Momento Agro

13 jun | 5h55 Por Rádio Aliança

Deputado Sopelsa avalia de forma positiva Audiência Pública do Leite

Parlamentar destaca oportunidade para melhorar o resultado da produção de leite em Santa Catarina e agregar mais valor.

Deputado Sopelsa avalia de forma positiva Audiência Pública do Leite
Imprimir

O deputado Moacir Sopelsa (MDB), na condição de vice-presidente da Comissão de Agricultura e Política Rural, coordenou a Audiência Pública do leite, na segunda-feira, dia 10, na Assembleia Legislativa que debateu as Instruções Normativas (INs) 76 e 77 que aumentam as exigências no processo de produção e industrialização do leite. Segundo Sopelsa cerca de 80% dos produtores de Santa Catarina tem condições de se enquadrar nas novas exigências do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. “O leite para Santa Catarina é muito importante, socialmente e economicamente. Temos uma alta produção que se não encaminharmos soluções para exportarmos e melhorar o consumo teremos dificuldades para alcançar um resultado positivo para o produtor e a indústria”, explica. 


De acordo com o Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa), o leite está entre as atividades agropecuárias que mais crescem no Estado, sendo o terceiro produto no ranking de Valor Bruto da Produção (VBP) da agropecuária catarinense. Outros dados apontam que nos próximos anos, a partir do aumento das demandas internas, a China e a Índia vão abrir um bom caminho para o leite produzido no Brasil. “Não podemos perder estas oportunidades, é preciso envolver os técnicos da Epagri, Cidasc e das empresas compradoras de leite para orientar ainda melhor os nossos produtores”, comenta Sopelsa.
 
 
Ao final da Audiência Pública ficou acertada a criação de um grupo de trabalho, com a participação das instituições de produtores, da Assembleia Legislativa, do governo do Estado e empresas vinculadas, da indústria, sindicatos e Fetaesc para discutir estratégias e propostas de incentivos para os produtores e a indústria para melhorar a qualidade do produto, aumentar o consumo e buscar novos mercados.


 O deputado Sopelsa defende a criação de um programa de incentivo pelo governo do Estado através da secretaria da Agricultura para incentivar os produtores que tem dificuldade em cumprir a nova legislação.  Aquele produtor que ainda não tem o seu resfriador de leite, por exemplo, que o governo ajude na aquisição deste equipamento, com a formatação de um programa de Juro Zero – o produtor contrata o financiamento numa instituição bancária e a secretaria da Agricultura paga o juro. “Tenho a certeza que o produtor vai fazer a sua parte, se a indústria fizer a parte dela, eu não tenho nenhuma dúvida de que nós vamos consolidar e garantir que esta atividade possa ser lucrativa”, finaliza.

 

(Fonte: Douglas Fortes/Especial)

13 jun | 5h55 Por Rádio Aliança

Deputado Sopelsa avalia de forma positiva Audiência Pública do Leite

Parlamentar destaca oportunidade para melhorar o resultado da produção de leite em Santa Catarina e agregar mais valor.

Deputado Sopelsa avalia de forma positiva Audiência Pública do Leite

O deputado Moacir Sopelsa (MDB), na condição de vice-presidente da Comissão de Agricultura e Política Rural, coordenou a Audiência Pública do leite, na segunda-feira, dia 10, na Assembleia Legislativa que debateu as Instruções Normativas (INs) 76 e 77 que aumentam as exigências no processo de produção e industrialização do leite. Segundo Sopelsa cerca de 80% dos produtores de Santa Catarina tem condições de se enquadrar nas novas exigências do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. “O leite para Santa Catarina é muito importante, socialmente e economicamente. Temos uma alta produção que se não encaminharmos soluções para exportarmos e melhorar o consumo teremos dificuldades para alcançar um resultado positivo para o produtor e a indústria”, explica. 


De acordo com o Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa), o leite está entre as atividades agropecuárias que mais crescem no Estado, sendo o terceiro produto no ranking de Valor Bruto da Produção (VBP) da agropecuária catarinense. Outros dados apontam que nos próximos anos, a partir do aumento das demandas internas, a China e a Índia vão abrir um bom caminho para o leite produzido no Brasil. “Não podemos perder estas oportunidades, é preciso envolver os técnicos da Epagri, Cidasc e das empresas compradoras de leite para orientar ainda melhor os nossos produtores”, comenta Sopelsa.
 
 
Ao final da Audiência Pública ficou acertada a criação de um grupo de trabalho, com a participação das instituições de produtores, da Assembleia Legislativa, do governo do Estado e empresas vinculadas, da indústria, sindicatos e Fetaesc para discutir estratégias e propostas de incentivos para os produtores e a indústria para melhorar a qualidade do produto, aumentar o consumo e buscar novos mercados.


 O deputado Sopelsa defende a criação de um programa de incentivo pelo governo do Estado através da secretaria da Agricultura para incentivar os produtores que tem dificuldade em cumprir a nova legislação.  Aquele produtor que ainda não tem o seu resfriador de leite, por exemplo, que o governo ajude na aquisição deste equipamento, com a formatação de um programa de Juro Zero – o produtor contrata o financiamento numa instituição bancária e a secretaria da Agricultura paga o juro. “Tenho a certeza que o produtor vai fazer a sua parte, se a indústria fizer a parte dela, eu não tenho nenhuma dúvida de que nós vamos consolidar e garantir que esta atividade possa ser lucrativa”, finaliza.

 

(Fonte: Douglas Fortes/Especial)