Agronegócio

18 nov 21 | 6h00 Por Jocimar Soares

Custos de produção de suínos caem em outubro; os de frango de corte voltam a subir

Informação foi divulgada nesta quarta-feira, dia 17

Custos de produção de suínos caem em outubro; os de frango de corte voltam a subir
Imprimir

Os custos de produção de frangos de corte e de suínos tiveram comportamentos diferentes no mês de outubro segundo os estudos publicados pela Central de Inteligência de Aves e Suínos da Embrapa. Enquanto o ICPFrango subiu 0,95% em relação a setembro, chegando aos 403,13 pontos, o ICPSuíno baixou 0,99% fechando o mês em 389,24 pontos.


A alta no ICPFrango em outubro foi reflexo, principalmente, do aumento nas despesas com a aquisição de pintos de um dia (+0,83%). “Além disso, embora os preços do milho e do farelo de soja no estado do Paraná tenham recuado 2,2% e 0,25%, respectivamente, o acréscimo de 0,13% nas despesas com a nutrição das aves deu-se em função do aumento no preço do óleo bruto de soja (7,8%)”, diz o analista de socioeconomia da Embrapa Suínos e Aves Ari Jarbas Sandi. “Outro fator que encareceu os custos totais de produção foi o IGP-DI, o qual atualiza o valor do patrimônio imobilizado, influenciando o custo de capital e a depreciação”, continua. No ano de 2021, o ICPFrango registra aumento de 19,67%. Nos últimos 12 meses, a variação é de 22,62%. O custo de produção do quilo do frango de corte vivo no Paraná, produzido em aviário tipo climatizado em pressão positiva, oscilou R$ 0,05 em outubro com relação a setembro, passando de R$ 5,16 para R$ 5,21.


Já o ICPSuíno baixou 0,99%, influenciado principalmente pela redução nas despesas operacionais com a alimentação (-1,43%) dos animais. Agora, o ICPSuíno acumula alta de 3,75% em 2021 e de 10,28% nos últimos 12 meses. O custo total de produção por quilograma de suíno vivo produzido em sistema tipo ciclo completo em Santa Catarina voltou a ficar abaixo dos sete reais, fechando em R$ 6,80.


(Fonte: Lucas Scherer Cardoso/Embrapa)

18 nov 21 | 6h00 Por Jocimar Soares

Custos de produção de suínos caem em outubro; os de frango de corte voltam a subir

Informação foi divulgada nesta quarta-feira, dia 17

Custos de produção de suínos caem em outubro; os de frango de corte voltam a subir

Os custos de produção de frangos de corte e de suínos tiveram comportamentos diferentes no mês de outubro segundo os estudos publicados pela Central de Inteligência de Aves e Suínos da Embrapa. Enquanto o ICPFrango subiu 0,95% em relação a setembro, chegando aos 403,13 pontos, o ICPSuíno baixou 0,99% fechando o mês em 389,24 pontos.


A alta no ICPFrango em outubro foi reflexo, principalmente, do aumento nas despesas com a aquisição de pintos de um dia (+0,83%). “Além disso, embora os preços do milho e do farelo de soja no estado do Paraná tenham recuado 2,2% e 0,25%, respectivamente, o acréscimo de 0,13% nas despesas com a nutrição das aves deu-se em função do aumento no preço do óleo bruto de soja (7,8%)”, diz o analista de socioeconomia da Embrapa Suínos e Aves Ari Jarbas Sandi. “Outro fator que encareceu os custos totais de produção foi o IGP-DI, o qual atualiza o valor do patrimônio imobilizado, influenciando o custo de capital e a depreciação”, continua. No ano de 2021, o ICPFrango registra aumento de 19,67%. Nos últimos 12 meses, a variação é de 22,62%. O custo de produção do quilo do frango de corte vivo no Paraná, produzido em aviário tipo climatizado em pressão positiva, oscilou R$ 0,05 em outubro com relação a setembro, passando de R$ 5,16 para R$ 5,21.


Já o ICPSuíno baixou 0,99%, influenciado principalmente pela redução nas despesas operacionais com a alimentação (-1,43%) dos animais. Agora, o ICPSuíno acumula alta de 3,75% em 2021 e de 10,28% nos últimos 12 meses. O custo total de produção por quilograma de suíno vivo produzido em sistema tipo ciclo completo em Santa Catarina voltou a ficar abaixo dos sete reais, fechando em R$ 6,80.


(Fonte: Lucas Scherer Cardoso/Embrapa)