Opinião

05 fev 21 | 16h40

Vem aí, um pacotão de obras. Públicas e privadas!

Vem aí, um pacotão de obras. Públicas e privadas!
Imprimir

A economia e a geração de empregos de Concórdia deverão sofrer um forte impacto positivo a partir deste ano de 2021. A cidade se prepara para receber um pacotão de investimentos privados e obras públicas nos próximos meses. Só a iniciativa privada projeta investimentos da ordem de R$ 500 milhões na abertura e instalação de novas empresas no município, citando entre os quais a – tão aguardada – vinda da HAVAN, a instalação do Via Atacadista (Grupo Passarela) e a inauguração do Hospital da UNIMED, todos empreendimentos situados na chamada “Cidade Alta” de Concórdia – região de São Cristóvão.


Esses investimentos já acontecem na prática e serão abertos ao público ao longo de 2021 ou, mais tardar, no decorrer de 2022. A cidade está animada com o momento que vive e, empolgado com essa situação ímpar, o prefeito Rogério Pacheco também acelera o ritmo de sua gestão já no início do segundo mandato. Nesta semana, esteve em Florianópolis e conseguiu conversar longamente com o governador Carlos Moisés, que também se animou com o que ouviu do prefeito. Pacheco apresentou a Moises o estudo inicial da duplicação da Tancredo Neves, obra que deverá custar em torno de R$ 30 milhões. Serão 3 etapas, a primeira compreendendo o trevo da BR 153 até a rótula localizada defronte à Igreja de São Cristóvão.


O plano de trabalho está pronto e o próximo passo é a formalização de convênio entre Município e Estado. Nesse sentido, o prefeito aguarda uma resposta do governador nos próximos dias sobre como será – e de quanto será? – a participação financeira da Secretaria de Estado da Infraestrutura na obra. O ideal – sempre, nestes casos – seria vir uma parte do montante através de fundo perdido.


Além da futura duplicação da Tancredo Neves, temos a duplicação da Senador Attílio Fontana em andamento (primeira etapa) e sendo iniciados os estudos, de igual forma, para a execução do Contorno Viário Sul. São obras que irão melhorar, sobremaneira, a mobilidade urbana de Concórdia e que, como consequência, aquecerão a economia da maior cidade do Alto Uruguai Catarinense. Tempos de ótimas notícias e de grandes realizações, começando a surgir após um período extremamente delicado que todos vivemos em 2020 por conta da descoberta da pandemia!



Lúcio Mauro
Passando a limpo

05 fev 21 | 16h40 Por Lúcio Mauro

Vem aí, um pacotão de obras. Públicas e privadas!

Vem aí, um pacotão de obras. Públicas e privadas!

A economia e a geração de empregos de Concórdia deverão sofrer um forte impacto positivo a partir deste ano de 2021. A cidade se prepara para receber um pacotão de investimentos privados e obras públicas nos próximos meses. Só a iniciativa privada projeta investimentos da ordem de R$ 500 milhões na abertura e instalação de novas empresas no município, citando entre os quais a – tão aguardada – vinda da HAVAN, a instalação do Via Atacadista (Grupo Passarela) e a inauguração do Hospital da UNIMED, todos empreendimentos situados na chamada “Cidade Alta” de Concórdia – região de São Cristóvão.


Esses investimentos já acontecem na prática e serão abertos ao público ao longo de 2021 ou, mais tardar, no decorrer de 2022. A cidade está animada com o momento que vive e, empolgado com essa situação ímpar, o prefeito Rogério Pacheco também acelera o ritmo de sua gestão já no início do segundo mandato. Nesta semana, esteve em Florianópolis e conseguiu conversar longamente com o governador Carlos Moisés, que também se animou com o que ouviu do prefeito. Pacheco apresentou a Moises o estudo inicial da duplicação da Tancredo Neves, obra que deverá custar em torno de R$ 30 milhões. Serão 3 etapas, a primeira compreendendo o trevo da BR 153 até a rótula localizada defronte à Igreja de São Cristóvão.


O plano de trabalho está pronto e o próximo passo é a formalização de convênio entre Município e Estado. Nesse sentido, o prefeito aguarda uma resposta do governador nos próximos dias sobre como será – e de quanto será? – a participação financeira da Secretaria de Estado da Infraestrutura na obra. O ideal – sempre, nestes casos – seria vir uma parte do montante através de fundo perdido.


Além da futura duplicação da Tancredo Neves, temos a duplicação da Senador Attílio Fontana em andamento (primeira etapa) e sendo iniciados os estudos, de igual forma, para a execução do Contorno Viário Sul. São obras que irão melhorar, sobremaneira, a mobilidade urbana de Concórdia e que, como consequência, aquecerão a economia da maior cidade do Alto Uruguai Catarinense. Tempos de ótimas notícias e de grandes realizações, começando a surgir após um período extremamente delicado que todos vivemos em 2020 por conta da descoberta da pandemia!