Agronegócio

15 abr 22 | 6h00 Por Jocimar Soares

Custos de produção de suínos e de frangos de corte já subiram mais de 10% no ano

Levantamento é da Central de Inteligência da Embrapa Suínos e Aves.

Custos de produção de suínos e de frangos de corte já subiram mais de 10% no ano
Imprimir

Os custos de produção de frangos de corte e de suínos voltaram a subir em março, segundo os estudos publicados pela Central de Inteligência de Aves e Suínos da Embrapa, Cias. O ICPSuíno aumentou 3,43% no mês de março em relação a fevereiro, fazendo o índice chegar aos 452,06 pontos. Já o ICPFrango subiu 1,60% no mesmo período, chegando aos 446,25 pontos.


A alta no ICPSuíno foi influenciada pela variação de 2,93% nas despesas operacionais com a alimentação dos animais, que representou 83% do custo total de produção de suínos. Com isso, o custo total de produção por quilograma de suíno vivo produzido em sistema tipo ciclo completo em Santa Catarina aumentou R$ 0,26 no mês, chegando aos R$ 7,90. Somente nos primeiros três meses do ano, o ICPSuíno já subiu 12,87%.


No ICPFrango, a alta também foi causada principalmente pela influência dos gastos com nutrição (1,24%) e na compra dos pintos de um dia (0,24%). O custo de produção do quilo do frango de corte vivo no Paraná, produzido em aviário tipo climatizado em pressão positiva, subiu R$ 0,09 em março com relação a fevereiro, chegando aos R$ 5,77. De janeiro até março, o ICPFrango acumula alta de 10,59%.


(Com informações de Lucas Scherer Cardoso/Embrapa)


 


15 abr 22 | 6h00 Por Jocimar Soares

Custos de produção de suínos e de frangos de corte já subiram mais de 10% no ano

Levantamento é da Central de Inteligência da Embrapa Suínos e Aves.

Custos de produção de suínos e de frangos de corte já subiram mais de 10% no ano

Os custos de produção de frangos de corte e de suínos voltaram a subir em março, segundo os estudos publicados pela Central de Inteligência de Aves e Suínos da Embrapa, Cias. O ICPSuíno aumentou 3,43% no mês de março em relação a fevereiro, fazendo o índice chegar aos 452,06 pontos. Já o ICPFrango subiu 1,60% no mesmo período, chegando aos 446,25 pontos.


A alta no ICPSuíno foi influenciada pela variação de 2,93% nas despesas operacionais com a alimentação dos animais, que representou 83% do custo total de produção de suínos. Com isso, o custo total de produção por quilograma de suíno vivo produzido em sistema tipo ciclo completo em Santa Catarina aumentou R$ 0,26 no mês, chegando aos R$ 7,90. Somente nos primeiros três meses do ano, o ICPSuíno já subiu 12,87%.


No ICPFrango, a alta também foi causada principalmente pela influência dos gastos com nutrição (1,24%) e na compra dos pintos de um dia (0,24%). O custo de produção do quilo do frango de corte vivo no Paraná, produzido em aviário tipo climatizado em pressão positiva, subiu R$ 0,09 em março com relação a fevereiro, chegando aos R$ 5,77. De janeiro até março, o ICPFrango acumula alta de 10,59%.


(Com informações de Lucas Scherer Cardoso/Embrapa)