Opinião

05 mar 22 | 8h45

Sim! A falta de peritos médicos existe e não é simples de resolver

Sim! A falta de peritos médicos existe e não é simples de resolver
Imprimir

Sim! O problema da falta de peritos médicos na agência do INSS em Concórdia existe e o risco do setor de perícias fechar em Concórdia é grande. O assunto ganhou destaque nas últimas semanas e reverberou na Câmara de Vereadores. Como já foi colocado, há somente uma perita médica em atividade na agência local e esta já entrou com pedido de aposentadoria. Assim que o direito dessa perita for concedido, ela deixa a função e o setor de perícias no INSS de Concórdia poderá ser fechado. Normalmente nesses casos, os moradores de Concórdia terão que fazer o agendamento para ser atendidos em outro município, cuja agência disponha de peritos.


Conforme informações apuradas pela Aliança FM, a agenda de perícias médicas em Concórdia está preenchida até o mês de junho. Em Chapecó e Joaçaba, por exemplo, o período de atendimento é mais curto.


A falta de peritos médicos no INSS não é uma exclusividade de Concórdia. Em todo o Brasil são aproximadamente 3,9 mil que estão atuando e seriam necessários quase o dobro para dar conta da grande demanda, que surgiu especialmente com a pandemia do coronavírus. A Subsecretaria de Perícia Médica, vinculada ao Governo Federal, está tomando as medidas para amenizar os problemas, como a chamada de todos os profissionais que ainda atuam no trabalho remoto e realocando-os para as agências onde há necessidade de atendimento. Auxilia pouco, mas auxilia!


Outra saída seria o credenciamento de profissionais médicos para a realização de perícias. Porém, esse procedimento normalmente é realizado no consultório do profissional credenciado. Isso já chegou a ser adotado, mas a avaliação desse método não foi positiva. Um dos pontos reclamados foi de que falta tempo e espaço para o atendimento dos particulares e demanda do INSS em um mesmo consultório.


A solução seria a realização de Concurso Público para a contratação de novos peritos, isso em todo o Brasil. Porém, por se tratar de órgão público, seria necessária dotação orçamentária - tanto para realização e organização do concurso, como para contratação dos aprovados. Para isso a burocracia é muito grande, toma tempo (lento) e exige esforço do ente público.


Não é um problema simples de resolver. A saída passa pela contratação efetiva dos peritos. O assunto será discutido no próximo dia 28, em Audiência Pública, promovida pela Associação dos Vereadores do Alto Uruguai de Santa Catarina, Avauc. Em tempo, o próprio Ministério do Trabalho e Emprego e a Subscretaria de Perícia Médica reconhecem o problema da falta de peritos médicos em Concórdia e no Brasil.


Jocimar Soares
Radar

Outras publicações

05 mar 22 | 8h45 Por Jocimar Soares

Sim! A falta de peritos médicos existe e não é simples de resolver

Sim! A falta de peritos médicos existe e não é simples de resolver

Sim! O problema da falta de peritos médicos na agência do INSS em Concórdia existe e o risco do setor de perícias fechar em Concórdia é grande. O assunto ganhou destaque nas últimas semanas e reverberou na Câmara de Vereadores. Como já foi colocado, há somente uma perita médica em atividade na agência local e esta já entrou com pedido de aposentadoria. Assim que o direito dessa perita for concedido, ela deixa a função e o setor de perícias no INSS de Concórdia poderá ser fechado. Normalmente nesses casos, os moradores de Concórdia terão que fazer o agendamento para ser atendidos em outro município, cuja agência disponha de peritos.


Conforme informações apuradas pela Aliança FM, a agenda de perícias médicas em Concórdia está preenchida até o mês de junho. Em Chapecó e Joaçaba, por exemplo, o período de atendimento é mais curto.


A falta de peritos médicos no INSS não é uma exclusividade de Concórdia. Em todo o Brasil são aproximadamente 3,9 mil que estão atuando e seriam necessários quase o dobro para dar conta da grande demanda, que surgiu especialmente com a pandemia do coronavírus. A Subsecretaria de Perícia Médica, vinculada ao Governo Federal, está tomando as medidas para amenizar os problemas, como a chamada de todos os profissionais que ainda atuam no trabalho remoto e realocando-os para as agências onde há necessidade de atendimento. Auxilia pouco, mas auxilia!


Outra saída seria o credenciamento de profissionais médicos para a realização de perícias. Porém, esse procedimento normalmente é realizado no consultório do profissional credenciado. Isso já chegou a ser adotado, mas a avaliação desse método não foi positiva. Um dos pontos reclamados foi de que falta tempo e espaço para o atendimento dos particulares e demanda do INSS em um mesmo consultório.


A solução seria a realização de Concurso Público para a contratação de novos peritos, isso em todo o Brasil. Porém, por se tratar de órgão público, seria necessária dotação orçamentária - tanto para realização e organização do concurso, como para contratação dos aprovados. Para isso a burocracia é muito grande, toma tempo (lento) e exige esforço do ente público.


Não é um problema simples de resolver. A saída passa pela contratação efetiva dos peritos. O assunto será discutido no próximo dia 28, em Audiência Pública, promovida pela Associação dos Vereadores do Alto Uruguai de Santa Catarina, Avauc. Em tempo, o próprio Ministério do Trabalho e Emprego e a Subscretaria de Perícia Médica reconhecem o problema da falta de peritos médicos em Concórdia e no Brasil.