Opinião

25 abr 19 | 16h40 Por Rádio Aliança

A necessidade de rótulas no trânsito de Concórdia

Entroncamento da Attilio Fontana com o contorno norte não é o único lugar que demanda desse tipo de empreendimento!

A necessidade de rótulas no trânsito de Concórdia
Imprimir

A construção de uma rótula na Attilio Fontana, na entrada do contorno viário norte, no bairro dos Estados, ganhou destaque nesta semana por causa de um simples acidente envolvendo carro e moto. Mais um, de vários que já aconteceram naquele local.  Desta vez, felizmente, não teve gravidade e a implantação de uma rótula naquele ponto da via voltou à tona.

 

O trecho é uma continuidade da SC 283 e tira o trânsito pesado de caminhões e de outros veículos da área central de Concórdia. Portanto, é um local de grande movimento e hoje existe uma sinalização de solo para quem está na Attilio Fontana e queira converter para o contorno, mas não é uma garantia de segurança.

 

Conforme informações apuradas pelo Jornalismo da Rádio Aliança, esse local em breve terá uma rótula. Há um tratativa pela Administração Municipal, mas não há prazo para os trabalhos porque é preciso a benção do Deinfra, já que o empreendimento fará interligação com uma rodovia de jurisdição estadual.

 

Desde 2016, foram mais de vinte acidentes neste cruzamento, que deixou feridos, danos materiais e um risco permanente para os usuários. Volto a frisar, o local é sinalizado e tem iluminação, porém isso por si só não é uma garantia de segurança plena. Uma rótula nesse local se torna necessária.

 

Porém esse não é o único local, que precisa desse empreendimento! Há outros ponto na área central de Concórdia ou em rodovias que demandam de rótulas. Ainda na Attílio Fontana, mas no entroncamento com a rua do Comércio, há um trevo, mas já ventilou-se a possibilidade de se colocar uma rótula nesse local. Como seria essa rótula nesse local, ainda não se sabe!

 

Também próximo está o trevo de acesso a Presidente Kennedy. Aliás, acompanhei a parte final de construção desse “trevo”, que consistiu apenas no alargamento da faixa de asfalto, acompanhada com pintura de solo, que pouco ajuda quando há neblina. Na última colisão que houve neste local, duas mulheres ficaram feridas. O “trevo de Kennedy”, que também dá acesso ao Ponte do Sol pode não ser um exemplo para uma rótula, mas é um exemplo clássico de que do jeito que tá, não funciona!

 

Mas o caso mais emblemático é no entroncamento da BR 153 com a SC 390, que faz a interligação com Rancho Grande. Por se tratar de uma rodovia federal e com intenso movimento, o perigo no local se potencializa, na medida que não existe nada que force a redução de velocidade, tanto de quem desce, quanto de quem sobe. Na prática, quem sai de Concórdia em direção a Rancho Grande, por exemplo, tem que pegar a esquerda no acostamento, aguardar cessar o movimento nos dois sentidos, atravessar as duas pistas e depois seguir pela SC 390. É um risco muito grande e acidentes já aconteceram nesse local. Foram poucas ocorrências em função do grau de periculosidade do cruzamento, mas aconteceram! Em um deles, um Gol foi jogado para fora da pista por uma carreta. No veículo, duas pessoas, sendo uma idosa, se feriram.

 

Não sei qual é o critério usado para que os órgãos competentes deliberem para métodos, procedimentos ou ajustes que ajudem a evitar acidentes e por consequência salvar vidas. Mas nesses pontos, onde já aconteceram colisões de veículos, a segurança das pessoas tem que estar acima de qualquer estatística que venha a servir de métrica para deliberar ações desse tipo por parte do governo. Afinal de contas, uma vida salva, uma que seja, já serve de justificativa para qualquer investimento! Ou está se esperando o pior para depois agir, como sempre acontece?

25 abr 19 | 16h40 Por Rádio Aliança

A necessidade de rótulas no trânsito de Concórdia

Entroncamento da Attilio Fontana com o contorno norte não é o único lugar que demanda desse tipo de empreendimento!

A necessidade de rótulas no trânsito de Concórdia

A construção de uma rótula na Attilio Fontana, na entrada do contorno viário norte, no bairro dos Estados, ganhou destaque nesta semana por causa de um simples acidente envolvendo carro e moto. Mais um, de vários que já aconteceram naquele local.  Desta vez, felizmente, não teve gravidade e a implantação de uma rótula naquele ponto da via voltou à tona.

 

O trecho é uma continuidade da SC 283 e tira o trânsito pesado de caminhões e de outros veículos da área central de Concórdia. Portanto, é um local de grande movimento e hoje existe uma sinalização de solo para quem está na Attilio Fontana e queira converter para o contorno, mas não é uma garantia de segurança.

 

Conforme informações apuradas pelo Jornalismo da Rádio Aliança, esse local em breve terá uma rótula. Há um tratativa pela Administração Municipal, mas não há prazo para os trabalhos porque é preciso a benção do Deinfra, já que o empreendimento fará interligação com uma rodovia de jurisdição estadual.

 

Desde 2016, foram mais de vinte acidentes neste cruzamento, que deixou feridos, danos materiais e um risco permanente para os usuários. Volto a frisar, o local é sinalizado e tem iluminação, porém isso por si só não é uma garantia de segurança plena. Uma rótula nesse local se torna necessária.

 

Porém esse não é o único local, que precisa desse empreendimento! Há outros ponto na área central de Concórdia ou em rodovias que demandam de rótulas. Ainda na Attílio Fontana, mas no entroncamento com a rua do Comércio, há um trevo, mas já ventilou-se a possibilidade de se colocar uma rótula nesse local. Como seria essa rótula nesse local, ainda não se sabe!

 

Também próximo está o trevo de acesso a Presidente Kennedy. Aliás, acompanhei a parte final de construção desse “trevo”, que consistiu apenas no alargamento da faixa de asfalto, acompanhada com pintura de solo, que pouco ajuda quando há neblina. Na última colisão que houve neste local, duas mulheres ficaram feridas. O “trevo de Kennedy”, que também dá acesso ao Ponte do Sol pode não ser um exemplo para uma rótula, mas é um exemplo clássico de que do jeito que tá, não funciona!

 

Mas o caso mais emblemático é no entroncamento da BR 153 com a SC 390, que faz a interligação com Rancho Grande. Por se tratar de uma rodovia federal e com intenso movimento, o perigo no local se potencializa, na medida que não existe nada que force a redução de velocidade, tanto de quem desce, quanto de quem sobe. Na prática, quem sai de Concórdia em direção a Rancho Grande, por exemplo, tem que pegar a esquerda no acostamento, aguardar cessar o movimento nos dois sentidos, atravessar as duas pistas e depois seguir pela SC 390. É um risco muito grande e acidentes já aconteceram nesse local. Foram poucas ocorrências em função do grau de periculosidade do cruzamento, mas aconteceram! Em um deles, um Gol foi jogado para fora da pista por uma carreta. No veículo, duas pessoas, sendo uma idosa, se feriram.

 

Não sei qual é o critério usado para que os órgãos competentes deliberem para métodos, procedimentos ou ajustes que ajudem a evitar acidentes e por consequência salvar vidas. Mas nesses pontos, onde já aconteceram colisões de veículos, a segurança das pessoas tem que estar acima de qualquer estatística que venha a servir de métrica para deliberar ações desse tipo por parte do governo. Afinal de contas, uma vida salva, uma que seja, já serve de justificativa para qualquer investimento! Ou está se esperando o pior para depois agir, como sempre acontece?