36 anos e E.H.T, 20 anos, que também está preso preventivamente.


As penas para o crime de organização criminosa armada podem chegar a 12 anos de reclusão, associação para o tráfico, 10 anos de reclusão, tráfico de drogas, pena de até 15 anos e posse de arma de uso permitido, pena de até três anos de reclusão.


A documentação, já foi encaminhada ao Poder Judiciário de Concórdia, onde será feita a análise pela Justiça Criminal.