Polícia

09 jun 21 | 14h01 Por André Krüger

Justiça marca data de julgamento para autor de tentativa de feminicídio

Crime ocorreu em fevereiro de 2020, em via pública, na área central de Concórdia

Justiça marca data de julgamento para autor de tentativa de feminicídio
Imprimir

A Justiça da Comarca de Concórdia marcou para o dia 27 de julho, o Tribunal do Júri do réu Maico Cavallieri. Ele é acusado de tentativa de feminicídio na forma tentada contra sua ex-esposa. 


Ele é acusado de desferir mais de 23 facadas contra Ingra Ohana de Vargas. O fato aconteceu no dia 4 de fevereiro do ano passado no passeio público, na rua do Comércio. A agressão foi testemunhada por uma mulher e pela da filha da vítima, de seis anos na época do fato. 


Conforme já informado pela Aliança FM, na época dos fatos, o suspeito fugiu e se apresentou dois dias depois na Central de Polícia Civil, quando teve a prisão preventiva decretada pela Justiça.


Cavallieri responde pelo crime de tentativa de feminicídio por motivo torpe, crueldade e recurso que dificultou a defesa da vítima. Ele está recolhido no Presídio Regional de Concórdia desde o dia 7 de fevereiro de 2020.

09 jun 21 | 14h01 Por André Krüger

Justiça marca data de julgamento para autor de tentativa de feminicídio

Crime ocorreu em fevereiro de 2020, em via pública, na área central de Concórdia

Justiça marca data de julgamento para autor de tentativa de feminicídio

A Justiça da Comarca de Concórdia marcou para o dia 27 de julho, o Tribunal do Júri do réu Maico Cavallieri. Ele é acusado de tentativa de feminicídio na forma tentada contra sua ex-esposa. 


Ele é acusado de desferir mais de 23 facadas contra Ingra Ohana de Vargas. O fato aconteceu no dia 4 de fevereiro do ano passado no passeio público, na rua do Comércio. A agressão foi testemunhada por uma mulher e pela da filha da vítima, de seis anos na época do fato. 


Conforme já informado pela Aliança FM, na época dos fatos, o suspeito fugiu e se apresentou dois dias depois na Central de Polícia Civil, quando teve a prisão preventiva decretada pela Justiça.


Cavallieri responde pelo crime de tentativa de feminicídio por motivo torpe, crueldade e recurso que dificultou a defesa da vítima. Ele está recolhido no Presídio Regional de Concórdia desde o dia 7 de fevereiro de 2020.