Opinião

17 mar 21 | 6h55

Filiados decidirão futuro candidato a governador do MDB

Filiados decidirão futuro candidato a governador do MDB
Imprimir

Em processo democrático interno “inédito”, caberá aos 187 mil filiados do MDB em Santa Catarina definir o nome do futuro candidato a governador pelo partido nas Eleições 2022. Por enquanto, três nomes estão habilitados para a disputa interna: Dário Bérger, senador da República, Antídio Lunelli, prefeito reeleito de Jaraguá do Sul, e Celso Maldaner, deputado federal e atual presidente estadual da sigla. “Por enquanto, são esses os nomes. Mas a lista pode aumentar ou até diminuir”, previu Maldaner.


As prévias internas do MDB estão marcadas para o dia 15 de agosto deste ano. Até o final do mês de junho, os candidatos que tiverem interesse poderão se manifestar; caso contrário, a lista ficará restrita aos três nomes. O atual presidente projeta que mais nomes poderão surgir nas próximas semanas e lembra que todos os eleitores que se filiarem ao MDB até o dia 15 de abril estarão aptos a votar internamente.


As votações ocorrerão através de aplicativo específico e em urnas instaladas em todos os 295 municípios catarinenses. “Passou o tempo de só os caciques partidários tomarem as decisões. Por isso, resolvemos mudar”, reforçou Celso Maldaner ao destacar que a sugestão da votação junto aos filiados partiu do deputado federal Rogério “Peninha” Mendonça, um dos históricos da sigla.


Que me lembre de episódios da política catarinense nos últimos 20 anos, realmente é um processo inédito. O MDB inova e dá exemplo aos demais grandes partidos de Santa Catarina, dando vez e voz para seus filiados tomarem uma decisão de tamanha magnitude. A tendência é que a ideia seja copiada, até antes das convenções partidárias decisivas de 2022. O cenário, de momento, aponta para cinco candidaturas de forte potencial: Carlos Moisés, candidato à reeleição pelo PSL, Jorginho Melo, candidato pelo PL, Gelson Merísio, candidato pelo PSDB, uma candidatura pelo PSD e uma candidatura pelo MDB. O PT também deverá apresentar candidato a governador, algo que vem fazendo desde às Eleições de 1994. E outra novidade poderá ser a candidatura do prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, concorrendo pelo Democratas. Há um ano e meio da eleição, já podemos sentir e imaginar que “o bicho vai pegar” no processo eleitoral de 2022. Será uma eleição de tirar o fôlego e não recomendada para cardíacos!


Lúcio Mauro
Passando a limpo

17 mar 21 | 6h55 Por Lúcio Mauro

Filiados decidirão futuro candidato a governador do MDB

Filiados decidirão futuro candidato a governador do MDB

Em processo democrático interno “inédito”, caberá aos 187 mil filiados do MDB em Santa Catarina definir o nome do futuro candidato a governador pelo partido nas Eleições 2022. Por enquanto, três nomes estão habilitados para a disputa interna: Dário Bérger, senador da República, Antídio Lunelli, prefeito reeleito de Jaraguá do Sul, e Celso Maldaner, deputado federal e atual presidente estadual da sigla. “Por enquanto, são esses os nomes. Mas a lista pode aumentar ou até diminuir”, previu Maldaner.


As prévias internas do MDB estão marcadas para o dia 15 de agosto deste ano. Até o final do mês de junho, os candidatos que tiverem interesse poderão se manifestar; caso contrário, a lista ficará restrita aos três nomes. O atual presidente projeta que mais nomes poderão surgir nas próximas semanas e lembra que todos os eleitores que se filiarem ao MDB até o dia 15 de abril estarão aptos a votar internamente.


As votações ocorrerão através de aplicativo específico e em urnas instaladas em todos os 295 municípios catarinenses. “Passou o tempo de só os caciques partidários tomarem as decisões. Por isso, resolvemos mudar”, reforçou Celso Maldaner ao destacar que a sugestão da votação junto aos filiados partiu do deputado federal Rogério “Peninha” Mendonça, um dos históricos da sigla.


Que me lembre de episódios da política catarinense nos últimos 20 anos, realmente é um processo inédito. O MDB inova e dá exemplo aos demais grandes partidos de Santa Catarina, dando vez e voz para seus filiados tomarem uma decisão de tamanha magnitude. A tendência é que a ideia seja copiada, até antes das convenções partidárias decisivas de 2022. O cenário, de momento, aponta para cinco candidaturas de forte potencial: Carlos Moisés, candidato à reeleição pelo PSL, Jorginho Melo, candidato pelo PL, Gelson Merísio, candidato pelo PSDB, uma candidatura pelo PSD e uma candidatura pelo MDB. O PT também deverá apresentar candidato a governador, algo que vem fazendo desde às Eleições de 1994. E outra novidade poderá ser a candidatura do prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, concorrendo pelo Democratas. Há um ano e meio da eleição, já podemos sentir e imaginar que “o bicho vai pegar” no processo eleitoral de 2022. Será uma eleição de tirar o fôlego e não recomendada para cardíacos!