Opinião

07 mai 21 | 17h20

A situação não é boa e nem fácil na região, mas é preciso trabalhar! A boa gestão será vitrine!

A situação não é boa e nem fácil na região, mas é preciso trabalhar! A boa gestão será vitrine!
Imprimir

Nas últimas semanas conversei com alguns prefeitos de municípios da Amauc. Uma das características do Jornalismo da Rádio Aliança sempre foi dar espaço aos acontecimentos da região, espaço aos gestores, que mostram suas ações e problemas também. Com o gerente da emissora, Lúcio Mauro Nedel, fui até seis prefeituras, para mostrar o projeto da nova Aliança, que transmite em FM desde janeiro, e para fortalecer parcerias que visam informar a população com notícias dos municípios.

 

Estivemos em Arabutã, onde conversamos com a prefeita Leani Schmitt e com o vice-prefeito Olguin Metz. Em Lindóia do Sul o papo foi com o prefeito Neudi Bertol. Já em Ipumirim conversamos com o prefeito Hilario Refatti e com o oficial de gabinete, João Nicodem. Também estivemos em Alto Bela Vista em conversa com o prefeito Elton Mattes e com o assessor de comunicação Leandro Schneider. Ainda neste primeiro roteiro, passamos por Peritiba, onde ouvimos o prefeito Paulo Deitos, a assessora jurídica Alana Lazzari e a secretária de Administração, Ivete Finger. Em Ipira o papo foi com o prefeito Marcelo Baldissera e com a secretária de Administração, Carine Mineiro.

 

Nos seis municípios, dentre os assuntos tratados, três prevaleceram. A preocupação dos gestores com a situação da pandemia da Covid-19, o problema causado pela estiagem e o anseio por ações e obras.

 

Sim, mesmo com doses chegando e com a população sendo imunizada, os prefeitos ressaltam que é necessário ter cautela, manter cuidados, planejar todas as decisões com muita atenção, afinal a Covid-19 não sumiu, a pandemia segue e infelizmente ainda é forte. Outra questão que tira o sono dos gestores é a estiagem que assola a região. As prefeituras já não conseguem atender a todas as solicitações de agricultores, que pedem água para as propriedades. Caminhões pipa e tratores circulam a todo vapor pelas estradas rurais, levando água para os animais e potável para consumo humano. As prefeituras já decretaram situação de emergência no fim do ano passado, renovaram os decretos neste ano e seguem buscando recursos para amenizar a situação. Quem sofre mesmo são os produtores, que já amargam muitos prejuízos.

 

Dentre os problemas e as situações que preocupam, chamou a atenção, nestas conversas, o anseio dos gestores para fazer a “coisa andar”. As prefeituras não estão paradas, claro que não, mas há muita coisa que fica, de certa forma “amarrada”, pois depende de uma situação mais cômoda para investimentos e ações. Todos os prefeitos falam de obras, de projetos, de atividades que desejam realizar e isso é animador, pois é visível que há vontade de fazer com que as coisas aconteçam. Porém, todos também relatam que muita coisa esbarra na pandemia, por exemplo. Tem obra que não anda, por falta de material, tem orçamento que já não bate mais com o projeto, tem evento que ia movimentar a economia, mas com as regras de prevenção à Covid-19 ficam inviáveis, e assim por diante.

 

Não estou dizendo aqui que a pandemia ou estiagem devem servir de discurso pra acomodação. Jamais! Minha observação é a de que existem dificuldades, dúvidas e muita preocupação, mas é preciso trabalhar! Se ficar parado a coisa piora. Não me resta dúvidas de que o desafio dos gestores é grande, mas é a hora de provar que quem fazer gestão de verdade, vai se sobressair. Os municípios precisam, mais do que nunca, de bons gestores, de pessoas comprometidas com a população. O tempo vai dizer quem administrou e quem usou os problemas como bengala!

Cristiano Mortari
Conexão Regional

Outras publicações

07 mai 21 | 17h20 Por Cristiano Mortari

A situação não é boa e nem fácil na região, mas é preciso trabalhar! A boa gestão será vitrine!

A situação não é boa e nem fácil na região, mas é preciso trabalhar! A boa gestão será vitrine!

Nas últimas semanas conversei com alguns prefeitos de municípios da Amauc. Uma das características do Jornalismo da Rádio Aliança sempre foi dar espaço aos acontecimentos da região, espaço aos gestores, que mostram suas ações e problemas também. Com o gerente da emissora, Lúcio Mauro Nedel, fui até seis prefeituras, para mostrar o projeto da nova Aliança, que transmite em FM desde janeiro, e para fortalecer parcerias que visam informar a população com notícias dos municípios.

 

Estivemos em Arabutã, onde conversamos com a prefeita Leani Schmitt e com o vice-prefeito Olguin Metz. Em Lindóia do Sul o papo foi com o prefeito Neudi Bertol. Já em Ipumirim conversamos com o prefeito Hilario Refatti e com o oficial de gabinete, João Nicodem. Também estivemos em Alto Bela Vista em conversa com o prefeito Elton Mattes e com o assessor de comunicação Leandro Schneider. Ainda neste primeiro roteiro, passamos por Peritiba, onde ouvimos o prefeito Paulo Deitos, a assessora jurídica Alana Lazzari e a secretária de Administração, Ivete Finger. Em Ipira o papo foi com o prefeito Marcelo Baldissera e com a secretária de Administração, Carine Mineiro.

 

Nos seis municípios, dentre os assuntos tratados, três prevaleceram. A preocupação dos gestores com a situação da pandemia da Covid-19, o problema causado pela estiagem e o anseio por ações e obras.

 

Sim, mesmo com doses chegando e com a população sendo imunizada, os prefeitos ressaltam que é necessário ter cautela, manter cuidados, planejar todas as decisões com muita atenção, afinal a Covid-19 não sumiu, a pandemia segue e infelizmente ainda é forte. Outra questão que tira o sono dos gestores é a estiagem que assola a região. As prefeituras já não conseguem atender a todas as solicitações de agricultores, que pedem água para as propriedades. Caminhões pipa e tratores circulam a todo vapor pelas estradas rurais, levando água para os animais e potável para consumo humano. As prefeituras já decretaram situação de emergência no fim do ano passado, renovaram os decretos neste ano e seguem buscando recursos para amenizar a situação. Quem sofre mesmo são os produtores, que já amargam muitos prejuízos.

 

Dentre os problemas e as situações que preocupam, chamou a atenção, nestas conversas, o anseio dos gestores para fazer a “coisa andar”. As prefeituras não estão paradas, claro que não, mas há muita coisa que fica, de certa forma “amarrada”, pois depende de uma situação mais cômoda para investimentos e ações. Todos os prefeitos falam de obras, de projetos, de atividades que desejam realizar e isso é animador, pois é visível que há vontade de fazer com que as coisas aconteçam. Porém, todos também relatam que muita coisa esbarra na pandemia, por exemplo. Tem obra que não anda, por falta de material, tem orçamento que já não bate mais com o projeto, tem evento que ia movimentar a economia, mas com as regras de prevenção à Covid-19 ficam inviáveis, e assim por diante.

 

Não estou dizendo aqui que a pandemia ou estiagem devem servir de discurso pra acomodação. Jamais! Minha observação é a de que existem dificuldades, dúvidas e muita preocupação, mas é preciso trabalhar! Se ficar parado a coisa piora. Não me resta dúvidas de que o desafio dos gestores é grande, mas é a hora de provar que quem fazer gestão de verdade, vai se sobressair. Os municípios precisam, mais do que nunca, de bons gestores, de pessoas comprometidas com a população. O tempo vai dizer quem administrou e quem usou os problemas como bengala!