Momento Agro

11 jul 19 | 14h32 Por Analu Slongo

SC busca soluções para Rota do Milho e recolhimento de carcaças nas propriedades rurais

Assuntos foram levados ao Ministério da Agricultura pela vice-governadora e pelo secretário da Agricultura

SC busca soluções para Rota do Milho e recolhimento de carcaças nas propriedades rurais
Imprimir

A vice-governadora Daniela Reinehr e o secretário de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, Ricardo de Gouvêa, participaram nesta quarta-feira, 10, em Brasília, de audiência com o ministro em exercício da Agricultura, Marcos Montes, e com o secretário adjunto de Defesa Agropecuária, Fernando Mendes. A principal demanda do encontro foi o destino das carcaças de animais não abatidos nas propriedades rurais e a Rota do Milho.


A vice-governadora diz que foi uma reunião muito importante e produtiva. “Saímos com os encaminhamentos que precisamos na agricultura em Santa Catarina. Nosso modelo de agronegócio tem resultados excelentes e precisamos manter. Estamos unindo forças”, ressalta Daniela Reinehr.


Projeto proposta por SC


O pedido do governo do Estado é para que o Mapa crie normas e certifique as empresas que recolhem os animais para que possam exportar as farinhas e outros produtos vindos do processamento das carcaças. Isso daria viabilidade econômica para o Projeto Piloto de Recolhimento de Animais Mortos em Santa Catarina continuar em funcionamento, servindo de modelo até mesmo para outros estados. 


O recolhimento das carcaças nas propriedades rurais é uma ferramenta importante não só para a manutenção do patrimônio sanitário estadual e nacional, mas também reduz significativamente os impactos no meio ambiente. Lembrando que a maioria desses animais morre por causas naturais.


“Durante a reunião, a equipe do Ministério da Agricultura nos informou que acontecerá uma consulta pública sobre o assunto. Porém, como este é um trabalho que já foi muito discutido, o governo federal tentará atender o mais rápido possível, criando uma normativa para Santa Catarina”, explica o secretário da Agricultura Ricardo de Gouvêa.


Rota do Milho


As melhorias na aduana de Dionísio Cerqueira para implementação da Rota do Milho também estiveram na pauta do encontro. A vice-governadora Daniela Reinehr e o secretário da Agricultura Ricardo de Gouvêa apresentaram os principais gargalos para que as operações se concretizem: a inspeção sanitária na entrada dos produtos no Brasil e o controle da aduana. 


Com a implantação da Rota do Milho, o agronegócio de Santa Catarina poderá ser abastecido com os grãos produzidos no Paraguai, com os caminhões passando pela Argentina e chegando ao Estado pela aduana de Dionísio Cerqueira. 


Fonte: Ana Ceron/ ASCOM Governo do Estado

11 jul 19 | 14h32 Por Analu Slongo

SC busca soluções para Rota do Milho e recolhimento de carcaças nas propriedades rurais

Assuntos foram levados ao Ministério da Agricultura pela vice-governadora e pelo secretário da Agricultura

SC busca soluções para Rota do Milho e recolhimento de carcaças nas propriedades rurais

A vice-governadora Daniela Reinehr e o secretário de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, Ricardo de Gouvêa, participaram nesta quarta-feira, 10, em Brasília, de audiência com o ministro em exercício da Agricultura, Marcos Montes, e com o secretário adjunto de Defesa Agropecuária, Fernando Mendes. A principal demanda do encontro foi o destino das carcaças de animais não abatidos nas propriedades rurais e a Rota do Milho.


A vice-governadora diz que foi uma reunião muito importante e produtiva. “Saímos com os encaminhamentos que precisamos na agricultura em Santa Catarina. Nosso modelo de agronegócio tem resultados excelentes e precisamos manter. Estamos unindo forças”, ressalta Daniela Reinehr.


Projeto proposta por SC


O pedido do governo do Estado é para que o Mapa crie normas e certifique as empresas que recolhem os animais para que possam exportar as farinhas e outros produtos vindos do processamento das carcaças. Isso daria viabilidade econômica para o Projeto Piloto de Recolhimento de Animais Mortos em Santa Catarina continuar em funcionamento, servindo de modelo até mesmo para outros estados. 


O recolhimento das carcaças nas propriedades rurais é uma ferramenta importante não só para a manutenção do patrimônio sanitário estadual e nacional, mas também reduz significativamente os impactos no meio ambiente. Lembrando que a maioria desses animais morre por causas naturais.


“Durante a reunião, a equipe do Ministério da Agricultura nos informou que acontecerá uma consulta pública sobre o assunto. Porém, como este é um trabalho que já foi muito discutido, o governo federal tentará atender o mais rápido possível, criando uma normativa para Santa Catarina”, explica o secretário da Agricultura Ricardo de Gouvêa.


Rota do Milho


As melhorias na aduana de Dionísio Cerqueira para implementação da Rota do Milho também estiveram na pauta do encontro. A vice-governadora Daniela Reinehr e o secretário da Agricultura Ricardo de Gouvêa apresentaram os principais gargalos para que as operações se concretizem: a inspeção sanitária na entrada dos produtos no Brasil e o controle da aduana. 


Com a implantação da Rota do Milho, o agronegócio de Santa Catarina poderá ser abastecido com os grãos produzidos no Paraguai, com os caminhões passando pela Argentina e chegando ao Estado pela aduana de Dionísio Cerqueira. 


Fonte: Ana Ceron/ ASCOM Governo do Estado