Agronegócio

12 mai 22 | 19h20 Por Jocimar Soares

Custos de produção de suínos e de frangos de corte reduzem pela primeira vez no ano

Redução foi puxada pela nutrição dos animais, conforme a Central de Inteligência da Embrapa

Custos de produção de suínos e de frangos de corte reduzem pela primeira vez no ano
Imprimir

Os custos de produção de frangos de corte e de suínos tiveram em abril a primeira redução no ano de 2022 segundo os estudos publicados pela Central de Inteligência de Aves e Suínos da Embrapa, Cias. O ICPFrango baixou 3,22% no mês de abril em relação a março, fazendo o índice recuar aos 431,89 pontos. Já o ICPSuíno caiu 5,20% no mesmo período, chegando aos 428,55 pontos.


 A queda no ICPFrango foi influenciada pela variação de -3,35% nas despesas operacionais com a alimentação das aves, que representou 75,8% do custo total de produção. Com isso, o custo de produção do quilo do frango de corte vivo no Paraná, produzido em aviário tipo climatizado em pressão positiva, baixou R$ 0,19 em abril com relação a março, chegando aos R$ 5,58. De janeiro até abril, o ICPFrango acumula alta de 7,03%.


 No ICPSuíno, a baixa também foi causada principalmente pela influência dos gastos com nutrição (-5,86%). O custo total de produção por quilograma de suíno vivo produzido em sistema tipo ciclo completo em Santa Catarina caiu R$ 0,41 no mês, chegando aos R$ 7,49. Agora, nos primeiros quatro meses do ano, o ICPSuíno acumula 7% de alta.


(Fonte: Lucas Scherer Cardoso/Ascom/Embrapa)


12 mai 22 | 19h20 Por Jocimar Soares

Custos de produção de suínos e de frangos de corte reduzem pela primeira vez no ano

Redução foi puxada pela nutrição dos animais, conforme a Central de Inteligência da Embrapa

Custos de produção de suínos e de frangos de corte reduzem pela primeira vez no ano

Os custos de produção de frangos de corte e de suínos tiveram em abril a primeira redução no ano de 2022 segundo os estudos publicados pela Central de Inteligência de Aves e Suínos da Embrapa, Cias. O ICPFrango baixou 3,22% no mês de abril em relação a março, fazendo o índice recuar aos 431,89 pontos. Já o ICPSuíno caiu 5,20% no mesmo período, chegando aos 428,55 pontos.


 A queda no ICPFrango foi influenciada pela variação de -3,35% nas despesas operacionais com a alimentação das aves, que representou 75,8% do custo total de produção. Com isso, o custo de produção do quilo do frango de corte vivo no Paraná, produzido em aviário tipo climatizado em pressão positiva, baixou R$ 0,19 em abril com relação a março, chegando aos R$ 5,58. De janeiro até abril, o ICPFrango acumula alta de 7,03%.


 No ICPSuíno, a baixa também foi causada principalmente pela influência dos gastos com nutrição (-5,86%). O custo total de produção por quilograma de suíno vivo produzido em sistema tipo ciclo completo em Santa Catarina caiu R$ 0,41 no mês, chegando aos R$ 7,49. Agora, nos primeiros quatro meses do ano, o ICPSuíno acumula 7% de alta.


(Fonte: Lucas Scherer Cardoso/Ascom/Embrapa)