Agronegócio

14 ago 08 | 7h50 Por Rádio Aliança

Greenpeace lança Plataforma Política Ambiental e disponibiliza propostas da área para candidatos a prefeito e vereadores de Concórdia

Greenpeace lança Plataforma Política Ambiental e disponibiliza propostas da área para candidatos a prefeito e vereadores de Concórdia
Imprimir

Sugestões ambientais para todos os candidatos a prefeitos e vereadores dos milhares de municípios brasileiros. O Greenpeace criou uma plataforma de política ambiental com sugestões de propostas para os planos de governo. As dicas ambientais servem para os políticos e para os eleitores.

Como sugestão para a região, o diretor de políticas públicas do Greenpeace, Sérgio Leitão, cita três propostas. "A criação de Plano de Mudanças Climáticas, elaborar aterros sanitários e criar um programa para a preservação da mata verde", explica.

Sérgio Leitão afirma que o Greenpeace está preocupado com os futuros problemas ambientais. Para o oeste catarinense, a ong  estima uma crise da agricultura. " O meio-ambiente deveria ser uma prioridade para os governos, assim como é a educação e a saúde, cuidar dele é garantir alimentação e vida", comenta Leitão.

Das sugestões que constam na plataforma, Concórdia já se enquadra em algumas, como o tratamento do lixo urbano.

Confira abaixo algumas propostas à candidatos:

Políticas/ programas prioritários

1. Garantir o funcionamento dos Conselhos Municipais do Meio Ambiente, com poderes decisórios, assegurando a representação paritária entre a sociedade civil e as instâncias de governo;

2. Elaborar um plano de remediação de áreas industriais contaminadas e responsabilizar as empresas e ou atores envolvidos;

3. Estabelecer uma política municipal de resíduos sólidos, que responsabilize as pessoas (físicas ou jurídicas) pelos custos do tratamento adequado do lixo que geram;

4. Estabelecer Programa Vassoura Zero, ancorado em uma política municipal de resíduos sólidos, com a adoção de metas obrigatórias de reciclagem, em bases progressivas, distribuídas setorialmente (comércio, residências, indústrias, resíduos de construção, empresas e hospitais), que elimine os lixões no prazo de 10 anos;

5. Criar programa de incentivo para técnicas ecológicas de coleta e tratamento de esgotos, como as mini-estações (para tratamento primário), tratamento biológico e biodigestores;

6. Estabelecer uma política de licitações públicas sustentáveis, ancorada em um plano de ação para estimular a produção limpa, com menor impacto ambiental e geração de resíduos;

7. Estabelecer, no âmbito da política municipal de resíduos sólidos, a responsabilidade pós-consumo do gerador de resíduos, dentro do sistema de logística reversa, com o retorno de produtos, embalagens ou materiais ao centro produtivo;

8. Criar pontos de recebimento/coleta dos resíduos eletrônicos (e-lixo), com a destinação do material coletado para ser reutilizado, reciclado e aproveitado pelas indústrias no Brasil;

9. Responsabilizar o fabricante de produtos eletro-eletrônicos pelo descarte apropriado do lixo que não for reutilizado/reciclado;

10. Responsabilizar os fabricantes de lâmpadas fluorescentes a fazer a coleta seletiva e reciclagem do produto usado;

11. Proibir o uso de sacolas de plástico nos supermercados e demais estabelecimentos comerciais.

12. Estabelecer um código municipal ecológico de construções sustentáveis para minimizar a demanda energética e os impactos ambientais, por meio de diretrizes arquitetônicas que privilegiem o uso de materiais e revestimentos térmicos, acústicos e energeticamente mais eficientes.

14 ago 08 | 7h50 Por Rádio Aliança

Greenpeace lança Plataforma Política Ambiental e disponibiliza propostas da área para candidatos a prefeito e vereadores de Concórdia

Greenpeace lança Plataforma Política Ambiental e disponibiliza propostas da área para candidatos a prefeito e vereadores de Concórdia

Sugestões ambientais para todos os candidatos a prefeitos e vereadores dos milhares de municípios brasileiros. O Greenpeace criou uma plataforma de política ambiental com sugestões de propostas para os planos de governo. As dicas ambientais servem para os políticos e para os eleitores.

Como sugestão para a região, o diretor de políticas públicas do Greenpeace, Sérgio Leitão, cita três propostas. "A criação de Plano de Mudanças Climáticas, elaborar aterros sanitários e criar um programa para a preservação da mata verde", explica.

Sérgio Leitão afirma que o Greenpeace está preocupado com os futuros problemas ambientais. Para o oeste catarinense, a ong  estima uma crise da agricultura. " O meio-ambiente deveria ser uma prioridade para os governos, assim como é a educação e a saúde, cuidar dele é garantir alimentação e vida", comenta Leitão.

Das sugestões que constam na plataforma, Concórdia já se enquadra em algumas, como o tratamento do lixo urbano.

Confira abaixo algumas propostas à candidatos:

Políticas/ programas prioritários

1. Garantir o funcionamento dos Conselhos Municipais do Meio Ambiente, com poderes decisórios, assegurando a representação paritária entre a sociedade civil e as instâncias de governo;

2. Elaborar um plano de remediação de áreas industriais contaminadas e responsabilizar as empresas e ou atores envolvidos;

3. Estabelecer uma política municipal de resíduos sólidos, que responsabilize as pessoas (físicas ou jurídicas) pelos custos do tratamento adequado do lixo que geram;

4. Estabelecer Programa Vassoura Zero, ancorado em uma política municipal de resíduos sólidos, com a adoção de metas obrigatórias de reciclagem, em bases progressivas, distribuídas setorialmente (comércio, residências, indústrias, resíduos de construção, empresas e hospitais), que elimine os lixões no prazo de 10 anos;

5. Criar programa de incentivo para técnicas ecológicas de coleta e tratamento de esgotos, como as mini-estações (para tratamento primário), tratamento biológico e biodigestores;

6. Estabelecer uma política de licitações públicas sustentáveis, ancorada em um plano de ação para estimular a produção limpa, com menor impacto ambiental e geração de resíduos;

7. Estabelecer, no âmbito da política municipal de resíduos sólidos, a responsabilidade pós-consumo do gerador de resíduos, dentro do sistema de logística reversa, com o retorno de produtos, embalagens ou materiais ao centro produtivo;

8. Criar pontos de recebimento/coleta dos resíduos eletrônicos (e-lixo), com a destinação do material coletado para ser reutilizado, reciclado e aproveitado pelas indústrias no Brasil;

9. Responsabilizar o fabricante de produtos eletro-eletrônicos pelo descarte apropriado do lixo que não for reutilizado/reciclado;

10. Responsabilizar os fabricantes de lâmpadas fluorescentes a fazer a coleta seletiva e reciclagem do produto usado;

11. Proibir o uso de sacolas de plástico nos supermercados e demais estabelecimentos comerciais.

12. Estabelecer um código municipal ecológico de construções sustentáveis para minimizar a demanda energética e os impactos ambientais, por meio de diretrizes arquitetônicas que privilegiem o uso de materiais e revestimentos térmicos, acústicos e energeticamente mais eficientes.