Agronegócio

14 set 21 | 9h02 Por Jocimar Soares

OUÇA: População da cigarrinha do milho, por enquanto, é baixa na região de Concórdia

Praga contribuiu para que houvesses prejuízos na cultura do milho na safra passada

OUÇA: População da cigarrinha do milho, por enquanto, é baixa na região de Concórdia
Escute
Imprimir

Por enquanto, a população do inseto conhecido como cigarrinha do milho (Dalbulus maidis), responsável por grandes perdas nas lavouras do grão, em todo o Estado, é baixa na região de Concórdia. O resultado é fruto de monitoramento que a Epagri está realizando em todo o Estado desde o mês de julho desse ano.


Em Concórdia, são quatro armadilhas que consistem em um adesivo na cor amarela em um ponto da lavoura. A cor acaba atraindo o inseto e a coleta é realizada uma vez por semana. A amostra é encaminhada para a Epagri, que analisa a presença do inseto./Caso o mesmo esteja presente, é feita outra análise para ver se o exemplar é vetor do vírus, que provoca o enfezamento do milho, responsável por grandes perdas na última safra.


O engenheiro agrônomo da Epagri de Concórdia, Márcio Titon, destaca que a população é baixa nesse momento e por enquanto a praga não oferece riscos a exemplo do que foi na safra passada (OUÇA).

14 set 21 | 9h02 Por Jocimar Soares

OUÇA: População da cigarrinha do milho, por enquanto, é baixa na região de Concórdia

Praga contribuiu para que houvesses prejuízos na cultura do milho na safra passada

OUÇA: População da cigarrinha do milho, por enquanto, é baixa na região de Concórdia

Por enquanto, a população do inseto conhecido como cigarrinha do milho (Dalbulus maidis), responsável por grandes perdas nas lavouras do grão, em todo o Estado, é baixa na região de Concórdia. O resultado é fruto de monitoramento que a Epagri está realizando em todo o Estado desde o mês de julho desse ano.


Em Concórdia, são quatro armadilhas que consistem em um adesivo na cor amarela em um ponto da lavoura. A cor acaba atraindo o inseto e a coleta é realizada uma vez por semana. A amostra é encaminhada para a Epagri, que analisa a presença do inseto./Caso o mesmo esteja presente, é feita outra análise para ver se o exemplar é vetor do vírus, que provoca o enfezamento do milho, responsável por grandes perdas na última safra.


O engenheiro agrônomo da Epagri de Concórdia, Márcio Titon, destaca que a população é baixa nesse momento e por enquanto a praga não oferece riscos a exemplo do que foi na safra passada (OUÇA).