Opinião

14 ago 21 | 16h12

Vinda do CRRAME para Concórdia é uma soma de vários esforços

Vinda do CRRAME para Concórdia é uma soma de vários esforços
Imprimir

Teve empurrão político, teve! Mas outros fatores também foram preponderantes para que o Centro de Referência Regional de Atrofia Muscular Espinhal, CRRAME, viesse para Concórdia. A informação foi divulgada nesta semana pela Aliança FM. 


Conforme detalhes de bastidores obtidos pela Aliança FM, as adequações nas câmaras de frios da Unidade Descentralizada de Vigilância Epidemiológica de Concórdia, UDVE, também foram determinantes para que Concórdia passasse a ser referência macrorregional para a aplicação do medicamento de combate à Atrofia Muscular Espinhal, AME. No local foram colocados novos equipamentos e também instalado geradores, para manter a temperatura desses medicamentos caso haja falta de energia elétrica. 


O fármaco utilizado para o tratamento da doença é liberado para o paciente com AME no dia da aplicação, que é realizada do Hospital São Francisco. Aliás, o HSF dispõe de profissional e estrutura para a aplicação do medicamento contra a AME, o que também contribuiu para esse credenciamento. Com esse Centro de Referência em Atrofia Muscular Espinhal, o procedimento é coberto pelo SUS, já que o medicamento para o tratamento é cedido pelo Estado.


O HSF é o segundo no Estado a fazer esse tipo de procedimento. Até então, o Hospital Infantil Joana Gusmão, em Florianópolis, era o único que vinha fazendo a aplicação do medicamento contra a AME. Com o credenciamento do Hospital São Francisco, pacientes com a doença não precisam mais se deslocar até a Capital do Estado para esse procedimento. Concórdia pode receber via SUS pacientes com AME de toda a macrorregião.


Outro ponto fundamental foi o fato de que a regional de Chapecó, para onde o Estado implantaria esse CRRAME, não apresentar neste momento as condições para estocar o medicamento contra a AME, que é de valor elevado. Com isso, a Diretoria de Assistência Farmacêutica, da Secretaria de Estado da Saúde, manteve contato com a UVDE da Regional de Concórdia, que por sua vez fez as mudanças necessárias e ajudou a viabilizar a vinda desse credenciamento para Capital do Trabalho.


A implantação da CRRAME em Concórdia é uma soma de vários esforços, políticos e institucionais.


Jocimar Soares
Radar

Outras publicações

14 ago 21 | 16h12 Por Jocimar Soares

Vinda do CRRAME para Concórdia é uma soma de vários esforços

Vinda do CRRAME para Concórdia é uma soma de vários esforços

Teve empurrão político, teve! Mas outros fatores também foram preponderantes para que o Centro de Referência Regional de Atrofia Muscular Espinhal, CRRAME, viesse para Concórdia. A informação foi divulgada nesta semana pela Aliança FM. 


Conforme detalhes de bastidores obtidos pela Aliança FM, as adequações nas câmaras de frios da Unidade Descentralizada de Vigilância Epidemiológica de Concórdia, UDVE, também foram determinantes para que Concórdia passasse a ser referência macrorregional para a aplicação do medicamento de combate à Atrofia Muscular Espinhal, AME. No local foram colocados novos equipamentos e também instalado geradores, para manter a temperatura desses medicamentos caso haja falta de energia elétrica. 


O fármaco utilizado para o tratamento da doença é liberado para o paciente com AME no dia da aplicação, que é realizada do Hospital São Francisco. Aliás, o HSF dispõe de profissional e estrutura para a aplicação do medicamento contra a AME, o que também contribuiu para esse credenciamento. Com esse Centro de Referência em Atrofia Muscular Espinhal, o procedimento é coberto pelo SUS, já que o medicamento para o tratamento é cedido pelo Estado.


O HSF é o segundo no Estado a fazer esse tipo de procedimento. Até então, o Hospital Infantil Joana Gusmão, em Florianópolis, era o único que vinha fazendo a aplicação do medicamento contra a AME. Com o credenciamento do Hospital São Francisco, pacientes com a doença não precisam mais se deslocar até a Capital do Estado para esse procedimento. Concórdia pode receber via SUS pacientes com AME de toda a macrorregião.


Outro ponto fundamental foi o fato de que a regional de Chapecó, para onde o Estado implantaria esse CRRAME, não apresentar neste momento as condições para estocar o medicamento contra a AME, que é de valor elevado. Com isso, a Diretoria de Assistência Farmacêutica, da Secretaria de Estado da Saúde, manteve contato com a UVDE da Regional de Concórdia, que por sua vez fez as mudanças necessárias e ajudou a viabilizar a vinda desse credenciamento para Capital do Trabalho.


A implantação da CRRAME em Concórdia é uma soma de vários esforços, políticos e institucionais.