Polícia

20 jan 21 | 22h05 Por Jocimar Soares

IGP se manifesta sobre crânio encontrado em calçada na cidade de Zortéa

Mistério intriga a pequena cidade do Meio-Oeste

IGP se manifesta sobre crânio encontrado em calçada na cidade de Zortéa
Imprimir

Uma cena inusitada chamou a atenção dos moradores de Zortéa, no Meio-Oeste de Santa Catarina, na manhã desta quarta-feira (20). Um crânio humano foi encontrado preso a uma corda sobre uma calçada nas proximidades da rodoviária.


A PM (Polícia Militar) foi acionada e isolou o local. Segundo o delegado da DP (Delegacia de Polícia) de Campos Novos, Frederico Cezar, policiais civis e militares estiveram no cemitério da cidade, mas nenhum indício de violação foi identificação nas sepulturas.


O crânio foi recolhido pelo IGP de Campos Novos e a Polícia Civil investiga o caso. O IGP informou em nota que o perito médico legista encaminhará o crânio para a antropologia forense, na capital, Florianópolis. Assim, será possível ter informações concretas sobre o sexo e a idade. Sem esse estudo não há como ter informações precisas.


O prazo de resposta da perícia dependerá da demanda da antropologia forense. Quanto a identificação, o IGP informou que, somente quando alguém reclamar a ossada, aí é feita coleta para comparação por DNA.


“Já iniciamos a investigação. Vamos conversar com testemunhas que vivem na localidade e aguardamos a perícia do IGP”, informou o delegado.


Fonte: ND+

20 jan 21 | 22h05 Por Jocimar Soares

IGP se manifesta sobre crânio encontrado em calçada na cidade de Zortéa

Mistério intriga a pequena cidade do Meio-Oeste

IGP se manifesta sobre crânio encontrado em calçada na cidade de Zortéa

Uma cena inusitada chamou a atenção dos moradores de Zortéa, no Meio-Oeste de Santa Catarina, na manhã desta quarta-feira (20). Um crânio humano foi encontrado preso a uma corda sobre uma calçada nas proximidades da rodoviária.


A PM (Polícia Militar) foi acionada e isolou o local. Segundo o delegado da DP (Delegacia de Polícia) de Campos Novos, Frederico Cezar, policiais civis e militares estiveram no cemitério da cidade, mas nenhum indício de violação foi identificação nas sepulturas.


O crânio foi recolhido pelo IGP de Campos Novos e a Polícia Civil investiga o caso. O IGP informou em nota que o perito médico legista encaminhará o crânio para a antropologia forense, na capital, Florianópolis. Assim, será possível ter informações concretas sobre o sexo e a idade. Sem esse estudo não há como ter informações precisas.


O prazo de resposta da perícia dependerá da demanda da antropologia forense. Quanto a identificação, o IGP informou que, somente quando alguém reclamar a ossada, aí é feita coleta para comparação por DNA.


“Já iniciamos a investigação. Vamos conversar com testemunhas que vivem na localidade e aguardamos a perícia do IGP”, informou o delegado.


Fonte: ND+