Polícia

18 mai 20 | 15h57 Por André Krüger

Defesa pede que os dois homens presos pela PMA na sexta em Irani, respondam em liberdade

A prisão ocorreu quando eles foram pegos caçando no interior de Irani. Advogado protocolou um pedido de Habeas Corpus

Defesa pede que os dois homens presos pela PMA na sexta em Irani, respondam em liberdade
Imprimir

O advogado de defesa da dupla presa na última sexta-feira, dia 15, Leandro Bernardi, protocolou junto ao Tribunal de Justiça de Santa Catarina, ainda no final de semana, um pedido de Habeas Corpus para os dois homens que foram presos pela Polícia Militar Ambiental durante fiscalização na ultima sexta-feira, dia 15 em Irani.


Os dois caçadores são moradores do município e estavam com duas espingardas calibre 12, uma delas com a numeração raspada. Os policiais encontraram com os presos, animais silvestres abatidos, além das armas, munições e facas. 


Segundo Bernardi, o encaminhamento junto ao Tribunal de Justiça em Florianópolis é no sentido de liberar os dois envolvidos para que possam responder o processo em liberdade.


Eles irão responder por crime ambiental e também pela posse da arma que estava com o registro suprimido.

18 mai 20 | 15h57 Por André Krüger

Defesa pede que os dois homens presos pela PMA na sexta em Irani, respondam em liberdade

A prisão ocorreu quando eles foram pegos caçando no interior de Irani. Advogado protocolou um pedido de Habeas Corpus

Defesa pede que os dois homens presos pela PMA na sexta em Irani, respondam em liberdade

O advogado de defesa da dupla presa na última sexta-feira, dia 15, Leandro Bernardi, protocolou junto ao Tribunal de Justiça de Santa Catarina, ainda no final de semana, um pedido de Habeas Corpus para os dois homens que foram presos pela Polícia Militar Ambiental durante fiscalização na ultima sexta-feira, dia 15 em Irani.


Os dois caçadores são moradores do município e estavam com duas espingardas calibre 12, uma delas com a numeração raspada. Os policiais encontraram com os presos, animais silvestres abatidos, além das armas, munições e facas. 


Segundo Bernardi, o encaminhamento junto ao Tribunal de Justiça em Florianópolis é no sentido de liberar os dois envolvidos para que possam responder o processo em liberdade.


Eles irão responder por crime ambiental e também pela posse da arma que estava com o registro suprimido.