Agronegócio

28 jan 20 | 6h00 Por Jocimar Soares

Tratamento de efluentes, destinação de animais mortos e suínos criados sem antimicrobianos

Projetos serão apresentados pela Embrapa Suínos e Aves no Show Rural Coopavel, em Cascavel, no Paraná.

Tratamento de efluentes, destinação de animais mortos e suínos criados sem antimicrobianos
Imprimir

Um sistema de tratamento de efluentes da suinocultura, a destinação adequada dos animais mortos nas granjas e a produção de suínos em família sem uso coletivo de antimicrobianos são os destaques que a Embrapa Suínos e Aves de Concórdia-SC, unidade descentralizada da empresa de pesquisa agropecuária vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, vai apresentar na Casa da Embrapa durante o Show Rural Coopavel. O evento, que em 2020 completa 32 edições, acontece de 3 a 7 de fevereiro em um parque de 72 hectares no km 577 da BR-277 em Cascavel-PR, a 10 quilômetros do centro da cidade, na saída para Curitiba.


Sistrates – O Sistema de Tratamento de Efluentes da Suinocultura é um processo que permite obter um alto nível de tratabilidade dos efluentes da produção de suínos. A tecnologia se baseia na separação física de sólidos, seguida da biodigestão anaeróbia, da remoção biológica de nitrogênio por nitrificação e desnitrificação e da precipitação química de fósforo.


O Sistrates pode ser aplicado de maneira modular e adicional, de acordo com as necessidades de tratamento (módulo Bio + módulo Nitrogênio + módulo Fósforo). O sistema tem a vantagem de se acoplar aos biodigestores, a tecnologia de tratamento mais difundida no Brasil.


O principal benefício do Sistrates é a diminuição do impacto ambiental da granja de suínos, pela possibilidade de reuso da água e diminuição da área agrícola necessária para utilização do dejeto na adubação do solo. Outros benefícios são a possibilidade de expansão das atividades produtivas em locais com restrição de área e a recuperação do fósforo para utilização como fertilizante.


Destinação de animais mortos – Um problema que afeta a maioria das propriedades rurais produtoras de suínos, aves e bovinos é a destinação de carcaças de animais que morrem por causas rotineiras ou catastróficas. A preocupação se deve especialmente à falta de uma regulamentação específica para a remoção e destinação que atenda os aspectos sanitários, ambientais e econômicos.


Para auxiliar produtores e órgãos regulamentadores, a Embrapa Suínos e Aves tem atuado na avaliação de algumas práticas e tecnologias apontadas como rotas tecnológicas, como a compostagem acelerada, a biodigestão anaeróbia, a desidratação, a incineração e a reciclagem industrial de carcaças (rendering) para a produção de farinhas, gorduras, fertilizantes e outros coprodutos de valor agregado. No entanto, essas rotas tecnológicas necessitam uma validação para que possam ser indicadas oficialmente pelos órgãos regulamentadores.


A avaliação das rotas é realizada no âmbito do projeto Tecnologias para destinação de carcaças (TEC-DAM), que conta com a participação da Embrapa Gado de Leite (Juiz de Fora-MG) e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.


A Embrapa mantém um site com informações sobre o Projeto TEC-DAM em embrapa.br/suinos-e-aves/tec-dam. Veja também o vídeo sobre o projeto no canal da Embrapa, em youtu.be/EIwW1e_TLjw?t=264.


Suínos em família – O conceito de produção de suínos em família sem uso coletivo de antimicrobianos está sendo desenvolvido e ajustado pela Embrapa em uma granja de ciclo completo para 21 matrizes. Com o sistema, e o uso de boas práticas de produção, demonstrou-se ser possível a criação de suínos sem uso coletivo de antimicrobianos, com bons resultados produtivos e sanitários. Tais resultados foram atribuídos, principalmente, à manutenção dos leitões na mesma leitegada, à baixa escala de produção e à redução de fatores de risco que exacerbam a ocorrência de doenças.


O alojamento em família também confere melhor bem-estar aos suínos, com redução do estresse e diminuição na transmissão de agentes infecciosos, permitindo ainda a rastreabilidade individual do animal. No projeto desenvolvido pela Embrapa Suínos e Aves, foi introduzida a genética de fêmea suína Embrapa MO25C, que permite a produção de suínos com melhor qualidade de carne. Este diferencial é percebido principalmente na maciez da carne e na suculência (marmoreio) dos produtos curados (como copa e salame).


A Embrapa também produziu um site especial com todas as tecnologias apresentadas pelas suas unidades de pesquisa no evento, no endereço embrapa.br/showrural.


Show Rural – O evento é promovido pela Coopavel Cooperativa Agroindustrial de Cascavel-PR. Em 2020, serão 650 expositores e a estimativa dos organizadores é que sejam movimentados R$ 2 bilhões durante os cinco dias de feira. O parque fica aberto para visitação das 8h às 18h e o acesso é gratuito. O estacionamento tem 14 mil vagas e também é de graça. Mais informações no site do evento, em www.showrural.com.br.


(Foto: Lucas Scherer Cardoso/Embrapa Suínos e Aves)

28 jan 20 | 6h00 Por Jocimar Soares

Tratamento de efluentes, destinação de animais mortos e suínos criados sem antimicrobianos

Projetos serão apresentados pela Embrapa Suínos e Aves no Show Rural Coopavel, em Cascavel, no Paraná.

Tratamento de efluentes, destinação de animais mortos e suínos criados sem antimicrobianos

Um sistema de tratamento de efluentes da suinocultura, a destinação adequada dos animais mortos nas granjas e a produção de suínos em família sem uso coletivo de antimicrobianos são os destaques que a Embrapa Suínos e Aves de Concórdia-SC, unidade descentralizada da empresa de pesquisa agropecuária vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, vai apresentar na Casa da Embrapa durante o Show Rural Coopavel. O evento, que em 2020 completa 32 edições, acontece de 3 a 7 de fevereiro em um parque de 72 hectares no km 577 da BR-277 em Cascavel-PR, a 10 quilômetros do centro da cidade, na saída para Curitiba.


Sistrates – O Sistema de Tratamento de Efluentes da Suinocultura é um processo que permite obter um alto nível de tratabilidade dos efluentes da produção de suínos. A tecnologia se baseia na separação física de sólidos, seguida da biodigestão anaeróbia, da remoção biológica de nitrogênio por nitrificação e desnitrificação e da precipitação química de fósforo.


O Sistrates pode ser aplicado de maneira modular e adicional, de acordo com as necessidades de tratamento (módulo Bio + módulo Nitrogênio + módulo Fósforo). O sistema tem a vantagem de se acoplar aos biodigestores, a tecnologia de tratamento mais difundida no Brasil.


O principal benefício do Sistrates é a diminuição do impacto ambiental da granja de suínos, pela possibilidade de reuso da água e diminuição da área agrícola necessária para utilização do dejeto na adubação do solo. Outros benefícios são a possibilidade de expansão das atividades produtivas em locais com restrição de área e a recuperação do fósforo para utilização como fertilizante.


Destinação de animais mortos – Um problema que afeta a maioria das propriedades rurais produtoras de suínos, aves e bovinos é a destinação de carcaças de animais que morrem por causas rotineiras ou catastróficas. A preocupação se deve especialmente à falta de uma regulamentação específica para a remoção e destinação que atenda os aspectos sanitários, ambientais e econômicos.


Para auxiliar produtores e órgãos regulamentadores, a Embrapa Suínos e Aves tem atuado na avaliação de algumas práticas e tecnologias apontadas como rotas tecnológicas, como a compostagem acelerada, a biodigestão anaeróbia, a desidratação, a incineração e a reciclagem industrial de carcaças (rendering) para a produção de farinhas, gorduras, fertilizantes e outros coprodutos de valor agregado. No entanto, essas rotas tecnológicas necessitam uma validação para que possam ser indicadas oficialmente pelos órgãos regulamentadores.


A avaliação das rotas é realizada no âmbito do projeto Tecnologias para destinação de carcaças (TEC-DAM), que conta com a participação da Embrapa Gado de Leite (Juiz de Fora-MG) e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.


A Embrapa mantém um site com informações sobre o Projeto TEC-DAM em embrapa.br/suinos-e-aves/tec-dam. Veja também o vídeo sobre o projeto no canal da Embrapa, em youtu.be/EIwW1e_TLjw?t=264.


Suínos em família – O conceito de produção de suínos em família sem uso coletivo de antimicrobianos está sendo desenvolvido e ajustado pela Embrapa em uma granja de ciclo completo para 21 matrizes. Com o sistema, e o uso de boas práticas de produção, demonstrou-se ser possível a criação de suínos sem uso coletivo de antimicrobianos, com bons resultados produtivos e sanitários. Tais resultados foram atribuídos, principalmente, à manutenção dos leitões na mesma leitegada, à baixa escala de produção e à redução de fatores de risco que exacerbam a ocorrência de doenças.


O alojamento em família também confere melhor bem-estar aos suínos, com redução do estresse e diminuição na transmissão de agentes infecciosos, permitindo ainda a rastreabilidade individual do animal. No projeto desenvolvido pela Embrapa Suínos e Aves, foi introduzida a genética de fêmea suína Embrapa MO25C, que permite a produção de suínos com melhor qualidade de carne. Este diferencial é percebido principalmente na maciez da carne e na suculência (marmoreio) dos produtos curados (como copa e salame).


A Embrapa também produziu um site especial com todas as tecnologias apresentadas pelas suas unidades de pesquisa no evento, no endereço embrapa.br/showrural.


Show Rural – O evento é promovido pela Coopavel Cooperativa Agroindustrial de Cascavel-PR. Em 2020, serão 650 expositores e a estimativa dos organizadores é que sejam movimentados R$ 2 bilhões durante os cinco dias de feira. O parque fica aberto para visitação das 8h às 18h e o acesso é gratuito. O estacionamento tem 14 mil vagas e também é de graça. Mais informações no site do evento, em www.showrural.com.br.


(Foto: Lucas Scherer Cardoso/Embrapa Suínos e Aves)