Polícia

16 mai 22 | 19h35 Por André Krüger

Acusado de assassinar Roseli Stoll permanece em silencio durante audiência

Sessão de Instrução e Julgamento foi realizada na tarde desta segunda-feira, dia 16, no Fórum da Comarca de Concórdia

Acusado de assassinar Roseli Stoll permanece em silencio durante audiência
Imprimir

O acusado do crime de feminicídio contra Roseli Stoll permaneceu em silêncio durante a interrogatório que foi realizado na tarde desta segunda-feira, dia 16, no Fórum da Comarca de Concórdia. Ainda durante a audiência foram ouvidas cinco testemunhas de acusação e defesa. Na ocasião, quem também esteve prestando depoimento foi um representante dos Bombeiros Militares de Piratura e do Grupo de Operação, Resgate e Salvamento com Cães de Concórdia, Gorsc, que auxiliaram nas buscas pelo corpo de Roseli, que continua desaparecido.


De acordo com informações apuradas pela Aliança FM, após essa etapa do processo, o Ministério Público terá o prazo de cinco dias para apresentar as alegações finais. Em seguida, será a vez da defesa. 


Encerrado este prazo, o juiz responsável pela Vara Criminal da Comarca de Concórdia decidirá se o autor do crime irá a júri popular ou não.


O réu ex-companheiro de Roseli Stoll, é acusado de assassinato triplamente qualificado por asfixia, uso de recurso que dificultou a defesa da vítima e feminicídio. O agressor também é acusado de ocultação de cadáver. O crime teria ocorrido no dia 2 de dezembro de 2021.


O motivo dos desentendimentos entre o casal, apurou a polícia, era que o homem não deixava a mulher visitar os filhos que residem no Paraná. O processo tramita em segredo de Justiça.


O réu está recolhido no presidio regional de Concórdia.

16 mai 22 | 19h35 Por André Krüger

Acusado de assassinar Roseli Stoll permanece em silencio durante audiência

Sessão de Instrução e Julgamento foi realizada na tarde desta segunda-feira, dia 16, no Fórum da Comarca de Concórdia

Acusado de assassinar Roseli Stoll permanece em silencio durante audiência

O acusado do crime de feminicídio contra Roseli Stoll permaneceu em silêncio durante a interrogatório que foi realizado na tarde desta segunda-feira, dia 16, no Fórum da Comarca de Concórdia. Ainda durante a audiência foram ouvidas cinco testemunhas de acusação e defesa. Na ocasião, quem também esteve prestando depoimento foi um representante dos Bombeiros Militares de Piratura e do Grupo de Operação, Resgate e Salvamento com Cães de Concórdia, Gorsc, que auxiliaram nas buscas pelo corpo de Roseli, que continua desaparecido.


De acordo com informações apuradas pela Aliança FM, após essa etapa do processo, o Ministério Público terá o prazo de cinco dias para apresentar as alegações finais. Em seguida, será a vez da defesa. 


Encerrado este prazo, o juiz responsável pela Vara Criminal da Comarca de Concórdia decidirá se o autor do crime irá a júri popular ou não.


O réu ex-companheiro de Roseli Stoll, é acusado de assassinato triplamente qualificado por asfixia, uso de recurso que dificultou a defesa da vítima e feminicídio. O agressor também é acusado de ocultação de cadáver. O crime teria ocorrido no dia 2 de dezembro de 2021.


O motivo dos desentendimentos entre o casal, apurou a polícia, era que o homem não deixava a mulher visitar os filhos que residem no Paraná. O processo tramita em segredo de Justiça.


O réu está recolhido no presidio regional de Concórdia.